Para 49% de 23 países, religião faz mais mal do que bem


Índice do Brasil é 37%

A religião faz mais mal às pessoas do que bem, de acordo com praticamente metade (49%) de 23 países pesquisados pelo instituto Ipsos Global.

A Bélgica apresentou o maior índice dessa percepção, 68%.

Em seguida, empatados em 63%, estão Alemanha, Espanha e Austrália.

O Brasil está entre os países de índices mais baixos de rejeição à religião, com 37%, seguido somente pela Coreia do Sul (36%), Rússia (36%) e Japão (26%).

Metade dos brasileiros respondeu que a religião o define.

O instituto ouviu 17.401 pessoas de 16 a 64 anos em julho de 2017.


Seguem outras apurações.

- A Índia se destaca como país cuja população mais associa religião à moralidade, com 78%. África do Sul está em segundo lugar (76%).

- Do total das pessoas consultadas, 74% afirmaram que se sentem “completamente confortáveis” com crenças diferentes da sua.

- Na média total, 16% das pessoas admitiram não ter respeito por pessoas de outras religiões. A Índia se sobressai com o mais elevado índice, 46%. Turquia aparece em seguida, 24%.

- O Japão apresentou o menor índice (14%) quanto à questão “a minha religião me define como pessoa”. Seguem a Suécia (17%), Grã-Bretanha (23%) e França (23%).

Com informação e gráfico do Ipsos Global.




Dan Brown afirma que não precisa de Deus para ser bom

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.