Pular para o conteúdo principal

Mulheres de pastores angolanos da Universal protestam contra imposição da vasectomia

Mulheres de pastores angolanos da Universal fizeram hoje (14/3) passeata em Luanda contra a imposição da vasectomia ao seus maridos pela Igreja.

"Não à violação da Constituição da República de Angola, não à evasão de divisas, não à vasectomia, que é um direito constituir família”, diz um cartaz da passeata, que foi obrigada pela polícia a parar cem metros da catedral do Maculusso.



As manifestantes pediram que os "senhores bispos e pastores não mintam no púlpito".

Nádia Monteiro, integrante da Universal, disse haver uma queixa-crime contra a direção da Igreja. 

“As mulheres dentro da igreja têm sofrido muitos maus tratos,  muitas delas por causa da opressão chegam a fazer o aborto porque os pastores têm obrigação de fazer vasectomia.”

Odete Carla, da catedral do Morro Bento, disse que “não é justo o que os brasileiros [pastores] estão fazendo com os angolanos”.

O movimento de pastores angolanos contra a matriz da igreja brasileira ocorre desde novembro de 2019 [vídeo abaixo], quando houve um anúncio de rompimento com Edir Macedo, o líder da Universal.


Com informação da Notícias de Coimbra, Lusa e de outras fontes.




Universal cresce na África com promessas de prosperidade

Em Moçambique, Universal é chamada de 'Igreja dos Ladrões'

Igreja Universal abre templo até em aldeia africana

Lula ajudou a Universal a se expandir na África, diz Crivella




Comentários

Editor deste site
Paulo Lopes é jornalista
Trabalhou no jornal 
abolicionista Diario Popular, 
Folha de S.Paulo, revistas da
Editora Abril e em outras 
 publicações. 
Contato

POSTS MAIS LIDO EM 7 DIAS

Hospital de campanha de evangélicos em Nova York não aceita voluntários gays

Vídeo: R.R. Soares manda o Covid-19 para o inferno, mas não tira a máscara do rosto

Cristianismo é a religião que mais perseguiu o conhecimento científico