BBC Brasil destaca empenho da Atea na defesa da laicidade

Daniel Sottomaior
Sottomaior disse que associação
cumpre um dos seus objetivos
O serviço noticioso para o Brasil da rede britânica BBC deu destaque ao empenho que a Atea (Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos) tem feito em defesa do Estado laico brasileiro, informando que, nesse sentido, a entidade já encaminhou 16 representações ao Ministério Público.

Entre as representações, informou a BBC Brasil, há uma que contesta um projeto de lei da Câmara Municipal de Araguaína (Tocantins) que impõe a leitura da Bíblia nas escolas públicas. Há também outra que visa impedir que os vereadores de Juiz de Fora (MG) aprovem o uso dos contracheques dos servidores para veicular mensagem cristã.

Daniel Sottomaior (foto), presidente da Atea, disse à BBC Brasil que a associação, com essas representações, tem cumprido um dos seus objetivos, que é possibilitar aos ateus uma personalidade jurídica de modo que possam inquirir as autoridades em assuntos como esse, o da laicidade.

Sottomaior falou da atuação da Atea no caso que resultou na condenação da TV Band por permitir que o apresentador José Luiz Datena propagasse preconceito contra os ateus ao comentar um assassinato em seu programa, o "Brasil Urgente".

"Nós estávamos monitorando as falas do Datena”, disse. “Assim que ele disse isso, postamos no nosso site o material e dissemos às pessoas: 'Se sentiu ofendido? Se manifeste', e demos orientações sobre o que fazer. O Ministério Público recebeu diversas representações, o que gerou a ação."

Pela sentença do juiz federal Paulo Cezar Neves Júnior, a emissora terá de esclarecer os espectadores sobre a importância da liberdade de religião, o que inclui não ter nenhuma crença. A Band poderá recorrer da decisão.

Para a BBC Brasil, a mobilização dos ateus, agnósticos e humanistas em defesa do Estado laico tem sido uma resposta aos parlamentares da “bancada teocrática” no Congresso Nacional.





Com informação da BBC Brasil.



23 comentários