Dilma é refém das chantagens de religiosos, diz sociólogo

O governo da presidente Dilma Rousseff se tornou refém das chantagens das lideranças religiosas mais conservadoras e, em vez de resistir, deixa-se enredar cada vez mais. Essa é a avaliação de Pedro Ribeiro de Oliveira (na foto abaixo), doutor em sociologia pela Université Catholique de Louvain, da Bélgica, e professor em ciências da religião da PUC-Minas.

Tal inferência no Estado laico, segundo ele, se deve à desistência dos partidos de proporem alternativas de políticas públicas, aceitando, em troca, cargos e benesses do governo. Os partidos, assim, abriram um vazio que agora está sendo ocupado pelas denominações religiosas, disse o sociólogo.

Oliveira afirmou que, desde o primeiro mandato de Luiz Inácio Lula da Silva, "a política foi reduzida à disputa por cargos no governo e ao processo eleitoral". Com exceção de alguns momentos, "não se debatem mais as políticas do governo e do Estado".

Em entrevista ao site IHU-Online, o sociólogo afirmou que a única forma de resistir aos chantagistas, nesse caso, é obrigando-os a discutir as suas propostas em público, o que o governo não tem feito. "Na ausência de um debate, a posição de pastores, padres e bispos emerge como a única."

Segue trecho da entrevista.

Professor Pedro Ribeiro de Oliveira afirma que Dilma é refém dos religiosos
Oliveira disse que religiosos estão ocupando o espaço dos políticos
De forma geral, qual a importância da religião no cenário político nacional atual? Como a presidente Dilma está lidando com este aspecto?

Quando os partidos políticos abdicam de sua função própria de criticar e de apresentar propostas de políticas públicas e se contentam em disputar cargos e benesses, outras entidades passam a ocupar aquela função. É o caso das igrejas que, no vazio deixado pelos partidos, ganham força política. E a presidente Dilma está mostrando ter pouca habilidade para lidar com Igrejas que fazem política, especialmente se fazem uma política mesquinha. Talvez isso se deva a seu passado militante em autênticos partidos políticos, somado à pouca participação em alguma igreja. Dificilmente caberia em sua teoria esta realidade de igrejas em disputa por benesses políticas.

Como percebe que uma linguagem com fundo religioso sobe cada vez mais ao palco de um Estado que se quer laico? Não vê uma contradição aqui?

Não é bem uma contradição, mas uma concessão ao ambiente sociocultural brasileiro: o governo dança conforme a música. Se a maioria da população rejeita a política e aceita a religião, por que o governo seria diferente? Ele deixa nos bastidores sua meta política de plena inserção no sistema capitalista mundial e traz para o palco midiático as propostas ao gosto das massas, sejam elas de fundo religioso ou tratem de futebol, segurança, habitação, ensino e outras.

O governo Dilma estaria sendo refém de teses conservadoras capitaneadas por setores das igrejas pentecostais, neopentecostais e católica? Religião interferindo demais na política não força um conservadorismo perigoso?

Não é de teses que o governo tornou-se refém, mas sim de autoridades religiosas que buscam imobilizá-lo por meio de chantagens. Em vez de resistir, o governo deixou-se enredar. Ora, contra a chantagem só há uma saída: resistir ao chantagista trazendo-o para a luz do dia, isto é, obrigando-o ao debate público sobre suas propostas. Se o governo abrisse um amplo debate com a sociedade – penso no Parlamento, nos Conselhos de Cidadania, em universidades e em parcerias com ONGs – e lhes desse divulgação midiática, constataria que não há tanto consenso nas igrejas como elas deixam transparecer. Refiro-me aqui a oposição das igrejas (ou, mais precisamente, de algumas igrejas) à descriminalização do aborto e da eutanásia, à distribuição de preservativos, à educação sexual nas escolas, ao combate à homofobia, e sua insistência no ensino confessional nas escolas públicas. Na ausência de um debate, contudo, a posição da autoridade eclesiástica – pastores, padres e bispos – emerge como a única.

