Fanatismo católico tenta censurar outra vez Natal do Porta dos Fundos

Justiça rejeitou o pedido da Associação Centro Dom Bosco 

Uma associação de católicos tentou censurar o especial de Natal de 2021 do grupo Porta dos Fundos, a exemplo do que ocorreu em anos passados. O pedido da Associação Centro Dom Bosco mais uma vez foi rejeitado pela Justiça.

O juiz Luiz Gustavo Esteves, da 11ª Vara Cível da capital de São Paulo, sentenciou que o episódio "Te prego Lá Fora" não se configura como "discurso de ódio, mas sim, uma sátira extremamente ácida, típica do grupo, a justificar a prévia censura pretendida, respeitado entendimento diverso".

Em desenho animado, o especial mostra o Jesus adolescente com dificuldade de se adaptar em uma nova escola por causa de sua identidade secreta de Messias. O roteiro é de Fábio Porchat.

Embora o episódio esteja em um canal streaming — ou seja, disponível só para assinantes, que, ainda assim, pode ou não assisti-lo —, a associação fundamentalista argumentar que tem de haver censura por uma "necessidade de proteger o sentimento religioso de uma violação grave".

Para o juiz, contudo, "em que pese o conteúdo do programa possa não agradar determinadas audiências, não compete ao Estado laico intervir em prol de determinados grupos".



> Com informação da Justiça de São Paulo.

Frango assado é corpo de Cristo em vídeo do Porta dos Fundos


Em Porta dos Fundos, crianças acham que Jesus é super-herói da Marvel