Conar examina queixas contra anúncio do Jesus que toma Red Bull

Anúncio diz como Jesus consegue andar sobre as águas
O Conar (Conselho Nacional de Autorregulação Publicitária) está examinando mais de 50 reclamações de pessoas que se sentiram ofendidas pelo anúncio do Red Bull cujo personagem central é Jesus. 

Em um vídeo de 30 segundos postado nas redes sociais, Jesus sai de um barquinho de pesca e anda sobre as águas. Pedro pergunta como ele consegue fazer aquilo. Um terceiro personagem afirma que Jesus tinha tomado Red Bull. Mas Jesus dá outra explicação para o “milagre”. Ele pisa sobre pedras. “Só tem que ficar esperto onde tem pedra”, diz.


Conar cede à censura religiosa e veta anúncio da Red Bull com Jesus.
abril de 2012


Os primeiros a reclamar pela internet contra o anúncio foram pastores evangélicos. Para eles, trata-se de uma falta de respeito para com um milagre. Agora, é a Igreja Católica, por intermédio da Arquidiocese do Rio, que demonstra descontentamento. Ela avalia a possibilidade de recorrer à Justiça.

Nota da Red Bull diz que não há no anúncio nenhuma conotação negativa em relação à religião. “O comercial faz uma brincadeira com o próprio produto ao dizer que Jesus não precisou tomar Red Bull, apenas usou as pedras para caminhar pela água”.

Se o Conar não proibir o Jesus do Red Bull, ele será veiculado na TV em novembro. O anúncio já foi lançado na Austrália, Itália e Suíça, onde, até agora, não houve qualquer tentativa de censura.

"Jesus, como você faz isso?"


Com informação do Extra.

Red Bull suspende na África do Sul anúncio de Jesus sobre as águas.
março de 2012

Religião contra liberdade de expressão.    Comerciais polêmicos.

Comentários

  1. eu sabia que isso ia acontecer mas torçamos para que não haja nenhum cristão ferrenho no CONAR.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando alguma ONG gayzista manda o CONAR censurar algum comercial (exemplo: Doritos) eles obedecem logo.

      Deve ter muito gay lá.

      Excluir
    2. Anonimo que menciona gays em todo posto, deve ser dificil viver reprimido assim...

      Eis um lugar que pode te ajudar:

      O Hospital Psiquiatrico Bezerra de Menezes iniciou suas atividades em 1990 e juntamente com o hospital da Cidade de Passo Fundo forma um dos maiores complexos hospitalares do Rio Grande do Sul. O HPBM é um hospital privado, de cunho filantrópico, que proporciona atendimento de qualidade em saúde mental, em episódios agudos dos transtornos mentais.
      Rua Tiradentes, 295 – Passo Fundo/RS - Cep 99010-260 e-mail: hc@hcpf.com.br - Tel.(54) 2103 3333

      Excluir
    3. Spam de hospital espírita não pode ser divulgado em blog ateísta.

      Ofende os ateus.

      Excluir
  2. Não há necessidade de recorrer à justiça, foi apenas uma piada muito leve, esses religiosos fanáticos precisam aprender a ter um pouco de senso de humor. No mais, iriam processar o que? Um mito?! Um suposta ofensa a um suposto milagre?!

    Cada uma...

    Se falarmos que Zeus não lançava raios, que Tor não usava um martelo como arma, que Caronte não era o barqueiro do rio Styx, que Hórus não derrotou Set, etc. Isso seria motivo de processo também?!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Possivelmente Zeus enviaria um semideus para ferrar logo com tudo ou ele mandava um raio.

      Excluir
    2. Esse papo de que o comercial do Red Bull é apenas uma "piada inocente" é conversa fiada.

      A propaganda, que é mais ideológica do que comercial, passa, mais ou menos, a seguinte mensagem, realmente ofensiva à maioria dos cristãos:

      "Os cristãos são idiotas e/ou mentirosos, dizem que o falso messias dele fazia milagres. O cristianismo é uma farsa".

      Se alguém fizesse algo semelhante contra os ateus, a posição dos ateístas que aqui comentam seria a oposta da que tem sido (iam exigir que o comercial fosse proibido e que os anunciantes fossem punidos por ofenderem os ateus).

      Excluir
    3. Cara, que paranóia do caralho...Você é um retardado por completo...

      Excluir
  3. Já enviei meu comentario para o CONAR, apoiando totalmente o comercial e a inteligencia com que ele foi feito.
    Ele não pode ser desprezado

    ResponderExcluir
  4. Se isso for censurado terei certeza q moramos numa teocracia, ppois, democracia todos tem direito, até de zombar (nao foi o caso) de qualquer idéia. Afinal de contas, ao se discutirem ideias cada um é livre pra opinar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E o Datena, por exemplo, pode criticar e zombar do ateísmo?

      Ou vocês ficam magoadinhos, choram e chamam a mamãe, ops, o Ministério Público, e pedem punição pra ele?

