Empresas podem vetar símbolo religioso, diz Tribunal Europeu


Decisão vale para véus islâmicos
O TJUE (Tribunal de Justiça da União Europeia) decidiu que empresas privadas podem proibir o uso por seus funcionários de símbolos religiosos ou qualquer outro sinal visível de convicções políticas e filosóficas.

Tal proibição não constitui discriminação, disse o tribunal em nota.

A mais alta corte europeia se manifestou sobre a questão a propósito de dois processos envolvendo muçulmanas que, na Bélgica, foram impedidas de usar o véu islâmico quando estavam em contato com clientes.

Os cristãos não gostaram da decisão porque a partir de agora, a rigor, eles não poderão usar ostensivamente símbolos como crucifico em correntinha de pescoço.

Com informação das agências.

Envio de correção.

Deputados holandeses vetam véu islâmico em local público