Como o senhor analisa a nomeação do senador Marcello Crivella (PRB-RJ) para o Ministério da Pesca?

Crivella sempre defendeu no Senado os interesses corporativos de igrejas neopentecostais, como a regulamentação da profissão de teólogo. Alçado agora à posição de ministro, ele terá acesso mais direto à presidente para fazer suas reivindicações e assim atender a suas bases. Mas é preciso ter presente que seu ministério não é sem importância, porque a pesca é um dos principais fatores de extinção de espécies aquáticas e falta uma política pública bem equacionada para o setor. Se ele tiver um comportamento realmente republicano e olhar em primeiro lugar os interesses nacionais e do sistema de vida do Planeta, poderá trazer uma grande contribuição, mas muito me surpreenderia se isso acontecer.

Como o senhor interpreta a posição da presidente Dilma em recuar e suspender a distribuição do kit anti-homofobia nas escolas? O que esse gesto sinaliza sob a condução da questão da homossexualidade no governo?

Há no caso uma questão eleitoral: a candidatura de Fernando Haddad em São Paulo, que não pode desperdiçar nenhum voto sob pena de perder a eleição. Nessa caça aos votos dos evangélicos a concorrência é feroz, e, sendo em geral um eleitorado pouco politizado, a argumentação política tem menos força do que uma argumentação religiosa ou moralista. Lamento ver o governo Dilma abrir mão de propostas políticas inovadoras por medo de perder uma eleição municipal.





Com informação do  IHU-Online.

Crivella fala contra aborto e Menicucci tem de ficar calada
março de 2012

Religião na política.     Religião no Estado laico.


Comentários

  1. Rsrsrsrsrs

    Nenhuma novidade, isso já foi dito nesse blog e não sou sociólogo.

    ResponderExcluir
  2. Também sou sociólogo e não concordo com essa avaliação. Troca de apoio político por cargos no governo não é nenhuma novidade, é traço típico do Estado brasileiro, então o primeiro equivoco é dizer que isso começou com o governo Lula. Mas a questão principal que governar exige fazer alianças, composições, negociar; significa que o governo eventualmente deverá ceder em alguns pontos para ganhar em outro. Exemplo disso foi a nomeação de Marcelo Crivella para o inexpressivo ministério da pesca, o que acabou tirando o foco da ministra de política para mulheres, Eleonora Menucci, que estava sendo bombardeada pelos evangélicos por sua posição favorável ao direito ao aborto. A manuntenção da ministra tem importancia muito maior para a construção de um estado laico do que eventual prejuízo que a presença de Crivella na pesca venha a ter. O fato é que a bancada religiosa é forte e influente; criticar as posições do governo, que é claramente favorável ao estado laico, é dar munição para os inimigos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O problema é que os evangélicos estão demonstrando sede pelo poder e, se ninguém os deter, este país corre o risco de um dia virar uma teocracia.

      Excluir
    2. Você está enganado, Chico. Porque, se o que você diz fizesse sentido, o Carvalho não teria dito isto: Petista quer disputar com líderes evangélicos a influência na classe C.

      Excluir
    3. Chico Amargo

      Acho que o sr. esta ignornado certos fatores.

      - Concordo que isso não começou com o governo Lula, mas as vantagens não iam diretamente para um setor da sociedade, como tem sido no caso dos evangélicos.
      - Uma ideologia politica, não deve mudar, só porque vc terá que enfrentar dificuldades para mante-la ou instala-la.
      - A meu ver, o sr esta divagando e muito, sobre a construção de um estado laico. Não adianta ter um ministro que aprova o aborto e ter a maioria dos responsaveis pela aprovação das leis, contra ele. Isso não é "construção de um estado laico" como o sr. afirma, mas um massacre.