      Excluir
    2. >> "E o Datena, por exemplo, pode criticar e zombar do ateísmo?"

      Por acaso o comercial do Red Bull associou cristãos a criminosos? Falou que cristãos não têm limites, que eles fazem qualquer coisa? O comercial associou cristianismo a maldade de alguma forma?

      Não, né. Pois é, não dá nem pra comparar.

      Excluir
    3. E se eu (ou o Datena) fizer uma propaganda como essa do Red Bull, apenas ridicularizando o ateísmo e dizendo que vocês são mentirosos?

      Aí pode? Vocês deixam? Ou chamam a mamãe de novo, pedem censura e punição?

      Excluir
    4. E essa propaganda por acaso ridicularizou alguém ou chamou alguém de mentiroso?

      Pense que a propaganda não está falando de Jesus, imagine que ela está usando ou tirando sarro de um personagem histórico qualquer. Por exemplo, mostrando Sócrates bebendo. Você acha que os fãs de Sócrates vão se sentir ofendidos com isso?

      Todo mundo percebe que a propaganda da Red Bull é cômica. Você está fazendo tempestade em copo d'água.

      Excluir
    5. Eu sei que a propaganda é "cômica". Mas o humor malicioso é contra os cristãos, e não contra os ateus. Por isso, pra você está tudo bem com ela. Mas não estaria se o escárnio fosse contra os ateus.

      E tempestade em copo dágua é o que você e toda a ateuzada militante faz, na medida em que não admite que o Datena (por exemplo) possa dizer o que ele pensa sobre os ateus e o ateísmo.

      Excluir
    6. Esta discussão está ficando ridícula. Você insiste em comparar o que não dá pra comparar. São situações completamente diferentes.

      Antes você estivesse falando daquela obra de arte em que Jesus praticava sodomia ou algo do tipo, aí sim você teria razão em falar em "malícia" ou "escárnio", mas nesta propaganda? É tempestade em copo d'água.

      Se você quer uma comparação mais fiel, esta propaganda, no máximo pode ser comparada às sátiras que os criacionistas fazem da Teoria da Evolução. Nunca vi um criacionista ser processado por isso. Além disso, tem várias revistas criacionistas que são vendidas sem serem censuradas.

      Excluir
    7. A propaganda não disse que cristãos não prestam e que devem ser abominados, não tem como comparar. Se você se sentiu ofendido com ela, desculpe, mas você é retardado. E isso não é uma ofensa, é uma constatação.
      Nenhum cristão que não esteja querendo se aproveitar para aparecer se pagando de vítima se ofenderia com isso.
      Sério, esse povo de hoje em dia é muito sem noção.

      Excluir
    8. Como vocês, eu, pessoalmente, não me sinto ofendido com o escárnio da Red Bull, embora muitos cristãos se sintam.

      Como vocês, também não acho que a tal propaganda deva ser proibida.

      Da mesma forma, acho que os discursos que desagradam gays e ateus também não devem ser proibidos (ao contrário de vocês, que aí se sentem "ofendidos" e exigem retratação, censura, etc.).

      Por isso, me desculpem, acho que esses ateus adeptos do "dois pesos, duas medidas", são, provavelmente, mais retardados do que eu. Mais safados, certamente.

      Excluir
    9. Amigo, você sinceramente está comparando chamar um determinado grupo de assassinos, bandidos, drogados, etc. a uma piada infantil sobre uma figura mitológica?
      São, sim, duas coisas diferentes. É a mesma coisa que querer incluir na mesma categoria chamar alguém de cabeça de mamão com arrancar o braço de alguém com uma motosserra. Ambas as situações são ataques à uma pessoa, mas com pesos bem diferentes.
      Com a diferença de que a propaganda NÃO foi um ataque ao cristianismo. Atitude retardada ao extremo é querer comparar as situações.

      Excluir
    10. Não se pode falar que ateus são bandidos, mas se pode, como os ateus gostam tanto, dizer que crentes são burros, pastores são ladrões e católicos são pedófilos.

      Se o Datena tivesse dito isso, teria ganhado de vocês não um processo e um monte de posts chorosos e indignados, mas uma medalha, ou até mesmo um "oscar ateu", tipo aqueles "oscar gay" que o GGB do Luiz Mott dá pra quem colabora com a causa da irmandade.

      Excluir
    11. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    12. Me diga agora quando uma figura com influência na formação de opinião da população disse essas coisas em seu programa de TV, incentivando discriminação a esses grupos.

