Vaticano aplica no mercado financeiro dinheiro de fundo de ajuda aos pobres

Revista teve acesso a um
 documento confidencial
 produzido por investigadores
do papa Francisco

Vazamento de documentos confidenciais revela que o banco do Vaticano está investindo no mercado financeiro cerca de US$ 650 milhões de um fundo de ajuda aos pobres, o Óbolo de São Pedro.

As 16 páginas secretas que chegaram ao jornalista Emiliano Fittipaldi, da revista semanal L'Espresso, sobre as investigações determinadas pelo papa Francisco, mostram que o desvio dos recursos de caridade ocorre no âmbito da Secretaria de Estado,

A imprensa italiana está noticiando o caso como um novo Vatileaks, que é o nome que se dá a escândalos envolvendo o Vaticano.

O Óbolo de São Pedro é constituído por doações de católicos e de instituições de caridade de todo o mundo com o propósito de ajudar os mais pobres entre os pobres.

Fittipaldi descobriu que 77% do total desses recursos estão aplicados em subsidiárias do Credit Suisse.

De acordo com os documentos oficiais, pelo menos 500 milhões de euros foram aplicados com “irregularidades vistosas” em operações financeiras que “abrem cenários perturbadores”.

Gian Piero Milano e Alessandro Diddi, investigadores do papa, detectaram também “indícios graves de peculato, fraude, abuso de poder, reciclagem e autoreciclagem [de investimentos]", além de corrupção de apropriação indébita (roubo).

Fittipaldi escreveu que “a Santa Sé está enfrentando um escândalo que tem poucos precedentes na história recente”.

“É um tsunami devastador.”

Com informação da L'Espresso e de outras fontes.



Vaticano é paraíso fiscal com mais de 300 milhões de euros

JPMorgan fecha conta do Vaticano que facilita lavagem de dinheiro

Vazamento de documentos viola sigilo divino, diz Vaticano

Vaticano mantém imóveis vazios em vez de abrigar os sem teto




Comentários