      A nossa presidenta esta mais preocupada em fazer politica para as mulheres e para não desagradar os opositores do governo do que fazer algo pelo povo. Um ótimo exemplo é a usina de Belo Monte. Para mim ela esta se acovardando frente aos seus adversário politicos.

      Excluir
    4. Verdade. É a praga da tal "governabilidade". O governo, seja qual for, precisa comprar apoio.

      Excluir
    5. O sociologo não fala que isso é exclusividade dos governos petistas más que se agravou em demasia e se tornou uma praxe mais comum,sob a batuta dos governos deste partido!!

      Excluir
    6. Concordo plenamente,Chico. Mesmo Abraham lincoln, nos eua, barganhou cargos e comprou apoio de muitos para a causa abolicionista. Observe o peso da causa. O fim da escravidão. Seria inocência achar que troca de benesses, barganha e compra deapoio existisse de Lula pra cá. Na verdade mensalão é um cancer que me arrico a dizer que existe em todos os estados da nação.Lógico que se trata de práticas antigas. No entanto, agora vejo a existencia de um partido intitulado "cristão", temos uma bancada teocrática, que quer impedir ou aprovar leis e emendas com base em suas crenças ao invés de se pautar nas demandas sociais e no livre pensamento. Tudo fruto da permissividade execessiva dada a religião, que viu na teologia do "toma, senhor, a tua parte e dai-me 10 vezes mais" dos evangélicos um apelo popular que consegue angariar não só fundos,mas votos.Para isso, o espaço na mídia tem contribuído grandemente, de forma que hoje temos uma bancada teocrática, que consegue colocar Marcelo Crivela como ministro e Marcos feliciano como presidente da comissão de direitos humanos e das minorias. O que mais devemos esperar? O retorno ao heliocentrismo? Adianto que apenas discutir o fato já é o sinal do regresso que atingimos. Temos que repensar os limites a que líderes religiosos devem estar sujeitos. Ganharíamaos muito se um empresário não pudesse ter vários veículos de mídia e que a igreja fosse considerada tb um espaço midiático, já que alí se difunde idéias. Mídia,política e igrejas deveriam ser proibidas de se misturar.

      Excluir
  3. É uma vergonha um governo dito de esquerda. Se prestar para retroceder no tempo, buscando ganhar eleições a custa de abrir mão dos direitos alcançados pelo povo. Atraso não leva ninguém a nada e alugar algum.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo!

      Originalmente a esquerda era ateísta, né? rsrs.

      Excluir
    2. Não há de se envergonhar, pois as igrejas representam o povo menos aculturado. Mas dizer que a esquerda é formada por ateus é outra, parece-me a mim, coisa muito estranha.

      Excluir
  4. Hey gente, não finjam ser tão ingênuos assim..:D

    ResponderExcluir
  5. O Brasil vai virar uma ditadura teocrática, isto é uma coisa óbvia, o triste é que esta transformação tenha atingido o seu ápice justo no mandato de uma presidente atéia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente, contigo Amoníaco.


      Infelismente temos uma presidente covarde, que tem medo de enfrentar seus opositores e acha melhor fazer politicas e leis voltadas para as mulheres, visto que assim não atinge nem causa desconforto a ninguem.

      Pra que colocar em pauta leis sobre aborto, eutacomazia, homofobia, reforma fiscal, imposto unico, não é mesmo ? Isso tudo não tem nenhuma urgencia para o povo.

      Excluir
  6. Não, ela é refém dos gastos exorbitantes do governo, da máquina inchada, até da FIFA que com as benção de Lula empurrou goela abaixo de todo mundo, da corrupção que tomou conta de norte a sul.

    o Estado é formado pelos seus cidadãos, se existe grande números de cristãos na política é porque assim que o povo.

    Olha só o Zé Dirceu esta na geladeira mas vive fazendo Lobby, o Genoíno levou um pé no traseiro nas eleições mas tá lá bem empregadinho no governo.

