Padre usou dízimo para ter sexo com ex-coroinhas

Padre Duarte  e três ex-coroinhas são acareados

Ao depor neste sábado (13) à CPI da Pedofilia, que se deslocou para Arapiraca (AL), o padre Edílson Duarte, 43, que na foto aparece ao centro, começou por negar que seja homossexual e pedófilo.

Mas colocado diante de três ex-coroinhas [de costas na foto] que o acusam de abuso, o padre surpreendeu as cerca de 200 pessoas presentes à  sessão ao reconhecer que teve sexo com dois deles, e tudo começou quando ainda eram menores de idade. Explicou que, para isso, lhes dava dinheiro do dízimo.

O senador Magno Malta, presidente da CPI, insistiu: “Olha para eles [fiéis]. O senhor pagou o dinheiro do dízimo para pegar no pênis [dos ex-coroinhas]?”

Duarte abaixou a cabeça e respondeu: “Sim.”

Na plateia, houve indignação, de acordo com o relato do repórter Carlos Madeiro para o Uol.

Os três coroinhas são Fabiano Silva Ferreira, Cícero Flávio Barbosa e Anderson Farias Silva.

Ex-coroinhas afirmam que foram abusados por padres.

"Às vezes ele [o padre Duarte] nos dava cinco, 10 reais -- um cala boca para que a gente não contasse [a relação sexual], como se fossemos garoto de programa”, disse Barbosa.

O padre respondeu que pode ter abusado de outros adolescentes, mas “crianças, não”.

Ele disse estar arrependido. “Se Nossa Senhora entrasse ali agora, diria: ‘Perdoa os seus filhos que têm pecados’. A Igreja nunca erra, só as pessoas.”

Arapiraca é uma cidade de 209 mil habitantes a 130km de Maceió, a capital de Alagoas.

Ali, dois outros sacerdotes são acusados de terem relações sexuais com ex-coroinhas: o monsenhor Luiz Marques Barbosa, 82, e o monsenhor Raimundo Gomes. Eles também davam dinheiro aos jovens.

O bispo Valério Brêda, da Arquidiocese de Maceió, é o responsável pela paróquia de Arapiraca.

Ele é acusado pelos jovens de nada ter feito contra os sacerdotes devassos da cidade, embora soubesse das atividades sexuais deles há tempo.

Dom Brêdo com um coroinha que hoje diz ter sido abusado. Na cidade, comenta-se que o próprio bispo tem um passado obscuro.

Na foto ao lado, dom Brêda está ao lado de Cícero Flávio Barbosa, então com 12 anos.

 > Caso dos padres pedófilos da Arapiraca.

Comentários

stephano disse…
Seja qual for o móvel da ação mais que justa e louvável destes jovens, em denunciar abusos sofridos e pretérita pedofilia clerical de que foram vítimas; transparece, nos meandros ocultos da história que eles contam, o dado inconsciente ou propositalmente negado: O CONSENTIMENTO. Livre ou por motivo venal inconfessado? Sua cumplicidade é nada intocada, segundo queiram aparentar; sua virtude não convence de todo a quem possua senso crítico e o bom-senso, crivo da verdade: parece mais uma virtuose do engodo. Não são crianças, não foram obrigados, nem seduzidos. Talvez aliciados e até corrompidos. Mas não são vítimas, como a mediocridade lhes irá santificar,martirizar e depois exaltar; por pouco tempo, até de novo os julgar e condenar, quando o fervor da revanche e a paixão da vingança arrefecerem, e derem lugar ao "deixa passar".
tina disse…
O simples fato de padres cometerem o ato sexual é uma razao pra que eles sejam retirados das suas competencias, se ainda mais os atos sao feitos com homens, segundo a igreja catolica, é um pecado mortal. Lembro que os abusos começaram quando estes jovens eram coroinhas, ou seja entre 10 e 14 anos, você realmente acha que com essa idade uma pessoa pode dar consentimento a um ato sexual com um velho nada atraente por miseros 5 ou 10 reais? Eu tenho certeza que nao. Eu espero que esses padres sejam estrupados até a morte em uma cadeia cheia de homens pra que eles sintam durante algumas horas o sofrimento de uma vida inteira.
stephano disse…
Não acredito na exploração exagerada desses fatos. O dinheiro do dízimo não é sagrado apenas para os supostos religiosos, devia ser também para os abusados, pois eles tinham idade suficiente para saber o que estavam fazendo, e o vídeo mostra tratar-se de sexo consentido, ou seja, livre e mútuo praticado. Envolve muito mais do que abuso, envolve vício de ambas as partes, acreditando na imunidade e impunidade, além da benesse do oculto, do segredo de consciência. Consciência que falta a ambos, tanto ao religioso, na senilidade, quanto aos denunciantes, exigindo por chantagem o que deveria ser indenização mais do que justa pela justiça.
Anônimo disse…
Esse magno malta é outro também, falou no dízimo só porque é protestante e queria semear cizânia no meio dos crentólicos...Quando começar a virar a maré contra ele vai aparecer os podres dele também...conheço o passado dele, mas não posso falar aqui.
Anônimo disse…
pois eu falo: lavagem de dinheiro pela qual foi indiciado. sabe de mais?
Anônimo disse…
formação de quadrilha, corrupção passiva
(pelas quais respondeu em 2007)
sabe de mais???
Anônimo disse…
magno malta? não pode ser séria uma cpi dessas.
e cadê a outra, do ceará, cujo escritório é um
ninho de sáficas? sei não, mas botar toda essa
cambada de pedófilo pra cuidar de juizado da
infancia e juventude, promotoria, naum sei mais
o que, naum é a mesma sacanagem da Igreja? Parece
que já tah marcado, tipo assim, quem vai tomar
conta da infância eh o pedófilo tal, dos adolescentes é o sicrano, das prostituas mirins é a tal: acabar quem duvide da teoria das conspirações.!
Anônimo disse…
Gente , vamos acordar, vamos parar de sermos enganados...este ano é ano de eleição, vocês n
ão percebem que tudo isso é pra tirar a atenção da gente nos nossos problemas reais...vamos esquecer todas estas baboserias religiosas, vamos discutir a pol´tiica que é melhor.
Anônimo disse…
Um cara velho como esse bispo,de imaginar já causa repulsa, abatido e acabado pegando o dinheiro do dízimo dos fiéis ,se ele sabia dos outros padres que assim agiam e nada fazia sendo o superior hierarquico deles e tendo um passado obscuro é muito provável que abusasse dos coroinhas igualmente aos seus comandados,para

estipendiar meninos para sexo.POUCA VERGONHA.
Agora esse hipócrita desse Magno Malta estranhamente não investigava os inúmeros casos de pedofilia dos pastores evangélicos.