Pular para o conteúdo principal

Bolsonaro fica irritado com aprovação da CoronaVac que vai salvar vidas

Paulo Lopes     O presidente Bolsonaro se mostrou irritado em sua primeira aparição pública após a aprovação da CoronaVac pela Anvisa.

Em vez de se mostrar satisfação (ou fingir pelo menos) com a aprovação do primeiro imunizante à pandemia do coronavírus que vai salvar vidas, Bolsonaro, com o semblante pesado, cometeu um ato falho.  Começou dizendo que “apesar da vacina... apesar não [porque] a Anvisa aprovou e não tem que discutir mais”.

Bolsonaro afirmou que a vacina é do Brasil, e não de algum governador, referindo-se a João Doria, que começou a providenciar a vacina já em meados de 2020.

Para não ter de reconhecer o mérito do governador de São Paulo, o presidente, como é de sua natureza cruel, não fez qualquer menção aos sofrimentos e mortes que a vacina vai evitar.

Nesta segunda-feira, 18, ele reconheceu que a vacina comprada pela Fiocruz, a AstraZeneca/Oxford, a aposta do governo federal, já deveria ter chegado ao Brasil e não disse quando isso ocorrerá. 

No mesmo dia Doria anunciou que vai pedir à Anvisa a liberação de mais 4 milhões de doses da CoronaVac, o primeiro lote fabricado no Brasil.

Bolsonaro, em permanente campanha pela sua reeleição, vinha falando muitas besteiras sobre a CoronaVac, as quais, agora, vai ter de engolir.

Seguem três exemplos

1 – Em julho, ao anunciar o acordo da Fiocruz com a Universidade de Oxford para a aquisição da AstraZeneca, Bolsonaro descartou a CoronaVac, identificando-a como a vacina “daquele outro país”.

2 – Em outubro, Bolsonaro desautorizou publicamente ministro Eduardo Pazuello, que tinha anunciado a compra de 46 milhões de doses da CoronaVac. 

O presidente sabia obviamente do negócio, mas ele decidiu humilhar o seu ministro para agradar os milicianos virtuais, seus apoiadores.

3 – No mesmo mês, Bolsonaro, de cima de sua arrogância, disse em uma entrevista que não compraria a CoronaVac mesmo se a vacina fosse aprovada pela Anvisa.

O seu argumento foi de que havia um “descrédito muito grande” em relação ao imunizante e que os brasileiros não seriam “cobaias” dos chineses.

Além de xenófobo, Bolsonaro é ignorante, porque não sabe que a China é grande exportador de remédios, incluindo da matéria prima AstraZeneca/Oxford.

Bolsonaro aborrecido
com aprovação de vacina

Comentários

Postar um comentário

Posts mais acessados na semana

No Brasil, mulher que não crê em Deus é submetida à opressão em dobro

Cobrado por aluguel de templo, Valdemiro diz não ter contrato social com a Igreja Mundial

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade