Pular para o conteúdo principal

Polícia investiga 'Guardiões do Crivella' que atacam pacientes de hospitais

A Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas do Rio cumpriu na tarde de hoje (1) nove mandados de busca e apreensão contra servidores que compõem os “Guardiões de Crivella”.

O Jornal Nacional de ontem mostrou que esses servidores municipais vinham atacando desde 2019 pacientes de hospitais e seus parentes durante entrevistas a jornalistas sobre reclamação de atendimento.

A juíza Soraya Pina Bastos, do Plantão Judiciário, expediu os mandados ontem mesmo, à noite, de modo que a polícia consiga reunir provas contra a formação do grupo criminoso.

Suspeito de ser miliciano em três inquéritos, Marcos Luciano, assessor especial do prefeito Marcelo Crivella, é apontado como o chefe dos “guardiões”.

O Ministério Público também está investigando grupo.

Os "guardiões" poderão responder por atentado contra a segurança de serviço de utilidade pública, associação criminosa e advocacia administrativa.

Em nota, ontem, a Prefeitura não negou a existência do grupo, dando a justificativa de que se trata de uma iniciativa para informar os pacientes dos hospitais.

O "guardião" Marcos Aurélio Poydo Mendes, ao ser chamado por telefone para prestar esclarecimento, debochou do agente policial, dizendo que a intimação deveria ser enviada para o “gabinete do Crivella”. 



Com informação do G1 e de outras fontes.

Comentários

Vindo do sistema globo não tem credibilidade.

Posts + acessados hoje

Derrota de Crivella abala projeto de poder de Bolsonaro e o de Edir Macedo

'Penha me transformou em monstro', afirma ex-marido

Bolsonaro impõe sigilo em telegramas de interferência em crise da Universal em Angola