Aluno com guarda-chuva se joga de prédio e vira piada na UERJ

Passarelas ligam os sombrios prédios da universidade
Por volta das 10h de ontem (31 de março), um jovem pulou do 11º andar do prédio de Letra da UERJ (Universidade do Estado do Rio de Janeiro) e virou motivo de piadinhas de estudantes, no campus Maracanã e na internet, por ter cometido o suicídio com um guarda-chuva.

Do Orkut, um exemplo: "Eu vi o presunto, e o mais engraçado é que ele está segurando um guarda-chuva! O que esse imbecil tentou fazer? Usar o guarda-chuva de pára-quedas?"

Uma estudante de primeiro ano na universidade relatou em seu blog que um colega tinha lhe dito na sala de aula ter ouvido o som do impacto da queda de alguma coisa. Ela contou que depois, de uma janela do 3º andar, viu o corpo. E escreveu o que ouviu de um estudante veterano: “Parabéns, você acaba de ver o seu primeiro suicídio na UERJ.”

A morte do jovem é, de fato, mais uma que ocorre naquele campus. Em um site que deu a notícia do suicido, uma estudante escreveu: “O campus é depressivo, sombrio, cinza, pesado. Dá vontade mesmo de se jogar lá de cima”.

A universidade não divulga o número de pessoas que pularam do conjunto macabro de prédios. Mas, pelos comentários de estudantes, desde 2005 teria havido no mínimo um caso por ano, o que levou a Uerj a criar um programa de prevenção de suicídio, o qual  inclui a presença de seguranças nas passarelas que ligam os prédios. Programa que, pelo visto, não tem apresentado resultado satisfatório.

No Orkut, não houve só piadinhas, mas também tentativas de tratar o assunto com a seriedade que merece, como o estudante que escreveu: "As pessoas fazem isso [se matam] porque estudam em uma universidade que não tem água, papel no banheiro e professores que acreditam não existir vida pós UERJ".

Com informação O Repórter, Orkut e blogs de estudantes.





Suicídio de uma pessoa causa transtornos em outras cinco.
novembro de 2010

Casos de suicídio.

O CVV É UM SERVIÇO DE PREVENÇÃO AO SUICÍDIO.
 TEL: 141. Atende também por e-mail e on-line


Comentários

  1. Desde 13/08/2008 houve tentativas de suicídio que foram abortadas e infelizmente ontem, após 897 dias, ocorreu esse suicídio. As informações contudo não estão corretas. Os interessados em saber sobre O SUICÍDIO podem me aguardar amanhã na porta do auditório 11 na UERJ, entre 16:00 e 16:30h (quando o evento deverá terminar), que estarei disponível.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. e a maioria que pulam não são alunos, funcionários ou professores,

      são suicidas de fora que procuram ela devido as sua características estruturais

      Excluir
    2. Isso e falta de Deus,que não tem Deus em sua vida só faz isso tira a prpria vida,mente vazia e oficina do diabo.

      Excluir
  2. Concordo com Jorge.
    Acredito também que atribuir a morte do jovem às condições da UERJ seria como dizer que alguém que se joga na frente de um ônibus o faz pelas más condições da rua.
    É óbvio que existem outros fatores, aos quais não temos acesso, que motivam algo do tipo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. e a maioria que pulam não são alunos, funcionários ou professores,

      são suicidas de fora que procuram ela devido as sua características estruturais

      Excluir
  3. pelo que soube, o homem pulou do 10 andar, e muitos que pulam nem estudam lá

    ResponderExcluir
  4. O cara que pulou do 11º era de Direito, não de Letras. Provavelmente foi procurar um andar mais alto para ter a certeza de que ia morrer.
    O problema é colocarem a culpa na universidade. Acham mesmo que se ela fosse toda bonitinha, colorida e com ar feliz, ninguém ia se matar de lá? O problema tá na cabeça do aluno que faz isso, não na estrutura da universidade. Afinal, ele se jogaria de qualquer maneira, independente da faculdade ser feia, bonita, clara ou escura. Era só ele achar um lugar alto. E não tem como culpar os seguranças. Eles estão la, sim, todo dia. Mas, de repente, uma pessoa sobe na rampa e pula, sem nenhuma hesitação, como é que ia dar tempo de algum segurança sair do posto e correr até ele para impedir.
    Falar que é culpa da falta de papel higiênico, de água e de professores com mais ânimo é um argumento totalmente furado. Falar que a UERJ facilita o suicidio por outros motivos, aí tudo bem. Afinal, esses professores que citaram estao sendo generalizados. Eu não tenho professores assim (nao tantos quanto temos a impressao de haver quando lemos o comentário).
    As piadas que surgem quanto a isso são ligadas aos alunos, nao à faculdade. E óbvio que ela propicia suicídios: ela tem 12 andares! É enorme! Ele não buscaria um prédio de 3 andares para isso, pois aí teria dúvidas da morte, o que ele obviamente não queria ter.
    Enfim, quem tem que ter programa antissuicídio sao os alunos, com terapias com psicólogos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. andar do Direito é 7
      Letras é 11

      Excluir
    2. e a maioria que pulam não são alunos, funcionários ou professores,

      são suicidas de fora que procuram ela devido as sua características estruturais

      Excluir
  5. Só em 2007, no primeiro semestre, eu estava no 6º período, e tinha ouvido falar em 15 pessoas que já tinham se jogado nesse início de ano.

