Nos EUA, mais um ex-Testemunha de Jeová diz que sofreu abuso

A sede da seita fica nos
EUA, e as denúncias de abuso
ocorrem em vários países

Entre 1999 e 2001, um menino sofreu estupro por um ancião (pastor) de uma congregação das Testemunhas de Jeová de idioma espanhol de Los Angeles, Estados Unidos.

O ancião Humberto começou a abusar da criança aos 6 anos de ano.

O menino se tornou um homem amargurado, psicologicamente frágil.

Por isso, e sabendo que há outras pessoas como ele, ele abriu processo judicial contra várias associações das Testemunhas de Jeová, incluindo o Corpo Governante a Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados, que responde juridicamente pela seita.

A vítima (por enquanto suposta até que haja uma condenação) disse que o ancião o estuprou com o argumento de que se tratava de um processo que o levaria para o Paraíso quando morresse.

Humberto teria usado o mesmo argumento com outras crianças, coma conveniência da hierarquia das TJ. 

Para ter ideia do contexto em que as crianças de TJ vivem, a seita prega que o fim do mundo está próximo e que poucos terão lugar no Céu.

A cada dia que passa, as Testemunhas de Jeová ficam mais parecidas com a Igreja Católica. Pelo menos quanto à quantidade de denúncias em vários países de pedofilia cometida por sacerdotes.

Com informação da NBC Los Angeles. 



Testemunhas de Jeová tentam recrutar fiéis até em hospitais psiquiátricos

Testemunhas de Jeová preparam-se para o fim do mundo com kit Armagedom

Testemunhas de Jeová abafam pedofilia, acusam ex-fiéis

TJs da Austrália acobertam mais de mil casos de pedofilia




Comentários