Governo de Angola suspende as transmissões da TV Record

O governo de Angola determinou a suspensão a partir da zero hora desta quarta-feira (21) das atividades da TV Record, emissora brasileira ligada à Igreja Universal do Reino de Deus, do bispo Edir Macedo. A medida se estende a portais, revistas e jornais de grupos nacionais. 

Por intermédio do Ministério das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, o governo também suspendeu a operação de provedoras de televisão por assinatura que transmitem os sinais da Rede Record, entre outras emissoras.

Nuno Caldas, secretário de Estado para Comunicação Social, afirmou que a emissora se encontra em “inconformidade” em relação às leis de imprensa e de radiodifusão.

A decisão ocorre poucos dias após de os Serviços de Migração e Estrangeiro anunciarem que os pastores brasileiros da Universal com documentação vencida terão de deixar o país.

O bispo Edir Macedo perdeu o controle da Igreja naquele país, onde pastores angolanos declararam rompimento com a matriz brasileira, assumindo a direção da denominação, com o argumento de que a Igreja vinha desviando recursos para o Brasil e outros países, entre outras irregularidades.

Macedo nega as acusações. A ala brasileira da igreja recorreu à Justiça contra os pastores dissidentes, que, informalmente, contam com o apoio do governo do presidente João Lourenço (MPLA).

A TV Record de Angola vem criticando o governo pela ‘nacionalização’ da Universal e por xenofobia contra os pastores brasileiros.

Caldas disse que a emissora, representada pela Rede Record de Televisão Angola Ltda. e Record TV África, e os jornalistas estrangeiros a ela vinculados terão de regularizar sua documentação nos órgãos competentes.

> Com informação da Televisão Pública de Angola, Portugal Digital e outras fontes.