    A melhor época é nas férias...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. conversa fiada de 15 num ano

      Excluir
  6. Vi em 2009 um aluno se jogando, não me lembro ao certo o andar, mas digo que foi mt triste ver um jovem estirado no chão como se fosse um nada,e o pior de tudo e ver seu pai incrédulo, chorando feito criança sem acreditar no que os olhos viam. Infelizmente muitos escolhem a UERJ p. se matar! Já ouvi falar de um aluno da UFRJ que foi p. UERJ p. se suicidar! Lamentável =/

    ResponderExcluir
  7. Leiam um relato sobre um caso ocorrido em 2007:

    http://www.rafaelhuguenin.com/pdf/SUICIDIO.NA.UERJ.28.9.2007.pdf

    ResponderExcluir
  8. É um pássaro? É um avião? É o super-homem? Não, é um aluno com um guarda-chuva.

    ResponderExcluir
  9. Não é o homem-cueca não?

    kkkk, nossa Smoke, essa foi muito engraçada, não teve como não rir.

    ResponderExcluir
  10. E o deus guarda-chuva mostrou não ser tão poderoso quanto diziam e entrou para a extensa lista de mitologias, onde se encontram todos os deuses já citados durante toda a história da humanidade.

    ResponderExcluir
  11. E se o estudante ficasse no térreo, pulando tentando alcançar o último andar? Isto serviria para dizer que estando o último andar fora do alcance do estudante, não é preciso proibir que o estudante chegue ao último andar, o mesmo vale para o fruto proibido lá no paraíso.

    ResponderExcluir
  12. Sou aluno da UERJ. Curso Pedagogia, 12º andar. Muitas lucubrações foram feitas sobre os motivos do suicídio, até mesmo alegaram, nesta pretensiosa matéria, que a culpa é das condições lúgubres da UERJ. Por favor, se má condição de repartições públicas fomentassem suicídios, o que seria de nós? Mas este não é meu foco aqui. Gostaria mesmo de dizer que há um alto índice de suicídios em universidades devido às ideologias presentes. Vejamos: Um jovem cheio de sonhos e esperanças vai a universidade e começa a conhecer o mundo, e o que ele ouve lá? Que tudo é obra do acaso. Que não há propósito nisto ou naquilo. Há uma desconstrução naturalista-filosófica de cunho ateu que não proporciona base alguma para uma vida com algum propósito. A universidade desconstrói tanta coisa que só acaba restando um existencialismo barato ou um niilismo profano. E aí meu filho, custa pouco para um suicídio. Não tenho a pretensão de encerrar o assunto com este post, pois os problemas são muito mais profundos. Todavia, tenho plena certeza de que o irracionalismo e o despropósito fazem com que respostas sejam a última coisa que se encontre em uma universidade, o que, indubitavelmente, gera um índice significativo de pessoas que não conseguem enxergar sentido na existência.

    Cabe ressaltar também que eu não conheço nenhum grupo ateu nesta universidade que se mobilize pela vida, mas vejo grupos religiosos, principalmente de crentes em Cristo, que realmente lutam para que suicídios não ocorram na UERJ.

    O que, de fato, o ateísmo tem feito pelo mundo?

    Abraços,

    Marcos Vital

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O ateísmo não se proponhe a fazer algo pelo mundo, quem proponhe tal coisa são as religiões, e com o efeito colateral de produzir, mais do que mitigar, o sofrimento humano.

      Ateísmo é apenas a não crença num Deus, e não uma doutrina.

      (O que, de fato, aqueles que não acreditam em unicórnio, tem feito pelo mundo?)

      Excluir
  13. Sou da família do estudante. Posso afirmar que o suicídio nada teve a ver com as condições da faculdade. Ele deixou uma carta para os pais, dizendo que tinha vontade de se matar desde os 15 anos, que não era feliz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. fake tá brincando com coisa séria
      conversa fiada

      Excluir
    2. hahahahahha.
      Fakão

      Excluir
  14. Esse blog é de ateu fanático lamentável!

    ResponderExcluir
  15. QUEM FALOU PARA OS EDITORES DA MATÉRIA É ALUNO

    a maioria que pula não são alunos, funcionários ou professores,

    são suicidas de fora que procuram a UERJ devido as sua características estruturais

    ResponderExcluir
  16. Convidamos vc e seus seguidores para participarem do 4º Seminário de prevenção do suicídio da UERJ nos dia 10 e 11 de setembro na Capela Ecumênica - UERJ.

    Atenciosamente,

    Projeto Uerj pela Vida/NACE

    Núcleo de Acolhida ao Estudante

    (21) 2334-0983/(21) 2334-0987

    uerjpelavida2012@gmail.com

    ResponderExcluir
  17. tá melhor que o fundão, pelo menos ninguém é sequestrado ou toma tiro no pé como já presenciei.

    ResponderExcluir
  18. Sou estudante de psicologia e estou trabalhando em meu projeto de conclusão de curso, que trata exatamente deste assunto, suicídio.
    Então peço a gentileza de que se alguém tiver algo pertinente sobre o assunto que entre em contato comigo, principalmente sobre os casos da UERJ.

    marianapereira907@yahoo.com.br

    Grata.

    ResponderExcluir
  19. o que de fato, aqueles que não sabem escrever português fizeram pelo mundo? não é "proponhe". é propõe.

    ResponderExcluir

Postar um comentário