Pular para o conteúdo principal

Você já sofreu 'breadcrumbing'? Descubra o que são migalhas emocionais

Cerca de 35% dos usuários de aplicativos de namoro são vítimas de quem só quer "enrolar", sem interesse em relacionamento sério 


JON ANDONI DUÑABEITIA
diretor da Cátedra em Saúde
Cognitiva na Universidade
de  Nebrija, em Madrid, 
Espanha

The Conversation
plataforma de informação
e análise produzida por 
acadêmicos e jornalistas

Muitas pessoas hoje usam aplicativos de namoro nos quais estranhos iniciam conversas com um objetivo aparentemente comum: encontrar um parceiro. O primeiro erro que muitos usuários desses aplicativos cometem é pensar justamente isso, já que nossos interlocutores nem sempre estão em busca do amor verdadeiro.

Na verdade, alguns estudos sugerem que as motivações para interagir através deste tipo de plataformas são extremamente variadas, podendo ir desde a mera intenção de falar com as pessoas até fofocar sobre outros perfis. Ou seja, a busca pelo amor nem sempre é um objetivo compartilhado pelos usuários desses aplicativos.

Neste desconcertante mundo moderno de aplicativos de namoro, encontramos uma paisagem que lembra um conto clássico, cheio de personagens intrigantes e desafios emocionais. Eles nos levam a um mundo com lobos astutos e mentirosos, migalhas de pão que podem nos desencaminhar e fantasmas que desaparecem misteriosamente.

O lobo das mentiras

Nesta história, o lobo das mentiras espreita na floresta dos aplicativos de namoro. Como o lobo mau em Chapeuzinho Vermelho, este lobo se esconde atrás de um véu de engano. No mundo do namoro online, aproximadamente 7% do que se diz na fase inicial das conversas é mentira .

Muitas vezes as pessoas recorrem à mentira para tornar seu perfil mais atraente ou para evitar conversas estranhas. E embora nas histórias clássicas a verdade seja sempre revelada, no mundo dos aplicativos de namoro é muito mais difícil distinguir entre mentiras e verdades, e muitos usuários podem ficar céticos e desconfiados após se sentirem enganados. Mau começo para estabelecer um relacionamento duradouro.

A armadilha na floresta do namoro

Nesta história, muitos protagonistas se aventuram em uma floresta, onde migalhas de pão são usadas não para encontrar o caminho de volta para casa, mas para manter as pessoas presas em um intrincado labirinto emocional. Essa prática é conhecida como “ breadcrumbing ” e é derivada da palavra breadcrumb , que em inglês significa “breadcrumb”.

O termo tem origem na prática de deixar migalhas de pão como sinais, em referência à história de João e Maria em que os personagens deixavam pistas para marcar seu caminho na floresta.

Assim, breadcrumbing consiste em dar sinais intermitentes de interesse sem um compromisso real de avançar no relacionamento. Alguém que despertou o nosso interesse de vez em quando nos deixa sinais que mantêm viva a ilusão ou a esperança, mas que nunca levam a mais nada. Como nas histórias, quem segue as migalhas muitas vezes se perde em uma floresta de expectativas não realizadas.

De acordo com um estudo recente, cerca de 35% dos usuários de aplicativos de namoro iniciaram ou experimentaram o breadcrumbing. Longe de ser uma curiosidade, o 'breadcrumbing" tem um forte impacto negativo na vida de quem o sofre, levando-os a sentirem-se perdidos num labirinto emocional do qual é difícil sair emocionalmente intactos.

Há estudos que mostram que, à medida que as migalhas continuam, as pessoas podem sentir menos satisfação na vida e sentir-se mais sozinhas e desamparadas, visto que o seu interlocutor não tem intenção real de levar o relacionamento a um nível mais profundo.

O fantasma

Neste conto moderno, também encontramos um fantasma misterioso. Como fantasmas em histórias de terror, “fantasmas” em aplicativos de namoro envolvem alguém desaparecendo repentinamente sem deixar rastros. Ghosting (ghost em inglês significa fantasma) seria traduzido como “desaparecimento fantasmagórico” ou “desaparecimento repentino”, e também é conhecido coloquialmente como “deixar alguém a ver navio" [na versão em português].

Como se fossem personagens de um romance de mistério, as pessoas que sofrem fantasmas são abandonadas em meio à incerteza, sem pistas do que aconteceu. Após diversas interações através de um aplicativo de namoro, e tendo gerado expectativas na outra pessoa, o fantasma desaparece, causando um sentimento de perplexidade que, por vezes, tem forte impacto emocional.

O relacionamento Chapeuzinho
Vermelho como o Lobo Mau é
real 
no mundo dos aplicativos
ILUSTRAÇÃO: REDE SOCIAL

Vamos relembrar o momento em que o príncipe e a Cinderela se encontram no baile e fazem uma partida mágica e emocionante. Ambos se sentem instantaneamente atraídos um pelo outro, semelhante ao que acontece em muitos aplicativos de namoro quando duas pessoas começam a interagir. Porém, Cinderela pratica fantasmas e desaparece misteriosamente, deixando o príncipe sozinho com um sapatinho de cristal e se perguntando o que aconteceu. Felizmente para o príncipe, a história termina bem e o amor prevalece.

Por outro lado, o ghosting na história dos aplicativos de namoro nem sempre termina bem. Um estudo recente relata que cerca de 20% dos usuários dessas plataformas iniciaram ou sofreram ghosting.

Busca de relacionamentos sólidos

No mundo dos aplicativos de namoro, lobos de mentiras, migalhas liderando o caminho e fantasmas são apenas alguns dos desafios. Esses problemas podem levar à desconfiança, frustração e confusão nos relacionamentos. No entanto, nem tudo está perdido.

Assim como na história da Cinderela, onde a história continua depois do baile, na vida real relacionamentos significativos são construídos à medida que as pessoas se conhecem mais profundamente por meio de encontros reais e conversas honestas. 

Em vez de desaparecerem como fantasmas, estudos científicos demonstraram que as pessoas podem encontrar um maior sentido de ligação e autenticidade investindo tempo e esforço no desenvolvimento de relações que vão além da superfície, criando a sua própria história de amor duradouro.

Na verdade, estima-se que dois terços dos relacionamentos românticos de jovens adultos começaram como amizades. Assim como nas histórias de infância, onde os personagens criaram laços antes de encontrar o amor verdadeiro, a construção de relacionamentos fortes é baseada no conhecimento mútuo, na confiança e na comunicação eficaz. Não vamos esquecer como nasceu o amor entre a Bela e a Fera .

Cada um de nós é protagonista da sua própria história e está em nossas mãos escrever o final.

Comentários

Post mais lidos nos últimos 7 dias

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Em 2022, no Rio, jovens e brancos foram maioria dos casos da varíola dos macacos

Veja 14 proibições das Testemunhas de Jeová a seus seguidores

Britney Spears entra na lista de famosos que não acreditam em Deus

Por que Jesus é retratado com um tanquinho? Esse messias reflete os valores cristãos de masculinidade

Atentados e corte de verba pública colocam as Testemunhas de Jeová em crise

Sam Harris: não é Israel que explica as inclinações genocidas do Hamas. É a doutrina islâmica