Anestesistas desconhecem casos de alucinação sexual de pacientes

imageO anestesista e advogado Irimar de Paula Posso (foto) utiliza o propofol há mais de 20 anos em clínicas de reprodução assistida e no Hospital das Clínicas das Faculdade de Medicina da USP e garante que, nesse tempo todo, nenhuma de suas pacientes apresentou “comportamento amoroso” ou “alucinações sexuais”.
“Se isso ocorresse, muitas clínicas teriam o problema.”

Posso é um dos médicos ouvidos por Fabiane Leite e Karina Toledo, do Estadão, que não endossam a afirmação de Roger Abdelmassih de que a droga apresenta esses efeitos colaterais na proporção de 3% a 4% das pacientes.

Abdelmassih, o mais conhecido especialista em fertilização in vitro do país, está sendo acusado por 54 ex-pacientes (até a tarde desta segunda) de abuso sexual. Há inclusive o relato de uma mulher de Minas que teria sido estuprada.

O também anestesista Alberto Vasconcelos, da maternidade Pro-Matre, de São Paulo, afirmou que nunca teve paciente com sonhos ou alucinações eróticas. “Geralmente, elas relatam sonhos sem essa conotação.”
Desde que o caso passou a ser noticiado, no começo do mês, esta é a primeira vez que médicos autorizam jornalistas a publicar seus nomes.

Pacientes que passaram pela clínica de Abdelmassih e por outras afirmam que os especialistas em reprodução humana assistida sabiam dos abusos.

“Os médicos eram informados pelas pacientes e não tinham como provar, mas também ninguém se interessou em obter as provas”, disse uma ex-paciente.

“Eles foram corporativos em prejuízo das pacientes, da ética e da medicina.”

José Eduardo Neves, diretor médico da AstraZeneca, laboratório que produz o Diprivan (medicamento de referência do propofol), disse que é muito raro ocorrer desinibição sexual.

Pela literatura médica dos Estados Unidos, a reação se manifesta em menos de 1% das pacientes.

No ano passado, Abdelmassih foi intimado duas vezes a depor no Ministério Público, mas ele não compareceu alegando problema de saúde. Havia então menos de dez denúncias formalmente registradas. O médico vai ser chamado de novo, mas agora a sua situação é mais complicada por causa das denúncias que se acumulam e parte de mulheres de diferentes Estados.

Inicialmente, o médico dizia que as denúncias eram parte de um complô de concorrentes para desacreditá-lo. Agora fala dos supostos efeitos colaterais do propofol.

Um médico que não quis se identificar disse a este blog que o caso poderá ter “desdobramentos inesperados se não for abafado”.

Abuso sexual não foi alucinação, diz ex-paciente do dr. Roger.
26 de janeiro de 2009

> Caso Roger Abdelmassih.

