Pular para o conteúdo principal

Ateus criticam prefeito de NY por rejeitar separação entre Igreja e Estado

Eric Adams costuma dizer que administra a cidade como um "servo de Deus"

Ateus e humanistas dos Estados Unidos criticaram o prefeito de Nova Iorque, Eric Adams, por ele ter se manifestado contra o Estado laico.

Durante um encontro inter-religioso, em 1º de março, Adams afirmou que ninguém fale para ele na separação entre Igreja e Estado.

"Estado é o corpo. Igreja é o coração. Você tira o coração do corpo, o corpo morre. Não posso separar minha crença porque sou uma autoridade eleita. Quando ando, ando com Deus. Quando falo, falo com Deus. Quando coloco políticas [públicas] em vigor, eu as coloco com uma abordagem divina. É o que eu sou."

Ele começou o discurso assim: “[Quando] tiramos as orações das escolas, as armas entraram nas escolas”.

Nadya Dutchin, diretora da American Humanist Association, disse que o nacionalismo religioso é incompatível com a democracia.

“É terrível que o prefeito traia a confiança de seus eleitores ao afirmar que a crença em Deus tem lugar na governança e nas políticas públicas.”

Para ela, Adams deu "um tapa na cara dos nova-iorquinos não religiosos com o direito constitucional e moral de viver livre da influência religiosa sectária e opressiva".

"O prefeito deve esclarecer imediatamente suas afirmações e estabelecer um compromisso com a separação entre Igreja e Estado, ou ele corre o risco de deixar seus constituintes se perguntando se o nacionalismo cristão assumiu o controle da prefeitura.”

Adams acha
que se encontra
em missão divina

Nick Fish, presidente do American Atheists, divulgou nota ressaltado que o Estado laico protege os direitos de cristãos, budistas, judeus, hindus e ateus.

"Ao longo dos últimos anos, os políticos nacionalistas cristãos e os juízes da Suprema Corte minaram cada vez mais esse importante princípio, impondo sua religião pessoal a todos os americanos."

Acrescentou que o discurso do prefeito não se distingue do dos extremistas que querem "proibir o aborto em todo o país, desumanizar e ameaçar nossos amigos e entes queridos LGBTQ e tratar minorias religiosas e não religiosos como cidadãos de segunda classe."

Fish disse que Adams tem de pedir desculpas e procurar dialogar com a comunidade de ateus. "Ele lidera uma das cidades mais diversificadas do país e deveria começar a agir assim".

O prefeito não recuou, embora suas afirmações tivessem forte repercussão na rede social.

Na quinta (2), quando se encontrou pela primeira vez com os repórteres após sua pregação contra o Estado laico, ele afirmou, rindo, que ia fazer "uma oração silenciosa para que Deus pudesse me dar paciência para responder a essas perguntas".

Após o silêncio, ele falou 10 minutos se colocando como vítima da imprensa por expressar a sua fé.

> Com informação do Daily News, American Humanist Association, American Atheists e outras fontes e foto de divulgação.

• Nos Estados Unidos, 14% dos ex-católicos se declaram ateus

• Poucos americanos acham que gay ou ateu possa ser presidente

• Sam Harris é o ateu mais temido por religiosos dos EUA

Comentários

Revista Banksia disse…
Vagabundo!

Post mais lidos nos últimos 7 dias

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Morre o americano Daniel C. Dennett, filósofo e referência contemporânea do ateísmo

Veja 14 proibições das Testemunhas de Jeová a seus seguidores

Britney Spears entra na lista de famosos que não acreditam em Deus

Oriente Médio não precisa de mais Deus. Precisa de mais ateus

Veja os 10 trechos mais cruéis da Bíblia

Vídeo mostra adolescente 'endemoninhado' no chão. É um culto em escola pública em Caxias

Ignorância, fé religiosa e "ciência" cristã se voltam contra o conhecimento

Prefeito de Sorocaba não acata Justiça e mantém Bíblia em escolas