Justiça proíbe Santa Bárbara de financiar Marcha de Jesus



A Justiça paulista proibiu o prefeito Denis Andia (PV), de Santa Bárbara d’Oeste, de liberar recursos para Marcha de Jesus, que se realiza naquela cidade no segundo domingo de dezembro.

Denis Andia
Prefeito Andia 
não tem respeito
 pelo Estado laico
Se a decisão for desrespeitada, a prefeitura pagará multa de R$ 100 mil.
A cidade tem cerca de 180 mil habitantes e fica a 138 km de São Paulo.

No entendimento da Justiça, o apoio financeiro oficial ao evento evangélico fere o princípio da laicidade do Estado.

A sentença cita a Constituição segundo a qual nenhuma instância do poder público pode aplicar recursos em eventos religiosos, mesmo em campanha de utilidade pública como o combate às drogas.

A prefeitura não informou quanto dinheiro ia dar ao Copasbo (Conselho de Pastores de Santa Bárbara d'Oeste), alegando que essa seria a primeira vez que apoiaria a marcha.

A administração municipal argumentou que o repasse de dinheiro seria feito porque o evento faz parte do calendário oficial da cidade. Para a Justiça, contudo,  isso não serve de justificativa para abrir os cofres públicos aos evangélicos.

A Justiça apenas concordou que a prefeitura cuide da segurança, higiene e saúde pública dos locais por onde passar a marcha.

A decisão não é inédita porque outras cidades têm sido proibidas de financiar um evento que cada vez mais marcado por uma retórica conservadora e pelo proselitismo de religiosos cujo objetivo é fazer política partidária.

Com informação das agências.



Justiça manda tirar Marcha para Jesus do calendário de Brasília