      Se como no seu exemplo, Datena tivesse dito isso, seria tão idiota quando foi o seu discurso sobre ateus serem bandidos; o alvo do discurso mudar não muda o fato de ser um discurso preconceituoso e estúpido. Mas aí caberia ao outro alvo se defender. Se algum ateu o apoiasse, como você sugeriu, além de que ele estaria falando só por si mesmo (como é sempre o caso de toda declaração dada por um ateu, uma vez que não somos um "grupo", apenas pessoas que compartilham UMA única característica - a descrença) só estaria provando o que todos sempre dizemos, que ser ateu ou não, religioso ou não, não torna alguém uma boa ou má pessoa, porque isso seria muito, muito estúpido.
      Além disso, quando se diz que crentes são burros, pstores são ladrões e padres católicos (não fiéis católicos, padres) são pedófilos, é porque é o que esses grupos mostram constantemente, com tanta frequência a ponto de se criar um estereótipo. Que nem o estereótipo do baiano preguiçoso e do carioca malandro. Não é uma verdade aplicada a todo o grupo, óbvio. Mas tantos membros apresentaram essas características que a má fama acabou pegando. Mas só um verdadeiro idiota para levar isso ao pé da letra e achar que todo baiano é preguiçoso, todo padre é pedófilo, todo carioca é malandro, todo crente é burro, etc. Estereótipos são só isso; estereótipos.
      Agora me diga quantos traficantes, assassinos, bandidos, etc., são ateus (não que alguns não sejam, mas sabemos seguramente que a grande maioria não é). Foi uma associação falsa criada pela mente dele com o único intuito de difamar um grupo que ele odeia. É a mesma coisa que, por eu não gostar de um certo grupo, começar a dizer que eles comem bebês no café da manhã, mesmo não tendo nenhuma base.
      Só que, quando a minha opinião, por mais escrota que seja, é levada a sério por uma população ignorante, aí nós temos um problema.
      Simples, não?

      Excluir
    13. Como você, Israel, diz, é usual o estereótipo do carioca malandro, do baiano preguiçoso, do crente burro, do padre pedófilo, do pastor ladrão, etc.

      Você também diz, com razão, que tais estereótipos não encerram uma verdade absoluta, e uma pessoa de bom senso não deve considerar que toda pessoa de cada um daqueles grupos deve ser adjetivada realmente daquela forma.

      Em outras palavras, os estereótipos, mesmo com algum fundamento, não são pra se levar tão a sério assim.

      Também existe o estereótipo, bastante comum e baseado em fatos reais, do "bandido sem deus no coração", da "pessoa que não tem uma referência moral sólida e descamba para o crime". Foi esse tipo de estereótipo que o Luis Datena usou em sua fala.

      Mas a mesma condescendência com que você encara a existência dos outros estereótipos você e muitos ateístas não têm quando o estereótipo é desfavorável aos ateus. Aí vocês acham que é coisa muito séria, sem fundamento, perigosa, ofensa grave, etc.

      Talvez os ateus (e também os gays) poderiam aprender com os baianos, cariocas, crentes e católicos a conviver melhor com a liberdade de expressão, e não sair processando, cheios de indignação e fúria, os outros por causa de simples estereótipos.

      Excluir
    14. Bem, você está enganado ao afirmar que o "bandido sem deus no coração" é um desses estereótipos "justificados", porque segundo pesquisas (ok, feitas nos EUA, aqui não foi feita pesquisa nenhuma. Mas podemos usar como base) menos de 1% dos presidiários se declararam sem religião. Na verdade, muitos deles são bem religosos (à sua própria maneira, claro. Até existe o estereótipo do assassino devoto de algum santo, vide os cangaceiros). Só que as outras pessoas da mesma religião desses presos recorrem à falácia do escocês com coisas do tipo "ah, mas ele não é um cristão de verdade". Não interessa se ele segue a religião ou não como teoricamente deveria, ele acredita que existe um deus e etc, etc, etc, portanto não é "sem deus no coração". É só um hipócrita que acredita em um deus e ainda assim faz merda.
      O estereótipo do "bandido sem deus no coração" foi inventado por pessoas religiosas que não querem admitir que, mesmo pertencendo à sua religião, uma pessoa pode fazer coisas ruins. Aí começaram a dizer que todo bandido só é bandido porque não tem deus no coração, sem nenhuma base para afirmar isso.
      E, partindo disso, veio a idéia de que, se não tem deus no coração, é bandido. Idéia reforçada constantemente por líderes religosos e que causa danos às pessoas.
      É por isso que, nesse caso, reforçar esse estereótipo é perigoso. Pessoas honestas são discriminadas, têm que lidar com reprovação da sociedade e são vistas com desconfiança, como se fossem assassinos em potencial. É isso que Datena e afins dizem, e isso é óbviamente muito errado.
      É uma questão completamente diferente de uma propaganda dizendo de forma engraçada e leve que Jesus não usou mágica para andar sobre as águas, apenas conhecia um caminho onde havia pedras. E mesmo que fosse uma ofensa a Jesus, ele é umpersonagem de uma história, não uma pessoa. Jesus não vai perder o emprego, não vai perder a mulher, não vai ser tratado como lixo por causa dessa propaganda.
      Ateus acusados de crimes que não cometeram por falastrões como Datena, sim.
      Nota a diferença?

