Espanha fecha um mosteiro por mês por falta de vocações


País tem mais de 800 mosteiros
por Jesus Bastante
para Vida Nueva

A falta de vocações e a ausência de entradas precipitam os fechamentos; algumas comunidades religiosas pedem ajuda a bancos de alimentos.

“A situação de muitos conventos femininos é muito alarmante e preocupante. Há falta de vocações e muitas comunidades estão fechando", diz o padre claretiano Eleutério López, diretor do Claune, instituto pontifício que se dedica a suprir as carências materiais e de formação dos conventos espanhóis.

 "Mais de mosteiro é fechado por mês na Espanha.”

A revista "Vida Nueva" elaborou um relatório que revela que dois terços dos 800 mosteiros existentes no país – dos 3 mil que há em todo o mundo – estariam em situação de serem fechados sem demora.

O motivo?

As doações diminuíram e os trabalhos que as irmãs tradicionalmente faziam – como a confeitaria – já não são suficientes para cobrir os custos, reabilitar os históricos mosteiros e cobrir as cotas da Seguridade Social.

De fato, há conventos que não chegam nem aos 100 euros brutos ao mês de ingressos e se viram obrigados a recorrer aos bancos de alimentos para poder comer.

“Não se trata de um caso excepcional. Conheço muitas congregações”, explica o padre Eleutério, cuja organização destinou, em 2016, meio milhão de euros para auxiliar 50 comunidades em dificuldades.

Um exemplo deste inverno vocacional é o mosteiro das irmãs capuchinhas da localidade de San Fernando, de Cádiz. 

Em janeiro de 2017, as quatro últimas religiosas deixaram o convento – todas elas octogenárias – após 128 anos de presença na Ilha, para transferir-se para a sede que sua congregação mantém em El Puerto de Santa María.

Com tradução de André Langer para IHU Online.

Envio de correção.

Grupo de discussão no WhatsApp.

Igreja Católica da Alemanha vai fechar 75 paróquias em 7 anos