    Refém de que, Kit gay nas escolas?, Pl122? liberação do aborto? casamento gay? este deram um jeitinho e fizeram o judiciário legislar no lugar do legislativo.

    Refém esta o povo, com uma das cargas tributárias mais alta do mundo e não tem retorno nenhum.

    ResponderExcluir
  7. Quando a bancada evangelica FALOU QUE IA PRESSIONAR O GOVERNO SOBRE O KIT GAY, E AMEAÇOU IR CONTRA O ANTONIO PALLOCI FICO BEM CLARO ISSO A DILMA RETIRO O KIT GAY E A BANCADA EVANGELICA NEM FALO MAIS NO ANTONIO PALLOCI.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agora lhe pergunto: onde esta a PF, ministério público? quem tem que investigar o Palloci são os evangélicos?

      Quem poe uma CPI no congresso ? quem tem os lideres e a maioria?

      Quer dizer que se não houvesse a moeda de troca (Kit Gay, Aborto e Pl122) o Palloci estava lá até agora?

      De quem a Dilma é "refém" ?

      Pelo amor de Deus !

      Excluir
    2. Falou em gays o templário reprimido reaparece! rs

      Excluir
    3. AnônimoMar 17, 2012 03:05 PM

      Se liga cara, vai rezar vai.

      Excluir
    4. mas nao é uma vergonha kit gay nas escolas,se deixar vai querer bota kit gay nas creches,tenque barrar assa vergonha,

      Excluir
    5. Mas a PF ou o MP não podem tomar as vezes do congresso.E ainda que pudessem,o que não podem por cláusula constitucional ou por lei,isso não justificaria a atitude feia da bancada evangélica.Esse templário tem uns argumentos ridículos.

      Excluir
  8. Continuo tendo fé na Dilma!
    Essa garota já esteve rodeada de militares, todos rugindo e querendo sua morte. Ela já esteve rodeada de torturadores, foi humilhada como mulher e por ser uma mulher contestadora. Os homens que a torturaram acabaram criando uma nova pessoa. Criaram uma mulher com malícia masculina, capaz de dar um murro na mesa e acabar com a festa a qualquer hora!
    Os Evanjegues que se cuidem e tratem de andar na linha.
    Dilma respeita a vontade popular, coisa que defendeu desde jovem. Entretanto, não vai tolerar dinheiro na cueca e coisas do tipo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Respeita a vontade popular desde jovem? vá estudar rapaz

      A verdeira vontade popular partiu do povão em 1964 1 milhão de pessoas saíram as ruas comemorar a queda de Goulart e o fim dos atos terroristas.

      o Dinheiro na cueca é do deputado do Pt pelo Ceará, irmão do Genoíno que esta empregado no ministério da defesa.

      Vai estudar rapaz.

      Excluir
    2. Nossa te ipnotizo


      Agora chutou o pau da barraca.... rsrsrsrs

      Mas foi bem lembrado.

      Excluir
    3. Nada foi provado contra o Genoíno.Ele tem de responder pelo irmão?Esse templário tem uns argumentos ridículos.

      Excluir
  9. O fato de não querer em certos assuntos já mostra o quanto ela esta vendida , só vou votar quando existir um presidente laico e que esteja afim de sacrificar sua vida política pelo brasil e não se vendendo por votos e nem por partidos. Como disse o âncora do jornal da bandeirantes os políticos estão atrasados com relação ao povo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apoiado, Amoníaco.

      Sou da mesma opinião....

      A dilma poderia ser essa pessoa, mas se mostrou fraca demais...

      Excluir
    2. Eu não sabia que ancoras falavam....

      Bom, em terra aonde burros e cobras falam, acho que deveria mesmo esperar alguma coisa assim.

      Excluir
    3. AnônimoMar 17, 2012 04:27 PM:
      Putz véi! Na boa véi, na boa...
      O âncora que ele diz é o narrador do telejornal...