      Excluir
    15. A tal pesquisa, muito citada por ateus, "provando" que a maioria dos presidiários nos EUA é religiosa não diz muita coisa de importante.

      O que o presidiário é (ou diz que é) é uma coisa.

      O que o bandido solto (antes de ser preso) é é outra coisa.

      Sabe-se que muitos bandidos (ateus inclusive) se converetem a alguma religião enquanto estão presos.

      Estranho que os ateus, que se julgam tão inteligentes, não percebam esse furo. Deve ser porque a pesquisa "prova" uma coisa que é agradável a eles e útil pra suas campanhas.

      Excluir
    16. Ela diz, dependendo do que você quer entender dela. E é óbvio que religiosos jamais vão entender "pessoas que acreditam no mesmo deus que eu podem ser ruins".
      Como eu disse, se eles realmente seguem a religião ou não, não importa. Eles acreditam que existe um deus, mesmo que não se importem com ele, e isso é o bastante para "terem deus no coração", jogando por terra a afirmação de religiosos.
      O ponto é que o que Datena e seus asseclas insistem em afirmar é que, se a pessoa não acreditar em um deus, ela é ruim e ponto final.
      Citando novamente os cangaceiros, lembre-se que Lampião era fervorosamente religioso. Ele não tinha deus no coração? Ou ele não era um bandido?
      E novamente, a questão aqui é que esse fato que estamos discutindo está numa categoria completamente diferente da da propaganda, não há como comparar porque são situações muito distintas.
      Mas é claro, é mais fácil colocar os dedos nos ouvidos e berrar que não está ouvindo do que admitir que suas declarações não têm lógica.

      Excluir
    17. >> "Sabe-se que muitos bandidos (ateus inclusive) se converetem a alguma religião enquanto estão presos."

      E você realmente acha que prisão recupera alguém? Ainda mais através de conversão?

      E se é assim, onde está a pesquisa com bandidos fora da prisão para saber se eles são religiosos ou não?

      Excluir
    18. A questão não é se a prisão ou a conversão recupera alguém.

      A questão é que presidiários são de um jeito e criminosos "na ativa" são de outro.

      Portanto a tal pesquisa que diz que apenas 1% dos presidiários são ateus NÃO SIGNIFICA que somente 1% dos bandidos soltos e em atividade o sejam.

      Mas, claro, pesquisar bandidos soltos é um pouquinho mais complicado.

      Se alguma entidade ateísta se dispuser a provar os números que costuma divulgar, deveria visitar as bocadas de tráfico e grupos de extermínio e sair perguntando qual é a religião ou não da galera, e conferindo de perto se eles têm ou não Deus no coração.

      Se os bandidos forem em sua maioria cristãos (o que é um tanto improvável, já que roubar e matar, por exemplo, são pecados graves no Cristianismo) fiquem tranquilos, pois cristãos não são adeptos da violência.

      Se a bandidagem for mais ateísta ou de alguma religião minoritária e exótica, os ateus, geralmente defensores das "minorias", também provavelmente estarão seguros, pois estarão num ambiente familiar e simpático.

      Boa sorte!

      Excluir
    19. >> "A questão não é se a prisão ou a conversão recupera alguém."

      Se você diz que os presidiários costumam se converter e passar a acreditar em Deus, temos duas possibilidades:

      Se eles se arrependeram de seus crimes, significa que eles se recuperaram.

      Se eles não se arrependeram de seus crimes, então eles são ao mesmo tempo criminosos e crentes em Deus, o que prova que crime não é coisa de quem "não tem Deus no coração".

      >> "Se os bandidos forem em sua maioria cristãos (o que é um tanto improvável, já que roubar e matar, por exemplo, são pecados graves no Cristianismo) fiquem tranquilos, pois cristãos não são adeptos da violência."

      O catolicismo condena a masturbação e as relações sexuais extra-conjugais, mas isso não impede muitos católicos de praticarem a chamada "luxúria". Molestar crianças é pecado grave no cristianismo, mas, ainda assim, frequentemente ouvimos notícias de padres e pastores que molestam crianças e, pior ainda, que são acobertados pelos bispos. Matar é pecado grave no cristianismo, mas ateus e agnósticos são mais frequentemente contra a pena de morte do que os cristãos.

      Ainda que o cristianismo pregue "amar os inimigos", na África, os homossexuais sofrem muita recriminação e perseguição dos cristãos. Lá, a prática de atos homossexuais é crime com punições severas como prisão com trabalho forçado, às vezes até prisão perpétua. A população de lá (majoritariamente cristã) não acha que isso é o suficiente: há muitos protestos (alguns liderados por padres e bispos) para que a criminalização de homossexuais seja ainda mais severa, incluindo pena de morte.

      É claro que o cristianismo condena essa atitude brutal. Eu mesmo sou fã das ideias e da pessoa de Jesus e, até onde eu sei, ele enterraria a cara na areia, se ele visse essas coisas.

