Paulopes

Religião, ateísmo, teoria da evolução e astronomia

......................................................................................

domingo, 3 de março de 2013

Jovem que matou três 'falsos cristãos' foge de internato de MS

Dhionatan Celestrino
Celestrino fugiu pela janela
 levando apenas um cobertor
Dhionatan Celestrino (na foto), 21, conhecido como “Maníaco da Cruz”, fugiu sem dificuldade por uma janela da Unei (Unidade Educacional de Internação) de Ponta Porá (MS) onde se encontrava desde 2008 por ter matado três pessoas em Rio Brilhante consideradas por ele como “impuras”. Os corpos eram deixados em forma de cruz para, segundo ele, a alma dos “falsos cristãos” obtivesse logo o perdão divino.

Ele matou por asfixia o pedreiro Catalino Gardena, 30, por ser alcoólatra e gay; a frentista Letícia Neves de Oliveira, 22, por ser lésbica; e a estudante Gleice Kelly da Silva, 13, por ser usuária de drogas. Sempre de acordo com o seu julgamento.

Antes de decidir quem matar, ele conversava com a pessoa para avaliar o seu caráter. Uma jovem de 17 foi poupada  porque ela lembrava a namorada dele.

Na época, quando foi descoberto, a polícia encontrou no quarto de Celestrino uma foto de Francisco de Assis Pereira, que ficou famoso na década de 90 como Maníaco do Parque por ter matado pelo menos seis mulheres. O jovem disse que Pereira era seu ídolo e que seu objetivo, até ser preso, era superá-lo em número de mortes. “Peguei gosto por matar”, disse a um jornalista.

A população de Rio Brilhante sempre temeu que Celestrino escapasse da Unei ou que fosse solto quando completasse 18 anos. A ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) impede que o jovem continue detido após essa idade. Mas a Justiça, com base em laudo psicológico, o manteve detido por considerá-lo perigoso para a sociedade.

Em fevereiro de 2012, a pedido do Ministério Público Estadual, o Tribunal de Justiça do Mato Grosso do Sul decretou a interdição cível de Celestrino por insanidade.

Ele teria de ser transferido para um hospital psiquiátrico, mas nenhum estabelecimento quis aceitá-lo para não colocar em risco seus funcionários e pacientes.

Corpos das vítimas eram deixados em cruz

Vítimas do Maníaco da Cruz
Vítimas do Maníaco da Cruz: o pedreiro Catalino Gardena, 30;
a frentista  Letícia de Oliveira, 22; e a estudante Gleice da Silva, 13 





Com informação deste site e do Aquidauana News.

Carla conta como sobreviveu ao ataque do Maníaco da Cruz
outubro de 2008

Caso do Maníaco da Cruz

Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...