Comentários

Anônimo disse…
Taí, tava demorando, a culpa é das pacientes, ou clientes, como elas são chamadas naquela arapuca montada pelo monstro Abdelmassih.
Elas quando tomavam a anestesia,não conseguiam resistir ao Don Juan bigodudo! E ele não podia desapontá-las, é claro!
Façam-me o favor, esta foi demais!!!!
Anônimo disse…
Esse Abdelmassih é um Maníaco do Parque de jaleco branco!
Anônimo disse…
TRÊS PESADELOS COM A CLÍNICA DO DR. ROGER
1º - Aceitei fazer um tratamento longo e desgastante física, psicologicamente e financeiramente? SIM.
2º - Fui incapaz de ter um filho? SIM.
3º - Sou mais uma daquelas que foram molestadas e abusadas por esse médico: NÃO SEI !!! Esta última dúvida é a que mais me angustia.
O meu apoio e solidariedade com todas as mulheres que por lá passaram.
Anônimo disse…
O médico que não quis se identificar na declaração a este blog, poderia esclarecer melhor a todos, o que quer dizer com, "desdobramentos inesperados se não for abafado".
Para cada caso denunciado, deve haver muitos outros ocultos, que irão aparecer a medida que o caso evoluir.
Minha solidariedade as vitímas, já quanto a este indivíduo,lembro que: "seu martírio apenas começou".
Anônimo disse…
A minha tristeza é saber que muitos médicos se ausentam, ignoram o ocorrido, pensando que assim agem em favor da própria classe, não denunciando ou acusando um colega. Esquecem-se, entretanto, que também tem culpa os que se omitem.
Anônimo disse…
Queria entender pq as pessoas tem tanto medo de denunciar o tal Dr Roger, não são só as mulheres abusadas que tem medo são tb profissionais da área que sabem de tudo e tb ex-funcionários, até mesmo os funcionários que ainda continuam trabalhando lá, será que o povo não percebe que a união faz a força, se o caso "abafar" com certeza a justiça não será feita e o "enviado de Deus" vai continuar se sentido o coitadinho prejudicado.
Sei que deve ser difícil denunciar uma pessoa titulada como poderosa e famosa, mas só assim teremos a justiça ao nosso lado, não vamos nos calar, ele sabe muito bem o que fez e uma hora sua consciência vai pesar.
Anônimo disse…
Eu só não consigo entender uma coisa... Como o CREMESP ainda não interrompeu, mesmo que provisoriamente, a licença desse "doutor".
O sujeito continua atendendo normalmente. Que cara-de-pau, que "sem-vergonhice".
E o séquito dele. Com certeza todos seus bajuladores...repito, todos -desde a faxineira até seus colegas um deles presidente da Sociedade Brasileira de Reprodução Humana- sabiam com certeza o que acontecia no consultório do dono psicopata da bela clínica na Av. Brasil de São Paulo. Um abominável desvio sexual.
Acho que a justiça tem a obrigação de agir logo e arguir todos os funcionários desse antro. Seus cúmplices.
Se apertar tenho certeza que a verdade aparecerá. E, claro, teremos então uma quadrilha ,pois saber e encobrir; seja por dinheiro, por covardia, por apatia... não concede inocência a ninguém.
Anônimo disse…
A fala do presidente do Cremesp hoje no programa do Datena (Band), mudou... Algo já aconteceu. Vai virar pizza. Só resta a sociedade civil e a opinião crítica de todos que acompanham o processo. O CRM vai protegê-lo. Vocês esperavam o que???
Tereza disse…
Olá, Paulo Lopes

Parabéns pela cobertura que vem dando a este caso, sua postura é um conforto para nós mulheres. Gostaria de destacar dois pontos desta lamentável história: a primeiro é poder fascinado que a categoria médico exerce sobre o imaginário social, a tal ponto de nos amedrontarmos diante deles, de negarmos o que sabemos sobre o nosso corpo e seu funcionamento. Essa imagem é reforçada pela classe médica que exibe seu jaleco branco como signo de um status que poucos alcançam neste país tão perversamente desigual; o segundo ponto é o conceito operativo de ética para esta categoria profissional. Ela só tem efeito para garantir as relações no interior do exercício da profissão. È uma ética pelo avesso que mascara o corporativismo no seu pior sentido e não protege o paciente. Por essa razão eles barbarizam e fica por isso mesmo. E, dessa forma construímos a muralha do silêncio.
Parabéns a todas as mulheres que estão fazendo as denúncias. Meu apoio moral, ético e afetuoso a todos as mulheres vítimas que, por razões diversas, não puderam denunciar o seu sofrimento.

