Pular para o conteúdo principal

Novo Procurador se compromete com o conservadorismo evangélico

Augusto Aras assinou documento
 que submete a Procuradoria-Geral
à pauta retrógrada dos evangélicos
  
O novo procurador-geral da República, Augusto Aras (foto), assinou uma carta de compromisso de ‘valores cristãos’ da Anajure (Associação Nacional de Juristas Evangélicos).

Indicado pelo presidente Bolsonaro, Aras, que ainda terá de ser sabatinado por parlamentares, é o primeiro chefe do Ministério Público a endossar por escrito o conservadorismo evangélico.

Com mais de 2.900 palavras, o documento não lembrou que a Constituição separa a Igreja do Estado e em síntese propugna o enfraquecimento da laicidade estatal.

Seguem os principais pontos do documento

Família

O documento diz que respeita “os direitos fundamentais das minorias sexuais”, mas afirma que a instituição familiar é composta por homem e mulher.

Reconhece a “autonomia individual quanto à construção privada de relacionamentos”, mas não aceita a união jurídica entre duas pessoas do mesmo sexo ou as poliafetivas.

Proselitismo religioso

A associação dos evangélicos defende no documento o direito ao proselitismo religioso e à evangelização, o que, conforme fica subentendido, pode ocorrer em qualquer lugar, incluindo os lugares públicos.

Símbolos

Defende ainda a exposição em estabelecimentos públicos de símbolos religiosos, os quais entendem como “manifestações culturais e aspectos identitários da nação brasileira”.

Os símbolos devem ser mantidos “ainda que remetam a determinada confissão religiosa”.

Também devem ser respaldo “os monumentos públicos com conotação religiosa, feriados religiosos e a menção a “Deus” no preâmbulo do texto constitucional”.

Imunidade

Reforça que os templos desfrutam de imunidade tributária, de acordo com a Constituição, e acrescenta que o benefício deve ser concedido aos “demais instrumentos necessários ao serviço” religioso.

Não define a amplitude do que se pode entender como “serviço religioso” nem quais seriam os “instrumentos necessários”.

A associação quer que a Procuradoria se posicione contra quaisquer projetos de lei ou de emenda à Constituição que acabe ou reduza essa imunidade tributária.

Discurso de ódio

Para a Anajure, o proselitismo e o ensino de doutrinas religiosas, mesmo em espaço público, não podem ser considerados “discurso de ódio, nem afronta à liberdade de outrem, nem geração de danos morais”.

Isso significa, por exemplo, que pastor podem afirmar em programas de TV, por exemplo, que os  homossexuais são endemoniados, sem que ninguém possa recorrer à Justiça por ofensa.

Transfusão de sangue

Coloca o direito à crença acima do direito à vida ao dar respaldo a dogmas religiosos em detrimento da ciência médica.

Por exemplo: os médicos não poderiam recorrer à transfusão de sangue para salvar uma Testemunha de Jeová, mesma ela sendo criança, porque, por essa crença, que aceitar o procedimento perderá a chance de entrar no Paraíso.

O documento assinado por Aras também quer a proibição de “atividades públicas, como concursos e atividades escolares, em dias da semana que não contrariem a crença religiosa.

Admite a imolação de animais em rituais, desde que não haja tratamento cruel, como se isso fosse possível.

STF

O que os juristas evangélicos chamam de “principiológicas do cristianismo”, também estabelece que o Supremo Tribunal Federal não deve tomar decisões que envolvam valores religiosos, como autorização para o aborto, porque essa é uma atribuição do Legislativo.

Maioria versus minoria

Os juristas evangélicos usaram uma expressão do latim —  mores maiorum civitatis — para afirmar que o Ministério Público deve agir para proteger principalmente a maioria da população, não só em relação às leis, mas também de acordo com os costumes culturais.

O documento, nesse trecho, se confronta com os princípios da existência do Ministério Público, que são, dentro da lei, defender as minorias das exacerbações da hegemonia das maiorias, entre outros aspectos.

