Pular para o conteúdo principal

Documentário mostra a profeta que emagrecia cristãos. Até que ela morre em acidente

IMDb: 7,7/10. Ótima pontuação para esse tipo de documentário. Conta a história do culto a Gwen Shamblin Lara, que prometia emagrecer os fiéis e garantia a salvação no Céu. Ela ficou milionária, e a sua morte em acidente de avião até hoje inspira teorias de conspiração. Disponível no Max.


A série documental "A Queda: Deus, Avareza e o Culto de Gwen Shamblin", lançada em 2021, é uma obra contundente e perturbadora que investiga a ascensão e queda da Remnant Fellowship, uma seita cristã que prometia emagrecer as pessoas. É bizarro, mas atraiu o interesse de muitas pessoas porque, afinal, o sobrepeso é um grave problema de saúde nos Estados Unidos.

A série é de Marina Zenovich, que também dirigiu o documentário The Princes of Darkness, sobre o culto de Charles Manson.

Gwen Shamblin Lara, fundadora da Remnant Fellowship, era carismática e manipuladora que se apresentava como profeta. Ela prometia que seus seguidores poderiam perder peso e alcançar a salvação através da fé e da obediência a Deus.

A Remnant Fellowship seguia um programa de dieta rigoroso que incluía jejum prolongado e exercícios excessivos. Submetidos a um intenso controle psicológico, os membros da seita eram proibidos de sair da comunidade.

O documentário apresenta depoimentos de ex-membros que relatam o sofrimento que sofreram na seita. Eles contam histórias de abuso físico e psicológico, de isolamento social e de perda de identidade. Durante a gravação, registrou-se a morte de alguns deles, tornando a série mais dramática.

A Remnant Fellowship se tornou uma fonte de riqueza para Shamblin e seu marido, Joe Lara. O casal vivia em um luxuoso rancho na Geórgia e acumulava uma fortuna com a venda de livros, DVDs e outros produtos da igreja.

Em 2021, Shamblin, Joe Lara e outros seis membros da seita morreram em um acidente de avião. A morte deles foi um choque para a comunidade e deu um novo impulso às investigações sobre a seita.

O fanatismo religioso como fonte de sofrimento

O documentário é um retrato assustador do poder do fanatismo religioso. Aos fiéis eram ensinados que a única maneira de alcançar a salvação era seguindo as regras da seita. Eles eram proibidos de questionar a liderança de Shamblin Lara.

O controle psicológico era essencial. Shamblin ensinava seus seguidores que eles eram fracos e pecadores e que só ela poderia salvá-los.

O fanatismo religioso levou a um grande sofrimento para os membros da seita, sendo submetido inclusive a abusos físicos.

O fim da seita

A morte de Gwen Shamblin Lara e de outros membros da Remnant Fellowship foi um choque para a comunidade e deu um novo impulso às investigações sobre a seita, que entrou em colapso e se dissolveu.
 
Página na internet de supostos representantes da extinta seita critica o documentário do Max, dizendo que se trata de ficção. Nega que Shamblin ensinou "qualquer coisa que tenha apoiado o abuso infantil de qualquer forma".

O legado de Shamblin, contudo, serve como mais um exemplo das consequências do poder de uma liderança carismática. 

Comentários

Post mais lidos nos últimos 7 dias

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Cientistas brasileiros e mexicanos descobrem pequena espécie de morcego

Veja 14 proibições das Testemunhas de Jeová a seus seguidores

Um em cada 4 brasileiros não tem acesso à coleta de esgoto, mostra IBGE

Veja os 10 trechos mais cruéis da Bíblia

Quatro séculos tentando provar a existência de Deus. E fica cada vez mais difícil

Contar o número de deuses é difícil porque são muitos, dezenas de milhares, milhões

Igrejas católicas alemãs estão sendo derrubadas. É a demolição da própria religião

Padre autor do mosaico de Aparecida é acusado de invocar a Trindade para ter sexo a três

Ministro 'terrivelmente' evangélico decide que financiar monumento religioso é constitucional