Tereza Cristina
Salvador-Ba
Anônimo disse…
Senhor Paulo Roberto Lopes , o Senhor é um Jornalista que honra a classe da Imprensa. Vejo aqui denúncias estarrecedoras que, em qualquer País civilizado teria uma atitude imediata. Esta Senhor, chamado de Dr. Monstro, continua exercendo o seu ofício? Acredito que se alguma mulher se aventurar a procurar esta Clínica ou a sua auto estima está no fundo do poço ou não se dá o respeito. Tenho a certeza que esta Clínica dos horrores deixará de existir brevemente. Uma dúvida: Será que a Senhora Assíria , ex-esposa do Pelé também foi molestada quando estava sedada? Louco é louco em qualquer situação. O lamentável é que até agora 54 mulheres tiveram a coragem de mostrar a cara. Será que chegaremos às 200, 500, 1000, 2000, mulheres molestadas? Meu Deus faça algo!
Patrícia disse…
Realmente só apelando para Deus, com o poder e o dinheiro que este homem tem. Meu apoio às pobres vítimas. Meu repúdio a esta barbaridade visivelmente real.
Anônimo disse…
Anônimo pergunta. Nos procedimentos dentro da clínica do Dr. Roger, não havia acompanhamento de enfermeira ou assistentes. Ele estava sozinho com estas mulheres abusadas?
Anônimo disse…
SOU MÉDICO!
É FÁCIL: O MP E O CRMSP DEVE OUVIR OS COLEGAS QUE TRABALHARAM COM ELE NOS ÚLTIMOS 15 ANOS. OU, FAÇAM DNA. É SABIDO Q ELE TROCAVA O MATERIAL DAS PACIENTES E DOS MARIDOS. É IMPOSSÍVEL TER RESULTADOS TÃO MELHORES QUE AS OUTRAS BOAS CLÍNICAS. NADA DE DIZER QUE É COISA DA CONCORRENCIA, DEPOIS DO FÁRMACO "PROPOFOL", QUANDO TODOS ANESTESISTAS A USAM E NUNCA TIVERAM ALUCINAÇÕES SEXUAIS, OU ESTÍMULOS SEXUAIS. O QUE ELE VAI INVENTAR AGORA??? eSTE CASO NÃO ESTOUROU ANTES, PORQUE TEM UM MÉDICO DA CLÍNICA DELE, QUE FAZIA PARTE DA DIRETORIA DO CRESP. HOUVE ELEIÇÕES, E A COISA VEIO A TONA!!! BOM TRABALHO , AGORA , AO NÍVEL DE MP E DELEGACIA DE POLICIA!
É ÓBVIO QUE TEM COISA AÍ!!!
Atenção: ofensas não serão publicadas.
Anônimo disse…
Sr Paulo Roberto parabens , na oportunidade poderia copiar aqui para todos a fala do Presidente do CRM SP no programa do Datena.Grato
Anônimo disse…
Como era de se esperar o CREMESP ja esta absolvendo o médico por antecipação.
Corporativismo ou cumplicidade! Credibilidade nenhuma. Moral e ética nem pensar. CFM deve seguir o mesmo caminho.
Esperamos pela dignidade do Ministério Público de São Paulo e dos delegados encarregados do caso.
Anônimo disse…
Resposta: Na sala de repouso, após a aspiração de óvulos, procedimento que exige sedação, a paciente ficava sozinha, era exatamente neste momento que ele atacava.
Anônimo disse…
Também sou médico e tenho pacientes que confidenciaram-me a mesma tática de assediamento do Sr Roger , e também tenho informações não comprovadas de que havia troca de material genético nas suas fertilizações ...
Algumas perguntas ficam sem respostas ainda , qual é o nome do médico de sua equipe que faz parte da diretória do CRM ???
Segunda questão sem resposta , a sua equipe no mínimo é conivente ...
qual é a sanção a eles ??? a vigilância sanitária por muito menos tem fechado clínicas e consultórios de forma sempre truculenta e mesquinha , que é o nosso ganha pão de todos os dias ... e não fez nada em sua clínica suntuosa da Av. Brasil ...
Terceira questão porque o CRM não lança mão de sua prerrogativa de cassação temporária de sua licença médica até o final das investigações ??? como fez em casos anteriores mesmo sem provas evidentes como estas , que já atinge o numero de 60 mulheres que tiveram a coragem de se expor , e aquelas que preferem o anonimato , artistas e políticos ou outras autoridades ???
quarta e última , estamos mais uma vez diante de uma situação de dois pesos e duas medidas ???