Lava Jato

Os juristas evangélicos defendem o combate à corrupção com operações do tipo da Lava Jato, mas dizem que elas devem ser aprimoradas.

Também dão respaldo à prisão imediata do condenado em segunda instância.

Cura gay

O documento se manifesta a favor da cura gay, “facultado a qualquer pessoa tornar-se paciente em tratamento de reversão sexual, por motivos religiosos ou não”.

Quer que profissionais possam oferecer esse tratamento sem que sejam autuados pelo código de conduta ética de suas entidades representativas.

Aborto

A associação religiosa se coloca contra qualquer tipo de aborto, porque “o feto possui os direitos humanos e fundamentais”. “A vida humana tem início com a concepção.”




Evangélicos de escola de música de universidade do Rio se recusam a cantar Villa-Lobos

Loja do Grande Rio exige que candidatos a emprego sejam evangélicos

Brasil é refém da paralisia mental do dogmatismo evangélico, diz Delfim Netto

Evangélicos vão engolir o Brasil em poucos anos, afirma Pondé





Comentários

Anônimo disse…
Parece um filme de terror, ainda foi postado numa sexta-feira 13, que pesadelo sem fim.
Novo Satanás disse…
Ora, é só os evangélicos tomarem uma dose de veneno, que a partir daí não existirão mais evangélicos.

Estes milagres acompanharão os que crerem: expulsarão os demônios em meu nome, falarão novas línguas,
manusearão serpentes e, se beberem algum veneno mortal, não lhes fará mal; imporão as mãos aos enfermos e eles ficarão curados.

Marcos 16:17,18
J Cícero Costa disse…
Partilho da opinião de que Política e Religião não se devem misturar. Sempre que se misturam dogmas religiosos com temas políticos e sociais fica ameaçado o ideal democrático de toda a nação.

A nossa Constituição contempla a pluralidade de crenças e a liberdade de culto, princípios básicos dos Estados laicos.

A imisção de doutrina religiosa em assuntos políticos abre um perigoso precedente para que preceitos religiosos de caráter dogmático se imponham sobre a administração pública como um todo, limitando ou suprimindo a liberdade de agir e interagir das pessoas, o que resultaria no domínio de grupos político-religiosos sobre os demais estratos da sociedade, estimulando o aumento da intolerância de uns sobre outros, que poderia evoluir para o fundamentalismo, o qual resulta quase sempre em conflitos sangrentos motivados pela fé, a exemplo do que ocorre em Estados do Oriente Médio.

