Metade dos britânicos não tem religião, revela pesquisa

Dados da pesquisa British Social Attitudes

Metade da população britânica não tem religião, apurou a mais recente pesquisa da série British Social Attitudes, da organização independente NatCen Social Research.

Pela pesquisa, os anglicanos constituem o maior grupo de religiosos do país, com 20% da população. Em seguida vêm a categoria de “outros cristãos” (15%), católicos (9%) e não cristãos (6%).

Os índices confirmam as previsões de que a secularização continuará avançando na Grã-Bretanha nos próximos anos, na avaliação dos analistas do NatCen.

De acordo com eles, não há nenhuma evidência de que o ciclo de vida dos britânicos tenha influenciado nos resultados da pesquisa.

O relatório da pesquisa afirma que, além de a geração mais velha de não religiosos estar sendo substituída pela mais nova, os jovens pais estão mantendo seus filhos longe de qualquer crença.

Para os analistas da NatCen, esses dados indicam que, cada vez mais, a sociedade britânica adotará decisões liberais em questões que têm a forte oposição dos religiosos, como o casamento gay, aborto e eutanásia.

Em contrapartida, segundo os analistas, os jovens religiosos tendem a ficar isolados na sociedade, podendo haver entre eles, em consequência, atitude radicais de contestação ao statu quo.

Com informação da British Social Attitudes.





Para 79% dos britânicos, religião é causa de muita miséria e conflito
outubro de 2010

Estatística das religiões no mundo.    Secularismo.


Comentários

  1. Sim os Britanicos tem o padrão de vida melhor q o nosso e vivem mais.

    ResponderExcluir
  2. Se considerarmos as redes sociais como uma boa fonte sabermos as tendências, penso que o Brasil também se encaminha para isso.

    ResponderExcluir
  3. Esperanças de um mundo melhor? (2)

    ResponderExcluir
  4. Pesquisa duvidosa.

    Porque a maioria dos cristãos tem um paradoxo funcional e lógico, e afirmam que não tem religião.

    Vai saber...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não vejo problema algum em um cristão que não participa de nenhum culto e nem paga dízimo afirmar-se sem religião. Neste caso, cristianismo deixa de ser religião e torna-se uma ideologia, assim como o ceticismo.

      Excluir
    2. Cristianimso é, por definição, uma religião, pois segue dogmas (os ensinamentos de Cristo).

      Caso contrário, não são cristãos, são deístas.

      Excluir
    3. "Presença de dogmas" não é uma definição justa nem precisa do que é uma religião. Se fosse assim, matemática seria uma religião com seu conjunto de axiomas :)

      Uma religião se caracteriza também pelos rituais, tradições, culturas, símbolos, textos ou histórias sagradas, um sistema hierárquico (ex: papa > bispos > padres > monges e freiras > leigos)... Além disso, religiões são bastante conhecidas por construírem um sistema anti-questionamento.

      Excluir
    4. Po, essa pesquisa tem espaço pra não cristãos e outro tipo de cristão. Eu aposto que eles sabem perguntar as coisas. E pergunte pra qualquer pessoa que tenha ido pra a Inglaterra, meu caro. É bem assim, jovens raramente são religiosos hoje em dia naquele país. ;]

      Excluir
    5. Eu acho que é o oposto. Muitas pessoas se dizem cristãos, mas nunca vão pra a igreja, não reza e nem acredita que jesus é o filho de deus. Dizem que é cristão por tradição, por ter nascido na religião cristã.

      Excluir
    6. Por mim, se o cristão NÃO participar de cultos nem pagar o dízimo, tá ok...

      Ele quase se torna uma pessoa sã.

      (Sobra o lance dele perseguir os direitos dos homossexuais, contracepção, eutanásia, pesquisa com células-tronco, etc...)

      Excluir
  5. Parace ser uma tendência mundial.

    A pessoa pode muito bem acreditar num deus e não ter religião.

    Lembrando sempre que o preconceito, racismo e as demais mazelas éticas são do indivíduo.

    ResponderExcluir
  6. Um ótimo livro para entender como a Secularização e a Religião interagem no mundo contemporâneo é do sociólogo José Casanova:
    Public Religions in the Modern World [infelizmente apenas em inglês]

    Ele faz uma análise fantástica mostrando que, a grosso modo, ao mesmo tempo em que a Secularização continua crescendo no mundo, as religiões também o fazem. Com o surgimento da secularização, as religiões foram expulsas do campo público e confinadas à prática privada. Hoje, em razão desse "exílio público", elas estão retornando para o espaço público; buscando retomar seu histórico monopólio político e social. Essencialmente tanto a religião como a secularização estão aumentando, mas de diferentes formas em diferentes países e culturas.
    O livro, inclusive, trás a evolução da religiosidade no Brasil.
    Vale a pena ler essa tese!