      Acontece que certo e errado não se resume a regras - e isso é muito bem conhecido em Filosofia. Se o que você quer é ensinar a uma pessoa o que e certo e o que é errado, você tem que ensiná-las a ter empatia e a compreender as consequências de seus atos. Jesus resumiu isso de forma bem inteligente: "ama o próximo como a ti mesmo." Ou seja, ao lidar com outra pessoa, você se imagina na posição dela e pensa no que você gostaria que lhe fizessem na situação em que ela se encontra.

      Tem outro ponto chave também: "amai aos vossos inimigos e fazei bem aos que vos querem mal." Ou seja, a sua empatia por outra pessoa não deve ser diferente mesmo que você a considere como sua inimiga.

      A maioria das religiões cristãs têm a péssima mania de ficar inventando e impondo regras e mais regras. Não é que a religião em si seja diretamente responsável pelas más atitudes das pessoas. Acontece que a ética vem do senso crítico - você precisa raciocinar para saber o que é certo, e não olhar para uma tabela de certo-e-errado. Infelizmente, a religião cristã (em geral, mas sem generalizar) é contra o senso crítico quando este vai contra seus dogmas e suas regras morais. Mesmo quando estas regras são fundamentalmente anti-éticas.

      Ao apresentar o certo e o errado como um conjunto de regras, as pessoas perdem o interesse em fazer o que é certo. Afinal, a mera existência de uma regra não é razão convincente para segui-la. A moral religiosa acaba se tornando um conjunto de regras sem sentido. Nós naturalmente gostamos de fazer o que é certo (do ponto de vista da ética), mas ninguém - ou quase ninguém - gosta de regras. Por isso, religião acaba se tornando um fardo pesado que ninguém quer carregar.

      Mas como é que Jesus dizia mesmo? "Meu jugo é suave e meu fardo é leve"? Pois é!

      Se o que você quer é um estudo extenso e detalhado a respeito da moralidade de indivíduos e sociedades agnósticas e ateias, eu recomendo o artigo do sociólogo Phil Zuckerman:

      http://www.pitzer.edu/academics/faculty/zuckerman/Zuckerman_on_Atheism.pdf

      Excluir
    20. Correção: Quando eu disse "religião acaba se tornando um fardo pesado que ninguém quer carregar", eu deveria ter dito "a moral religiosa acaba se tornando um fardo pesado que ninguém quer carregar", porque o fardo "religião" as pessoas carregam, mas a "moral religiosa" elas geralmente rejeitam, mesmo as pessoas que são boas.

      Excluir
  5. "Se o Conar não proibir o Jesus do Red Bull, ele será veiculado na TV em novembro. O anúncio já foi lançado na Austrália, Itália e Suíça, onde, até agora, não houve qualquer tentativa de censura."
    -----------------------------------

    Só em Terras brasilis temos essa frescura!

    ResponderExcluir
  6. É simplesmente patético isso! As pessoas se sentem ofendidas com o fato de um anúncio apenas representar a forma como o mundo é. Nenhum ser humano foi capaz de caminhar sobre as águas, a menos que haja pedras formando um caminho. O que me impressiona é que as pessoas levem a sério a crença em que alguém num passado muito remoto tenha conseguido andar sobre as águas (um milagre, aliás, desprezível, que não nos espanta! Milagre seria a cura sem recorrer a sessões penosas de quimioterapia de todas as pessoas que padecem de câncer no mundo, de um dia para o outro. Isso seria um acontecimento extraordinário, digno da designação "milagre"). Os resmungões querem fazer valer a fantasia, e se ofendem com a tentativa de reconstruir um estado-de-coisas verossímil do mundo.

    ResponderExcluir
  7. Deixa jesus reclamar se ele estiver ofendido. Daqui a pouco esses cristãos vão se assemelhar aos islâmicos radicais. Vão querer prender e matar açoitar quem falar mal do "profeta" . E se isto virar lei já estaremos caminhado para o caos.

    ResponderExcluir
  8. Se levarem em conta que proibiram o comercial da Nissam por conta dos poneys MALDITOS... percam as esperanças!

    ResponderExcluir
  9. "Se isso for censurado terei certeza q moramos numa teocracia, pois, democracia todos tem direito, até de zombar (nao foi o caso) de qualquer idéia. Afinal de contas, ao se discutirem ideias cada um é livre pra opinar."
    2
    Rodrigo*

    ResponderExcluir
  10. Eu já vi essa propaganda na TV brasileira, não lembro ao certo em qual canal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho que vi também neste fim de semana. Não lembro o canal...

      Excluir
  11. Eles se ofendem quando alguem fala para os religiosos que o big bang, crio o mundo, mas não se ofendem quando dizem que vieram do barro e da costela.

    ResponderExcluir
  12. Eu achei engraçado^^
    Queria que Jesus fosse como esse^^

    ResponderExcluir
  13. Se Jesus não gosta dessas piadas, que venha à Terra, nasça de uma virgem, tire CPF e procure a Defensoria Pública.