Augusto Hades, o Deus do mundo subterrâneo! Ave! Grande senhor dos mortos-vivos da história brasileira do porvir!
20.08.2022 (b)
ROMA. POMPEU. JÚLIO CÉSAR. O BRASIL JÁ PERDEU MAIS DE 3 TRILHÕES DE REAIS EM DIVISAS EM 40 ANOS PARA O TRÁFICO DE DROGAS. O SILÊNCIO DOS INOCENTES! ATÉ QUANDO? Os piratas dos mares que banhavam Roma ficaram tão infestado de piratas dos mares e organizações criminosas de todos os tipos que ameaçaram o poder do Império, matando, sequestrando, traficando pessoas capturas e vendidas como escravos. Por causa daquela criminalidade Roma estava sem pão e à beira de uma guerra civil. Júlio César apontou Pompeu para combater a corja, a escória dos mares. Dois mil anos, depois a mesma situação acontece no Brasil. Organizações criminosas do Brasil em coalizão com as de Roma, já fizeram o Brasil perder mais de 3 triliões de reais em divisas para os países produtores, no consumo, exportação, incineração de drogas, bem como no combate e retrabalho policial e judicial. Muitas vezes, por causa de “detalhes técnicos”, o judiciário (se é que se pode chamar lixo e escória de “judiciário”; como no caso de o Supremo Tribunal Federal que liberta traficantes internacionais, como, por exemplo, o “affaire” jurídico que aconteceu entre o Ministro Marco Aurélio e André do Rap, verdadeiro acinte, ultraje, afronta contra todos os cidadãos do bem da nação brasileira. Mas, que ninguém se engane, o arcabouço labiríntico das legislações, repletas de brechas e buracos, tal qual um queijo suíço, foi feito sob medida para os advogados do diabo, ex-alunos de procuradores, delegados, juízes, desembargadores, proprietários de bancas de advocacia, etc. O Brasil é o país que mais forma advogados no mundo! O que fazer com eles? Qual policial, por seu turno, vai integrar forças policiais civis e militares apocalípticas, em troca de esmolas salariais? Qual louco vai arriscar a vida, enxugando gelo, se não houver como ganhar dinheiro extra? Por isso mesmo, é o povo que tem que se unir na frente do Congresso Nacional e exigir a pena de morte e penas duras para todos os demais crimes, tais como furto, roubo, estelionato, estupro, sequestro, tráfico de drogas e de pessoas, homicídio, latrocínio, assassinato, etc. etc. etc. Principalmente aqueles cidadãos que já sentiram na pele as consequências do apocalipse brasileiro, do seu armagedon, do seu pandemônio, do holocausto de cidadãos brasileiros do bem! Existem organizações para tudo no Brasil, porque as vítimas não se organizam? Vamos lá, brasileiros do bem, chega de “silêncio dos inocentes”. Vamos lá cordeiros e ovelhas propriedade dos lobos pastores? Quem sabe faz a hora, não espera acontecer! Eu compreendo que o Brasil possui 45 milhões de pessoas com necessidades especiais e que outra parcela significativa precisa dar atenção aos mesmos, sobrando pouco gente para colocar o Brasil no rumo da ordem e do progresso; mas vale a pena fazer uma forcinha, para enfrentar as organizações criminosas eleitas e concursadas! LUÍS CARLOS BALREIRA. PRESIDENTE MUNDIAL DA LEGIÃO CIENTÍFICA BRASILEIRA.

Post mais lidos nos últimos 7 dias

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Malafaia divulga mensagem homofóbica em outdoors do Rio

Estudante expulsa acusa escola adventista de homofobia

Arianne disse ter pedido outra com chance, mas a escola negou com atualização Arianne Pacheco Rodrigues (foto), 19, está acusando o Instituto Adventista Brasil Central — uma escola interna em Planalmira (GO) — de tê-la expulsada em novembro de 2010 por motivo homofóbico. Marilda Pacheco, a mãe da estudante, está processando a escola com o pedido de indenização de R$ 50 mil por danos morais. A primeira audiência na Justiça ocorreu na semana passada. A jovem contou que a punição foi decidida por uma comissão disciplinar que analisou a troca de cartas entre ela e outra garota, sua namorada na época. Na ata da reunião da comissão consta que a causa da expulsão das duas alunas foi “postura homossexual reincidente”. O pastor  Weslei Zukowski (na foto abaixo), diretor da escola, negou ter havido homofobia e disse que a expulsão ocorreu em consequência de “intimidade sexual” (contato físico), o que, disse, é expressamente proibido pelo regulamento do estabelecimento. Consel

Escola Estadual Igreja Evangélica muda de nome e deixa de afrontar o Estado laico

MPF recorre no Rio à Justiça para permitir a ‘cura’ de homossexuais

O MPF (Ministério Público Federal) no Rio deu entrada na Justiça a uma ação civil pública para anular a resolução do CFP (Conselho Federal de Psicologia) que proíbe os profissionais de prometer “cura” da homossexualidade porque se trata de uma orientação sexual, e não de um transtorno. A iniciativa do MPF coincide com o esforço que lideranças evangélicas, incluindo seus representantes na Câmara dos Deputados, estão fazendo para derrubar essa resolução do conselho. Fábio Aragão, um dos três procuradores que assinam a ação, é evangélico. Para o deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ), isso demonstra que o Ministério Público está sendo instrumentalizado pela crença pessoal de um de seus integrantes. “Isso é um erro grave, porque a Justiça deve ser laica”, disse o deputado. “Retomar a discussão sobre a homossexualidade ser ou não uma doença é um absurdo do mesmo tipo que seria retomar a discussão sobre se o sol gira em torno da terra.” Carlos Tufvesson, estilista engajado no movimento de