    ResponderExcluir
  7. A Pesquisa, na verdade, identificou que 44% são cristãos, 6% são religiosos não cristãos e 50% não declararam sua religião. Ou seja, 50% declararam ter religião e 50% declararam não a ter.
    E o percentual de católicos é quase igual ao percentual de anglicanos, num país que abandonou oficialmente o Catolicismo.
    Assim, numa análise histórica, vê-se que o avanço, neste caso, é do Catolicismo e não do Secularismo.

    ResponderExcluir
  8. O catolicismo nunca deixou de existir na Inglaterra. O secularismo, por outro lado, avançou de 0% a 50%. Como você ainda diz que o avanço é do catolicismo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo, Gustavo. E tem o "detalhe" de que o secularismo continua a crescer.

      Excluir
  9. O Rei Henrique VIII declarou que o Papa não tinha autoridade sobre a Grã Bretanha, ele torturou e matou vários monges e freiras, fechou vários mosteiros, matou e esquartejou rebeldes católicos, fechou santuários...
    O Secularismo, por outro lado, não teve tal oposição naquele reino.
    Crescer com oposição é uma vitória maior que crescer sem oposição.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isto é típico da arrogância do mau perdedor cristão: vangloriar-se do passado, do que já foi.

      Pois a verdade é esta: o futuro a deus não pertence.

      Excluir
    2. LEGIÃO, você simplesmente não poderia estar mais enganado.

      Você diz que o secularismo não sofreu perseguições do rei
      Henrique VIII. É claro que não, isso praticamente não existia naquela época.

      Agora, em 2001, apenas 23,2% da população da Inglaterra não declarou ter nenhuma religião. Em 2007, esse número subiu para 45%, enquanto que os católicos eram 9%. E agora já são 50%!

      Fonte: http://en.wikipedia.org/wiki/Religion_in_the_United_Kingdom#Religious_affiliations

      O secularismo aumentou na Inglaterra, ele simplesmente explodiu!

      De acordo com estatísticas oficiais da ICAR, o número de pessoas que frequentaram a missa na Inglaterra foram:
      2.114.219 em 1966
      1.071.975 em 2002
      876.613 em 2007.

      Fonte: http://www.romancatholicism.org/latest-statistics.htm


      Os católicos não eram uma minoria tão insignificante após o reinado do rei Henrique VIII como você pensa. Ele de fato perseguiu os católicos e protestantes, mas não conseguiu extingui-los. No reinado de Elisabete I (que, até então, não estava perseguindo os católicos) houve uma rebelião católica em 1569, que queriam que a Inglaterra voltasse a ser católica. Foi por causa da imigração de missionários que a Inglaterra voltou a perseguir os católicos (especialmente os padres) em 1580.

      Em 1588, a Espanha lançou uma armada contra a Inglaterra para depor a rainha Elisabete e restaurar o catolicismo na Inglaterra.

      Em 1625, no reinado do rei Charles I, os católicos tiveram um período de relativo sossego, mas em 1640 o Parlamento, que era composto predominantemente por puritanos (protestantes), perseguiram tanto anglicanos quanto católicos. Neste período, os católicos se uniram ao rei, e iniciaram uma guerra civil. A situação melhorou com a restauração do trono ao rei Charles II, que, por sua vez, retribuiu o favor aos católicos e inclusive casou-se com uma católica e converteu-se ao catolicismo no seu leito de morte.

      Veja, se os católicos não fossem uma parcela considerável da população em 1640 (mais de um século depois do reinado de Henrique VIII) o rei Charles II não se incomodaria em unir-se a eles na guerra civil.

      Fonte: http://www.ewtn.com/library/CHISTORY/PENALAWS.HTM

      Excluir
    3. Você apenas escreveu um texto grande, sem abalar o princípio de que a existência do catolicismo naquele país, sem o apoio oficial é surpreendentemente mais fenomenal que o crescimenteo, sem resistência do Secularismo.

      Excluir
    4. E o secularismo, por acaso, tem apoio oficial?

      Sinceramente, nunca vi resposta pior do que essa.

      Excluir
    5. O Secularismo não tem a rejeição oficial. Isso é o que eu disse em cada uma das linhas acima, de forma clara, gritantemente clara.

      Se está buscando respostas bonitas, vá ler a Bíblia.

      Excluir
    6. Você também ignorou as estatísticas que eu apresentei, que mostram que o catolicismo naquele diminuiu na Inglaterra em vez de aumentar, como você diz.

      Excluir
    7. Isso sem contar que você disse que o catolicismo está quase igual ao anglicanismo quando, pela reportagem, está menos que a metade.

      Não que isso importe para alguma coisa, mas você está errado em inúmeras formas.

      Excluir
    8. Meu erro, meu único e indesculpável erro é dar atenção a quem não sabe raciocinar.
      Fique com seus pensamentos confusos e alimente-se de seu engano.