    ResponderExcluir
  14. Srs a biblia diz q Deus é um Deus feliz e o comercial ficou muito legal rssss

    ResponderExcluir
  15. O comercial é engraçado.
    Mas acusar cristãos de cencura é um pouco demais.
    Por acaso, não é a atea que criou o blog Ateus Atentos, para fiscalizar o que se diz na tv?
    Pra mim isso tem outo nome dedo-duro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A ATEA, o Bule Viador e outros "ateus atentos" vivem policiando tudo que se fala sobre ateísmo na TV, na imprensa, na internet.

      Se alguma coisinha não agrada a eles, processam, choram, esperneiam, pedem censura.

      Faz parte da hipocrisia da corja.

      Excluir
    2. Você está comparando uma situação onde alguma grande personalidade com influência na opinião da maioria do povo deliberadamente diz que uma minoria que já não é bem vista não presta, é perigosa, tem que ser excluída, etc, com uma piada que não prejudica ninguém e só reclamaram pura e simplesmente pelo marketing grátis?
      Cara, vai se tratar...

      Excluir
    3. Esses retardados querem comparar o discurso de ódio promovido por datena, malafaia e afins, com uma piada ou a crítica de blogs secularistas? só rindo...

      Eis um lugar que pode te ajudar:

      O Hospital Psiquiatrico Bezerra de Menezes proporciona atendimento de qualidade em saúde mental, em episódios agudos dos transtornos mentais.
      Rua Tiradentes, 295 – Passo Fundo/RS - Cep 99010-260 e-mail: hc@hcpf.com.br - Tel.(54) 2103 3333

      Excluir
  16. Faltar com respeito com quem não existe? Como?

    ResponderExcluir
  17. Achei engraçado.

    Mas é o seguinte. Todo mundo tem o direito de ofender e ser ofendido. Todo mundo tem o direito de se sentir ofendido com esse comercial, de dizer que ficou ofendido, tem o direito até de fazer um comercial sobre esse comercial, ou algum artigo de jornal. Mas ninguém tem o direito de impedir que esse comercial veicule nas tv's, ou de alguém querer fazer um comercial parecido com esse.

    Não que eu ache o comercial ofensivo, mas também não precisa fazer tempestade em copo d'água, né gente?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse pessoal de hoje é cheio de "não-me-toques". Gente mais fresca, se todo mundo tiver que se preocupar constantemente em não ofender ninguém, ninguém mais abre a boca no mundo. A modinha de hoje em dia é procurar chifre em cabeça de cavalo.

      Mas acho que nesse caso não é nem terem se sentido ofendidos de verdade. Duvido. Com certeza só estão aproveitando a desculpa para aparecer e, quem sabe, colocar sua religião em mais evidência (como se precisasse).

      Excluir
    2. Luan Cunha disse:

      "Todo mundo tem o direito de ofender e ser ofendido."

      Concordo!

      Mas fiquei com uma dúvida:

      Pode ofender gays, Luan, ou a pessoa deve ir presa por "homofobia"?

      Excluir
    3. Não sei se eu concordo com a ideia que "todo mundo tem o direito de ofender", mas este comercial não é nada ofensivo. São os cristãos que se ofendem com ele, é bem diferente.

      Excluir
    4. "este comercial não é nada ofensivo. São os cristãos que se ofendem com ele"

      Pois é.

      E são os ateus que se ofendem com o Datena falando dos ateus, e são os gays que se ofendem com o Silas Malafaia falando dos gays.

      Empatou!

      Excluir
    5. >> "E são os ateus que se ofendem com o Datena falando dos ateus, e são os gays que se ofendem com o Silas Malafaia falando dos gays."

      Aff, você falou sem pensar, só pode.

      Se eu digo para o João: "João, você é um idiota", eu estou ofendendo.

      Se eu digo para o João: "João, você está errado por causa disso e disso", eu não estou ofendendo. Se o João se sente ofendido, foi ele que se ofendeu, não é culpa minha.

      Percebe a diferença?

      Excluir
    6. Nem precisamos ir tão longe. Essa propaganda é obviamente uma obra de HUMOR, foi feita para ser engraçada. Ninguém deveria levar isso a sério, achando que é uma afronta ou nada assim, é só uma maldita brincadeira, muito inocente, por sinal. Os autores podem até ser cristãos, e tenho certeza que 99% dos cristãos não se ofenderiam com isso, por uma simples questão de bom-senso. Quem se ofende é porque quer chamar atenção.
      É a mesma coisa que piada de loira, de português, de papagaio. Todo mundo sabe que é brincadeira, se alguém for loira, português ou papagaio e se ofender, é porque é idiota.

      Excluir
    7. Gustavo disse:

      " Se eu digo para o João: "João, você está errado por causa disso e disso", eu não estou ofendendo. Se o João se sente ofendido, foi ele que se ofendeu, não é culpa minha. "

      É exatamente o que acontece com o Silas Malafaia, por exemplo.