      Olha aí: http://pt.wikipedia.org/wiki/Telejornalismo

      Excluir
    4. Baphomet,claro que ele usou de ironia.

      Excluir
  10. não querer tocar em certos assuntos *

    ResponderExcluir
  11. Fieis são altamente influenciados por seus pastores, manipulados, são usados como forma de chantagem pelos crapulas em busca do poder. Os interesses nacionais de quem e justo e trabalhador nao são levados em conta.

    ResponderExcluir
  12. http://www.youtube.com/watch?v=_TQOGKQZ9s4&feature=related aqui tem uma demonstracao, a falta de respeito do silas chamando a Diretora Geral da PRF de palhaca, e ameacando ir chorar pra Dilma pq a policial cumpriu seu dever de dar seguranca, os evangelicos agora querem passar ate por cima da policia, ta dominado! ta tudo dominado! .
    Como se ja nao me bastassem os traficantes.

    ResponderExcluir
  13. Para quem pensa que Deus está dormido acorre num grave erro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não penso que Deus está dormindo, penso que Ele está morto.

      Excluir
    2. eu não penso que ele esta morto, alias amigos imaginarios não são seres vivos

      Excluir
    3. Ele nao ta dormindo nao... Ele simplesmente nao tem tempo pros ratinhos de laboratorio dele.

      Excluir
    4. Ele não ta dormindo, ele ta acorrendo!

      Excluir
  14. O povo merece o governo que tem. Parece que a única saída para um país verdadeiramente laico é a diminuição da religiosidade da população. Mas por onde começamos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com investimento pesado em educação, óbvio.

      Excluir
    2. Sim com a educação,temos que formar jovens com inteligência mais critica e logica de pensar,a invés de reduzir as aulas de sociologia e filosofia,deveriam aumentar as aulas que te ajuda a ter um raciocínio critico

      Excluir
    3. Isso foi feito no início da nossa República pelos positivistas. Eles criaram o melhor ensino já feito. Separaram o Estado da religião.
      Mas os evangélicos cresceram e o Brasil regrediu.
      Agora o ensino público é um lixo.
      Grandes homens que hoje tremem em seus túmulos ao ver o Brasil nessa situação e não uma potência científica.

      Excluir
    4. Isso já foi feito no início da República pelos positivistas.
      Eles criaram o melhor ensino público já feito, ensino científico.
      Eles separaram o Estado da religião.
      Mas os evangélicos cresceram e o Brasil regrediu.
      Hoje o ensino é um lixo e voltou a ter aula de religião.
      Grandes homens que hoje se reviram em seus túmulos ao ver o Brasil atual e não a potência que eles quiseram.

      Excluir
  15. Tinham que proibir evangélicos no governo. Eles governam de acordo com suas doutrinas ultrapassadas. Atenção, povo, não votem em crentes. Eles são um atraso de vida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo marcelo

      Excluir
    2. Se esta situação continuar avançando do jeito está, no que se diz religião em meio a política; futuros candidatos passando a mão na cabeça destes fiéis novos pentecostais com interesse eleitoreiro, imaginem o que virá daqui alguns anos, quem viver verá. Caso nossos representantes lá em Brasília não consigam estancar esta sangria que já se mostra a gotejar, em breve teremos um futuro nefasto.

      Excluir
  16. Kit-antidiscriminação nas escolas, os bullyngs que mais ocorrem são o homofobico, social, racial, cultural e contra deficiente.

    ResponderExcluir
  17. A Record detonou o Valdemiro hoje no programa do Paulo Henrique Amorim.

    ResponderExcluir
  18. Temos que tomar cuidado antes que esses religiosos tornem o país numa teocracia, e todos sabem que nenhuma teocracia presta!!