      Excluir
  10. No brasil os sem religião também cresceram, mas não
    quer dizer nque sejam ateus.
    Não há no formulário do IBGE o estatus "ateu".
    Estranho.

    ResponderExcluir
  11. Tem razão A.Porto, realmente não há no formulário do IBGE o status ateu, digo isso, porque quando fui entrevistada no censo de 2010, disse que era atéia, o entrevistador colocou "sem religião", indaguei a respeito e ele disse que não constava o item "ateu", então eu disse não marque nada e ele disse "vão marcar católica", eu disse então marque "sem religião" mesmo.
    Na minha opinião no censo deveria constar apenas: teísta e ateísta e assim as pequisas a esse respeito ficariam a cargo de quem quizesse faze-la.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ''no censo deveria constar apenas: teísta e ateísta''
      Discordo VEEMENTE. Teísmo não é sinônimo de religião, nem mesmo o contrário(por mais que pra uns seja ''quase'').Há inclusive grandes quantidades de teístas sem religião alguma, que acreditam em um deus pessoal mas interferente em suas vidas(o que os torna não-deístas.)Ale´m disso Essa medida exclui panteístas, deístas, agnóticos pura e simplesmente, etc. Sem contar que é importante saber a porcentagem de religiões de uma forma um pouco mais específica, com a presença como opção das denominações católica , protestante, muçulmana, judaica, budista, etc.
      O que eu acho que devia ser feito era criar uma subcategoria dentro dos sem-religião. Entre elas, é claro, ateu.

      Excluir
  12. Estudante Bíblico Constitucional5 de fevereiro de 2012 23:38

    Professor, que sons são esses que estão sendo ouvidos em vários lugares?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha pra trás, garoto....

      Excluir
    2. Estudante Bíblico Constitucional6 de fevereiro de 2012 10:52

      Atrás, estão outros estudantes.

      Excluir
  13. profecia gay, é mole?7 de fevereiro de 2012 01:19

    Viagem na maionese profética:

    "Para os analistas da NatCen, esses dados indicam que, cada vez mais, a sociedade britânica adotará decisões liberais em questões que têm a forte oposição dos religiosos, como o casamento gay, aborto e eutanásia."

    O achismo profético citado acima é puro chute, ou, mais provavelmente, propaganda enganosa.

    O fato de muita gente se considerar sem religião definida não significa que essas pessoas sejam pró-homossexualismo ou pró-aborto, por exemplo. Nem significa que elas não tenham nenhuma religiosidade pessoal ou que não compactuem com os princípios morais cristãos tradicionais.

    Além do mais, vale lembrar que para ser contra o aborto indiscriminado ou as exigências alucinadas da militância gay não é necessário ser religioso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não vejo verdades no blá-blá-blá dos crentes.7 de fevereiro de 2012 01:49

      Quais seriam as exigências alucinadas da militância gay?No Reino Unido o secularismo avança cada vez mais como no restante da Europa.Aqui no Brasil as igrejas neopentecostais é que crescem.E quem mais propaga homofobia?As igrejas(fato).99,9% das pessoas que conheço que são declaradamente anti-gays são fanaticamente ligadas a alguma seita religiosa.São mais que deístas ou teístas ou ainda religiosos.São sectários da seita A ou B.

      Excluir
    2. Achar que é "direito dos gays" censurar, caluniar, cassar diplomas e alvarás, multar e colocar na cadeia toda pessoa que diga alguma coisinha que desagrade à furiosa militância gay são algumas das exigências alucinadas desse grupelho autoritário e totalitário.

      Excluir
    3. Mas não é a pastorada charlatã,estelionatária,ladra e mentirosa que faz isso?E ainda defendem que outros também o façam.Não existe movimento para censurar ninguém e quanto a caluniar,ninguém faz melhor que a pastorada cometendo até crime de injúria.E quando a cassar diplomas ;o do malavea já passou de ser cassado.Sabe por que?Porque o que ele prega é anti-científico,canalha,cínico,desonesto e calhorda e vai de encontro ao que diz a psicologia e outras ciências.

      Excluir
    4. Complementando: outra característica do grupelho autoritário e totalitário chamado fanatismo religioso é querer impor à sociedade suas absurdas leis morais, impedindo homossexuais de casarem-se, de adotar crianças, de trabalhar, impedir o uso de camisinha, impedir as pessoas de falarem "mal" de suas religiões e seus deuses...

      Toda vez que vir um discurso homofóbico, substitua a palavra "gay" por "negro" ou "budista" pra você entender como isto que os homofóbicos defendem é completamente imoral.

      Excluir
  14. Achar que é "direito dos gays" censurar, caluniar, cassar diplomas e alvarás, multar e colocar na cadeia toda pessoa que diga alguma coisinha que desagrade à furiosa militância gay são algumas das exigências alucinadas desse grupelho autoritário e totalitário.

    ResponderExcluir

Postar um comentário