Pular para o conteúdo principal

Hospital adventista cobra depósito de R$ 100 mil para tratar de pacientes com Covid-19


O Procon está investigando o Hospital Adventista de Manaus por estar sendo acusado por pacientes com Covid-19 de cobrar preços abusivos.

Embora desfrute de isenção tributária, por ser filantrópico, o hospital aumentou de R$ 50 mil para R$ 100 mil o valor da caução (depósito) para começar a tratar de um paciente. 

HOSPITAL AUMENTOU OS
PREÇOS JUSTAMENTE PARA
QUEM MAIS PRECISA DE
ATENDIMENTO

Também elevou de R$ 500 para R$ 3.000 o preço de consulta a paciente com sintomas de coronavírus. 

O hospital admitiu que os preços se referem a um pacote de tratamento para coronavírus, não valendo, portanto, para as demais internações.

O vereador Chico Preto (PMN) afirmou que está indignado com “a ganância e a usura [do hospital] neste momento tão delicado”.


O sistema público de saúde de Manaus entrou em colapso por causa da pandemia. Não há mais leitos de UTI.

O vereador pediu à prefeitura informação sobre o montante que o hospital deixou de pagar aos cofres públicos por contar com benefícios tributários.

O site do hospital afirma que seus valores são “o amor a Deus e ao próximo tendo o paciente como centro das atenções, o respeito aos princípios bíblicos, a ética profissional em todas as suas esferas e a qualidade na prestação de serviços”.

SITE DO HOSPITAL USOU ESTA
FOTO PARA DIZER QUE O 'SENHOR
JESUS' É O 'MÉDICO DOS MÉDICOS'


Com informação de Veja e do site do hospital.

Comentários

Anônimo disse…
Cadeia neles