    ResponderExcluir
  19. Triste isso. E o pior é que a oposição vive de braços dados com os evangélicos também, até mais acintosamente, se lembrarmos que Malafaia pediu voto para Serra, e o mesmo começou sua campanha no congresso nacional da assembléia de deus em balneário camboriú.

    Em suma, se correr o bicho pega, se ficar o bicho come...

    ResponderExcluir
  20. País laico, justiça imparcial, na teoria no papel, existe, e é muito bem escrito. Mas na realidade isso não acontece, a política existe pelas pessoas, e para as pessoas, e atualmente a maioria ou boa parte da população são de religião protestante, a igreja católica já foi bem mais influente. É óbvio que essa parcela da população quer o poder, com certeza esses religiosos devem fazer pressão política no atual governo. Não precisa ir longe, no governo Lula tivemos problemas em relação às pesquisas de células troncos, e tanto a igreja católica como os protestantes, foram contra essas pesquisas, usando embriões congelados que não seriam usados. Esses embriões poderiam salvar a vida de várias pessoas. O assunto foi amplamente discutido, as pesquisas foram permitidas com restrições. Tivemos a greve , mas no caso foi de um padre, também da igreja Católica que fez greve de fome contra o desvio do Rio São Francisco, que é perigoso mesmo, pelo risco de secar o rio. Vários rios em outros países foram desviados o curso , secaram. Acho essa discussão saudável, mostra a cara do país, seus valores. Mas nitidamente existem facções da igreja protestante muito radicais, em relações a costumes, o que é meio perigoso. Me parece que no governo Lula, várias Ongs de crentes foram presenteadas com subsídios do governo, e houveram posteriormente denúncias de uso do dinheiro para uso próprio destes pastores(o que não é nenhuma novidade). Com certeza essas entidades devem prometer apoio político em troca de cargos, verbas, fazem isso abertamente em campanhas de vereadores , deputados. Infelizmente essa é a cara (de pau) do povo brasileiro, que ainda por cima faz isso tudo dizendo que é em nome de Deus.O que da p/fazer? Uma lei proibindo ? Acho que já existe , só resta fazer conchavos com essas pessoas, que fazem parte da população.

    ResponderExcluir
  21. Nas eleições de 2010, grandes nomes que davam voz as minorias no Congresso Nacional ficaram de lado na disputa por uma cadeira naquela casa legislativa. Podemos citar Iara Bernadi, Pt-Sp, relatora da PLC-122/2006, que visa a criminalização da homofobia, que não conseguiu a reeleição. Houveram boas surpresas, como o Deputado Jean Wyllys, Psol-Rj, que com cerca de 13 mil votos, não fosse o seu colega de partido, Chico Alencar, o tivesse "puxado" pela legenda, ficaria de fora da legislatura atual.

    Ao contrário, paulatinamente, a bancada reacionária, auto-denominada de bancada evangélica,vai tomando o poder. Seja o poder econômico, midiático, legislativo, entre demais; Estes, os usurpadores da fé, vão ocupando espaços, ultrajando a dignidade humana, os princípios democráticos e, até mesmo, as nossas leis. Revestidos com a capa ideológica do sagrado,extremamente eficaz para manipular e fazer calar até mesmo autoridades dos mais altos postos, estes senhores estão dominando o País.

    Desprovidos de uma agenda propositiva para seus mandatos legislativos que sirvam verdadeiramente a nação, o que resta a esta bancada é fazer alarde quanto as propostas reconhecidamente em todo mundo como essenciais na equiparação das cidadanias e no reconhecimento dos Direitos Humanos como um todo. Tais senhoras e senhores deputados e deputadas da referida bancada, discutem dentro das casas legislativas suas crenças pessoais, e em nada respeitam os princípios do fazer público, quando enxertam a todo momento argumentações moralizantes de doutrinas religiosas de cunho e ordem do privado.