      Malafaia opina, dizendo que os militantes gays estão errados por causa disso e disso.

      E os gays se sentem ofendidíssimos! Espumam de ódio, querem cassar, censurar, prender, linchar o Malafaia.

      Mais ou menos como muitos ateus também ficam quando alguém diz alguma que eles não gostam.

      Excluir
    8. Eeehhh... Ou você nunca viu o Malafaia falando e pegou o bonde andando, ou o seu fanatismo serve como um filtro que traduz tudo o que ele diz para coisas bonitinhas e gentis.

      Excluir
    9. Sim, é fato, o Malafaia fala muita besteira, mas eu ainda não vi ele ofender alguém de forma direta e intencional.

      Mas também só vi uma tentativa de censurar o Malafaia que, no fim das contas, foi um engano causado por um vídeo que tirou as palavras dele do contexto. E, sinceramente, quem eu vejo espumar de ódio é o Malafaia, qualquer discurso que ele faz é carregado de ódio. E não é só dos "gays" que ele fica com raiva não, outra vez ele ficou com raiva de cantores de música gospel (???) porque alguns deles expressaram sua opinião em alguma questão teológica.

      Ficar ofendido é um direito, essa não é a questão. Qualquer um pode ficar ofendido quando alguém expressa uma opinião, mas isso não é o mesmo que querer censurar esta opinião.

      Excluir
    10. Os gays militantes se sentem "ofendidos" constantemente pelo que Malafaia diz.

      E não foi apenas uma vez que quiseram censurá-lo. Há anos que tentam fazer isso, continuam querendo e vão continuar.

      Mas se você nunca viu gays e "simpatizantes" espumando de ódio contra o Malafaia e xingando-o de tudo quanto é coisa, basta sair dando umas lidas nos sites gays e ateístas por aí.

      Aliás, pode começar por este blog aqui mesmo, tem exemplo de sobra.

      Excluir
    11. Sou ateu e contra a censura ao malafaia, por mais idiota que o discurso dele seja. Te sugeriria a parar de generalizar só um pouquinho, mas pombo troll exadrista não larga fácil esse tipo de coisa, né?

      Excluir
    12. >> "E não foi apenas uma vez que quiseram censurá-lo. Há anos que tentam fazer isso, continuam querendo e vão continuar."

      Olha, se existem "gays" tentando censurar o Malafaia ou não, isso não tem nada a ver com o assunto. Eu nunca disse que "gays" são infalíveis nem que estão certos em tudo. Se eles estão certos ou errados, aí você tem que procurar saber quais os motivos deles para quererem censurar. Não vou ser eu que vou julgar o caso sem nem sequer saber do que se trata.

      O caso do Datena não dá nem pra discutir. Está na cara que o discurso dele na televisão tinha o objetivo de difamar pessoas que não acreditam em Deus. Só pra constar, eu discordo completamente do Israel Chaves, usar estereótipos não é desculpa para difamação e os ateus que associam religiosidade com estupidez estão sendo ofensivos, intolerantes e brutos. Eu repudio totalmente esse tipo de atitude.

      O Datena pensou que não estava ofendendo a quem não merecesse, pois ele tinha na cabeça dele aquele estereótipo de ateu criminoso, usuário de drogas, bandido. Ele não falou por mal, mas isso não importa. O fato é que ele ficou 30 minutos xingando e ofendendo sem se conter. Até chegou a sugerir que os ateus estivessem ligando de dentro da cadeia. Você acha que isso faz fazer o que com as pessoas que estão assistindo? O preconceito contra ateus já é muito grave na sociedade, o Datena só piorou ainda mais a situação.

      A ATEA pediu o direito de resposta. Se sinceramente o Datena tivesse dado pelo menos 15 minutos de resposta, eu não me incomodaria se ele não fosse processado. Antes o Datena tivesse tido ao menos a humildade de declarar em rede nacional que exagerou um pouco nas suas afirmações, mas nem isso ele teve coragem de fazer. Isso é covardia.

      O Silas Malafaia é um caso diferente, ele tem um discurso, do meu ponto de vista, repulsivo, mas, quando foi ameaçado de processo, ele até se esclareceu na televisão, dizendo que não tem nada contra os homossexuais. Ele mede as palavras e não ignora as críticas como se elas não existissem. O caso do Malafaia (ao menos o que eu vi) e o do Datena foram bem diferentes.

      Agora, pense bem, se eu apareço na televisão e digo que Jesus não caminhou sobre as águas, mas andou "onde tinha pedra", isso é mera liberdade de expressão, não é difamação. Nem sequer chega a ser uma opinião tão ofensiva quanto à do Malafaia, muito menos se classifica como uma difamação que justifique a censura. Este comercial não chega nem a afirmar que Jesus andou sobre as pedras, é uma mera brincadeira que ninguém levaria a sério se não fosse essa mania de perseguição que vocês têm! Se eu afirmar que Jesus ter andado sobre as pedras é mera liberdade de expressão e não é uma ofensa, quanto mais este comercial bobo!