Prefeito de São Paulo veta a lei que criou o Dia do Orgulho Heterossexual

Kassab inicialmente disse que lei não era homofóbica O prefeito Gilberto Kassab (PSD), na foto,  disse que vai vetar o projeto de lei aprovado pela Câmara Municipal de São Paulo que aprovou o Dia do Orgulho Heterossexual. Trata-se de um recuo porque, na época da aprovação do projeto, ele disse que a nova data não tinha caráter homofóbico. Agora, Kassab disse que se trata de uma medida “despropositada”, conforme entrevista que deu ao jornal Agora São Paulo. "O heterossexual é maioria, não é vítima de violência, não sofre discriminação, preconceito, ameaças ou constrangimentos. Não precisa de dia para se afirmar", disse. O prefeito falou haver somente sentido em datas que estimulem “a tolerância e a paz” em relação, por exemplo, a mulheres e negros e minorias que são vítimas de ofensas e brutalidades. Na campanha de 2008 da eleição municipal, a propaganda na TV de Marta Suplicy (PT) chegou a insinuar que o então seu adversário Kassab era gay, embora ela ti

Essência do totalitarismo é querer fazer o 'bem para todos'

Título original: Tentação totalitária por Luiz Felipe Pondé para Folha Você se considera uma pessoa totalitária? Claro que não, imagino. Você deve ser uma pessoa legal, somos todos. Às vezes, me emociono e choro diante de minhas boas intenções e me pergunto: como pode existir o mal no mundo? Fossem todos iguais a mim, o mundo seria tão bom... (risadas). Totalitários são aqueles skinheads que batem em negros, nordestinos e gays. Mas a verdade é que ser totalitário é mais complexo do que ser uma caricatura ridícula de nazista na periferia de São Paulo. A essência do totalitarismo não é apenas governos fortes no estilo do fascismo e comunismo clássicos do século 20. Chama minha atenção um dado essencial do totalitarismo, quase sempre esquecido, e que também era presente nos totalitarismos do século 20. Você, amante profundo do bem, sabe qual é? Calma, chegaremos lá. Você se lembra de um filme chamado "Um Homem Bom", com Viggo Mortensen, no qual ele é um cara

Música gravada pelo papa Francisco tem acordes de rock progressivo. Ouça

Russas podem pegar até 7 anos de prisão por protesto em catedral

Protesto das roqueiras Y ekaterina Samutsevich, Nadezhda  Tolokonnikova  e Maria Alyokhina durou apenas 1m52 por Juliana Sayuri para Estadão Um protesto de 1 minuto e 52 segundos no dia 21 de fevereiro [vídeo abaixo]. Por esse fato três roqueiras russas podem pagar até 7 anos de prisão. Isso porque o palco escolhido para a performance foi a Catedral de Cristo Salvador de Moscou. No altar, as garotas da banda Pussy Riot tocaram a prece punk Holy Shit , que intercala hinos religiosos com versos diabólicos como Virgin Mary, hash Putin away . Enquanto umas arranhavam nervosos riffs de guitarra, outras saltitavam, faziam o sinal da cruz e dançavam cancã como possuídas. As freiras ficaram escandalizadas. Os guardas, perdidos. Agora as rebeldes Yekaterina Samutsevich  (foto), Nadezhda Tolokonnikova (foto) e  Maria Alyokhina (foto) e  ocupam o banco dos réus no tribunal Khamovnichesky de Moscou, acusadas de vandalismo e ódio religioso. Na catedral, assim como noutras manifes