Presidente da Câmara de SP transforma sala de debates em local de cultos

Sala agora está assim,
 com um púlpito para 
pregação religiosa


Antes a sala tinha cadeiras
 que colocavam as pessoas
de frente, para debate

Eduardo Tuma (PSDB), afrontou o Estado laico brasileiro, transformando uma sala usada pela população para debate de interesse geral em local para cultos evangélicos.

Seguidor da Igreja Bola de Neve, Tuma é um religioso fundamentalista. Ele usa seu mandato para beneficiar os evangélicos, aproveitando-se dos cofres públicos.

A transformação de um local de debate em extensão de igrejas evangélicas não foi bem recebida por alguns vereadores católicos ou sem filiação religião, de acordo com o jornal a Folha de S.Paulo

Mas a desculpa de Tuma é que o espaço é ecumênico, desde que, suponha-se, ele não seja usado por religiões de origens africanas.

Na maior parte das vezes, os desvairos fundamentalistas de Tuma têm contado com o apoio e/ou omissão de seus colegas vereadores.

O que é fácil de entender: 25% dos vereadores são evangélicos e a mesa diretora da Câmara têm três desses religiosos, contra dois de outras crenças.

Tuma tem uma longa página de serviços prestados aos evangélicos, à custa dos impostos pagos por contribuintes de todas as religiões ou sem crença.

Ele conseguiu, por exemplo, isentar de pagamento de imposto os imóveis que estejam no mesmo terreno de igrejas e templos.

Esses imóveis não podem ter uso comercial, mas quem fiscaliza? Ninguém.

Ao menos no caso do espaço público dentro da Câmara que virou templo evangélico, cabe uma intervenção do Ministério Público de Estado de São Paulo.

Alguém precisa deter o
 Tuma, esse usurpador do
 dinheiro público em
causa própria

Com informação de Artur Rodrigues, da Folha de S.Paulo e de outras fontes.



Emenda oportunista aprova isenções para igrejas de SP

Uso da Câmara de SP para culto é inadmissível, dizem juristas

Bancada evangélica municipal de São Paulo quase dobra

Por que Estado laico interessa mais aos cristãos que aos ateus




Comentários