      Sério, seria menos vergonhoso para vocês se vocês não conseguissem ver a diferença entre uma mosca e um elefante!

      Excluir
    13. "Só pra constar, eu discordo completamente do Israel Chaves, usar estereótipos não é desculpa para difamação e os ateus que associam religiosidade com estupidez estão sendo ofensivos, intolerantes e brutos."

      Onde que eu disse que usar estereótipos como desculpa é aceitável? Eu falei exatamente a mesma coisa que você disse agora. Os estereótipos existem, mas qualquer um com um mínimo de inteligência deveria saber que não se usa estereótipos para julgar todo o grupo estereotipado, e isso inclui crentes burros e todo o resto.
      Só que, no caso do estereótipo do ateu bandido, ele foi inventado do nada por religiosos que queriam simplesmente ter algo para falar de ateus. No caso de outros estereótipos, a maioria deles vêm de alguma situação recorrente que acabou criando a associação. No caso de crentes burros, é por causa de pessoas como os trolls que frequentam este blog, ou fiéis que compram toalhinhas mágicas, gente que acredita no fim do mundo, etc. Fica difícil continuar não achando que eles são burros depois de ver tantos e tantos casos de crentes dizendo absurdos um atrás do outro. Só que, é preciso lembrar que só porque muitos membros de determinado grupo praticam certa atitude, mesmo que sejam a maioria, não quer dizer que TODOS façam igual.

      Excluir
    14. Neste caso, retiro o que eu disse. É que você estava justificando certos estereótipos, como o de "padre pedófilo". Acontece que, por exemplo, não há dados os suficiente para dizer que padres são pedófilos mais frequentemente do que os demais cidadãos.

      Excluir
    15. A justificativa, no caso, é que tantos casos de pedofilia por parte de padres têm aparecido que o estereótipo foi estabelecido. Pode ser que existam outros grupos com maior índice de pedofilia, mas quem ganhou a fama foram os padres.
      Mas sinceramente, eu acho que eles devem ser mesmo o grupo com o maior índice de pedófilos. Isso porque já ficou mais do que claro que isso faz parte da cultura católica. Se não fosse, o Vaticano não faria de tudo para proteger e abafar os casos. Eles estão tão acostumados a lidar com isso que nem vêem mais nada de errado.

      Excluir
  18. Eu ja vi esse comercial na TV aberta. Não achei muita graça.
    Mais é a maior besteira querer tirar o comercial do ar, crente se ofende com tudo mesmo. ¬¬

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sou "crente" e me ofendi, sou católico.

      Excluir
  19. Absurdo censurar a propaganda. Sou budista e já vi tirarem muita onda com Buda em filmes e anúncios e não fiquei nem aí. E se os autores forem ateus e considerarem JC um mito? Vão forçar os ateus a respeitarem o que pare eles é um mito ou ser que não existe? Eles vão ter que respeitar o nada? O que ninguém pode fazer é profanar lugares de culto, impedir ofícios religiosos (missas, cultos, etc) ou discriminar a terceiros por motivos religiosos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que isso, ofender o Filho de Deus em uma propaganda ridícula não é nada, né Beto?

      Excluir
  20. Onde assina a favor prá manter o comercial? Tô dentro...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvida seu mestre ficaria muito feliz com isso, Charles.

      Excluir
  21. Andar na água, um suposto milagre. E nós humanos, fomos à Lua, construímos armas nucleares poderosas, descemos as profundezas abissais dos oceanos, simulamos o big bang no CERN, etc. Realmente, os seres humanos fazem muitos milagres sem precisar de truques de mágica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fizemos tudo isso porque DEUS nos habilitou a tanto. Não se esqueça disso nunca, meu caro.

      Excluir
  22. ...e o povo continua alimentando os trolls...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um imbecil mesmo... Rumina, Charles! Rumina!

      Excluir
  23. Ridículo. Essa propaganda é uma piada velha que eu escutava quando era criança.

    Pedro: Jesus, estou afundando...
    Jesus vem e salva e...
    Pedro: Senhor como fizeste isso.
    Jesus: É simples Pedro basta usar o caminho das pedras!

    O red bull só adaptou.

    ResponderExcluir
  24. Parabéns àqueles que se movimentaram contra esse comercial apelativo e ofensivo. Os imbecilóides que o defenderam certamente não servem a Jesus, mas ao outro lado.

    ResponderExcluir
  25. Não sou Cristã ( católica, protestante ou outros), sou Budista e como tal, acho que sempre deve haver ética em tudo, inclusive nas propagandas. Os "símbolos" devem ser respeitados afinal são milhares de pessoas que se sentem "ofendidas" com o desrespeito de seus símbolos. Alguém faz comercial defecando da bandeira nacional ? É por aí...

    ResponderExcluir

Postar um comentário