Paulopes

Religião, ateísmo, ciência, etc.

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Pró-gays acabam com caravana de ultraconservadores no PR

Manifestantes chamaram os
IPCOs de falsos moralistas
Com correção e atualização feitas em 25/1/2013

Um vídeo de 17 minutos postado no Youtube no dia 14 (ver um trecho abaixo) mostra manifestantes pró-gay discutindo com militantes do IPCO (Instituto Plínio Correia de Oliveira) em ruas do centro de Curitiba (Paraná).

O IPCO é uma dissidência da TFP (Tradição Família e Propriedade), uma organização católica ultraconservadora que foi fundada em 1960 pelo jornalista Oliveira (1908-1995).

A TFP teve seu auge nos anos 70-80, quando seus integrantes saiam às ruas para alertar a população sobre os perigos do comunismo e dos maus costumes. TFP e IPCO cultuam a Nossa Senhora, mas são organizações misóginas — não aceitam mulheres em seus quadros.

Como nos velhos tempos da TFP, os IPCOs estão fazendo pregação nas ruas de algumas cidades. Em seu site, o instituto diz estar percorrendo o Brasil em "campanha ordeira e pacífica" em oposição à agenda do movimento homossexual  e contra as leis em tramitação da homofobia e do aborto.

Em Curitiba, eles ficaram surpresos ao se verem cercados por homens e mulheres que o acusavam de falsos moralistas e de “bichas” enrustidas. Eles se “defenderam” com sinal da cruz e ave-marias. Os rapazes chamaram de “agressores” os manifestantes pró-gay, e estes gritaram que eles são "assassinos" e “fascistas”.

No site do instituto, há também um vídeo do episódio em Curitiba que dá destaque a alguns manifestantes pedindo que os IPCOs fossem atropelados. Afirma que eles foram "provocados e atacados de maneira vil" pelos ativistas gays.

Reação aos IPCOs

video




Ultracatólicos pregam que a culpa do estupro é da mulher
janeiro de 2013

Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...