    ResponderExcluir
  22. Estes sabem que suas manifestações contrárias e enfáticas a temas pouco populares lhes rendem amplificações e os mantém em foco.
    Assim fabricam, utilizam e se beneficiam de um inimigo objeto que os liguem aos seus potenciais eleitores para aparecerem como produtores e defensores de uma pauta que justifique as suas presenças nas Casas Legislativas. Tal pauta também serviu e servirá para estes de bode expiatório ou como moeda de troca. Uma carta na manga para subornar e chantagear adversários em momentos de disputas, como aconteceu nas eleições presidenciais de 2010. Ao barrar os direitos dos gays, lésbicas e outras minorias, esta bancada ganha novamente folego para manter-se alí a cada disputa eleitoral, inflando seus pulmões, na busca de consolidar seus reais interesses, tanto pessoais quanto políticos, no intuito de dominar e apoderar-se cada vez mais, das mentes e instituições, levados por seus seguidores que os mantém "dignos nos tronos dos escolhidos" "agraciados pelo divino" com prosperidade terrena dando em troca de "conforto espiritual".

    Vivemos num Estado que faz vistas grossas. Onde a laicidade está só no papel, como a maior parte de nossos direitos. Vivemos uma cidadania de gambiarras!

    Considerando que a pauta de direitos Humanos é barrada com veemência até mesmo por líderes religiosos que sequer possuem mandatos, como o Silas Malafaia, pode-se analisar que diante de um eventual avanço e consolidação de direitos democráticos no Brasil, e sanados, mesmo que paliativamente muitos problemas de questões sociais, haverá um progresso diate das demandas e pautas a serem discutidas e priorizadas. Por certo, o que temem os líderes religiosos e os que reinam ás custas do sofrimento, desgraça e alienação alheias, é que as coloridas bandeiras hasteadas a cada manifesto e cada palavra de ordem ecoada pelos que militam pela igualdade e democracia, sejam substituídas por manifestações mais incisivas acerca da ausência de regras que permeiam suas atuações, transações e crimes contra a humanidade causados pela mais recente rede do mercado religioso neo-petenconstal neste País.

    É de se esperar que os tantos manifestantes contrários ao deputado Marcos Feliciano na Presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara de Deputados Federais, lembrem-se que a política se faz na disputa de poderes, na luta por espaços, e que nesta caminhada estamos ficando para trás. A juventude protesta com votos nulos, ou mesmo elegendo pessoas desqualificadas para atuar em nome delas. Com tais atitudes, damos margem pra que situações como constatamos hoje, de total desrespeito e coerência, sejam mais frequentes e talvez até irreversíveis por bastante tempo.

    ResponderExcluir
  23. Sou militante do PT e concordo com suas críticas ao Governo Dilma, no tocante aos recuos frente ao conservadorismo religioso. E isso é uma herança do recuo em sua campanha eleitoral de 2010.

    ResponderExcluir
  24. Sou militante do PT e concordo com as críticas no sentido de que o Governo Dilma é refém do conservadorismo religioso, e penso que isso é uma herança dos recuos da campanha eleitoral de 2010.

    ResponderExcluir
  25. Não sou e nem pretendo ser militante de nenhum partido, apenas apoiar quem realmente merece e faz por merecer o meu respeito, o que são poucos. Se os tais "pastores" querem só se aproveitar dessa ausência dos partidos políticos no apoio a dilma, então por mim que vão plantar batata, para não dizer coisa pior, tomem vergonha na cara e pensem também em quem eles estão representando, que são os fiéis de suas igrejas e, que antes disso, eles também votam e contribuem com o dinheiro que os políticos gastam por ano e também o que esses "pastores" também gastam com suas riquezas não declaradas.

    ResponderExcluir
  26. Quem tá na merda é pra se sujar. Vou criar a minha igreja neopentecostal e procurar lucrar com a parada. Alguém está dentro? Podemos construir um galpão nos fundos e fazer grandes surubas intersexuais em honra a Jesus.

    ResponderExcluir

Postar um comentário