Há suspeita de que brasileiro que chegou da África esteja com Ômicron

Variante deve se espalhar pelo mundo

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) informou que um brasileiro com passagem pela África do Sul testou positivo para Covid-19 ao desembarcar no Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo. Não foi confirmado se o passageiro está contaminado pela variante Ômicron.

De acordo com a Anvisa, o passageiro chegou ao país no sábado (27), em um voo da Ethiopian Airlines, apresentou um teste negativo feito na origem do voo, conforme determina uma portaria interministerial, e estava assintomático. No entanto, um novo teste PCR, realizado em um laboratório do aeroporto, deu positivo. 

Como o cidadão é vacinado contra a Covid-19, há suspeita de que esteja contaminado pela nova variante, que apresenta resistência à imunização existente.

Após a identificação, autoridades de saúde foram notificadas pela Agência. “Após a identificação e testagem com resultado positivo para Covid-19, o paciente foi colocado em isolamento e já cumpre quarentena residencial. Os órgãos de saúde estadual e municipal passam a fazer o monitoramento do caso. O Ministério da Saúde acompanha o caso”, informou o órgão.

As restrições a viajantes oriundos de países da África começam a valer somente amanhã (29), mas a Anvisa já está atuando diante do risco de transmissão da variante Ômicron.

Na semana passada, o surgimento de uma variante no novo coronavírus foi confirmado em regiões da África. Batizada de Ômicron — letra grega correspondente à letra “o” do alfabeto —, a cepa B.1.1.529 foi identificada em Botsuana, país vizinho à África do Sul, em meados de novembro. 

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a variante pode se tornar responsável pela maior parte de novos registros de infecção pelo novo coronavírus em províncias sul-africanas.

No Brasil, ainda não foi registrado nenhum caso da Ômicron. Por precaução, o governo federal decidiu restringir e entrada de passageiros oriundos da África do Sul, Botsuana, Lesoto, Namíbia, Zimbábue, Eswatini (ex-Suazilândia), Angola, Malawi, Moçambique e Zâmbia.

Especialistas afirmam que o Ômicron, já presente em alguns países, vai se espalhar rapidamente pelo mundo. Ainda não há estudos sobre a letalidade da nova cepa em relação às que já estavam circulando.

Ômicron tende a se
espalhar rapidamente

> Com informação da Agência Brasil e de outras fontes.