Religião é origem de conflitos e miséria, afirmam britânicos

Matança em nome de Alá
Uma recente pesquisa mostrou que 79% dos britânicos acreditam ser a religião a origem de muita miséria e conflitos no mundo. Do total, apenas 11% discordaram dessa avaliação.

A pesquisa foi realizada pelo YouGov em parceria com o Departamento de Política e Estudos Internacionais da Universidade de Cambridge. Foram ouvidos 64.303 adultos (maiores de 18 anos).

Para 72% deles, a religião é usada por pessoas para justificar sua intolerância e sectarismo. 15% discordam disso.

A Grã-Bretanha está entre os países onde mais tem avançado o secularismo nos últimos anos. A pesquisa confirma isso.

A maioria (78%) concordou, por exemplo, que religião é um assunto da esfera privada, não pública. Aqueles que se opõem a essa abordagem representaram 12%.

Seguem outros resultados da pesquisa.

- 70% não querem que cristãos e igreja tenham mais influência na política do país. 16% concordam.

- 40% afirmaram não ter nenhuma religião, 55% se declararam cristãos e 5% informaram que seguiam outras religiões.

- 74% informaram que foram criados em família que professava alguma religião – cristã, na maioria de 70%.

- 34% afirmaram ter um Deus pessoal, 10% admitiram crer em algo tipo de poder espiritual e 19% informaram não acreditar nessas duas formas de crença. 29% se declararam indecisos ou agnósticos.

- 16% informaram que rezam diariamente, 12% disseram que o fazem várias vezes por semana e 4% uma vez. Os homens rezam menos que as mulheres.

- Para 61%, as religiões organizadas estão em declínio. Na faixa da população com mais de 55 anos, o percentual é de 67%. Do total, 18% discordam de que as crenças estruturadas estão em decadência.

Com informação da National Secular Society.





Estudo comprova que pessoas de pouca reflexão têm mais fé em Deus
setembro de 2011