Drauzio está sendo processado por dizer que 'pílula do câncer' é charlatanismo

Médico fez um
 alerta contra a
pílula no Fantástico

Duas pessoas entraram na Justiça contra o médico Drauzio Varella (foto) por ele ter afirmado que a pílula de cura do câncer é coisa de “charlatões”.

A informação é do jornal “O Dia”, que não revelou o nome das duas pessoas que se sentiram ofendida por um alerta que o médico fez no Fantástico.

“Não caia nessa, isso é charlatanismo para explorar pessoas doentes", disse Drauzio Varella no programa da Globo.

A essência do suposto remédio é a fosfoetanolamina, cujas propriedades não têm efeito de cura da doença, conforme estudo publicado no Journal of the National Cancer Institute.

Trata-se de um caso exemplar dentro da medicina, porque houve uma corrida de pacientes ao suposto remédio, embora ele não tenha nenhuma comprovação pelo método científico.

Em 2016, senadores capitalizaram a procura pela pílula, aprovando um projeto de lei da Câmara Federal autorizando pacientes a usarem a fosfoetanolamina sintética, mesmo sem o aval da Anvisa.

Na época, Drauzio Varella já tinha criticado a aprovação do projeto por uma comissão do Senado, dizendo que se tratava de uma “ignorância populista”.

Depois, o Ministério Público Federal ajuizou em Uberlândia (MG) uma ação civil pública, com pedido de liminar, exigindo que a fosfoetanolamina seja considerada apenas como “suplemento alimentar”.

A Justiça concedeu a liminar, e dois ex-colaboradores do desenvolvedor da substância passaram a vendê-la na internet como suplemento.

Foi nesse contexto em que o médico fez a advertência no programa da Globo.

Oncologista e comunicador, Varella tem sido um combatente das pseudociências médicas.

Com informação do O Dia e de outras fontes.





Estudo comprova que medicina alternativa não cura câncer

É desonesto dizer que terapias estranhas evitam cirurgia, afirma Drauzio Varella

Drauzio Varella afirma nunca ter visto cura com força do pensamento

Em vídeo, Drauzio Varella critica João de Deus e diz: 'Milagres não existem'



Receba por e-mail aviso de novo post

Comentários

Kurokun disse…
Foi distinto presidente Mijair Boçalnaro, então deputado federal, quem votou a lei que legalizou a pílula do câncer.
Ele já fazia merda antes de virar presidente.
Os perigos quando legisladores acreditam serem capazes de legislar no que é científico (no sentido definição), dar aval às pseudociências, definir outras coisas como família, que só pode ser DEFINIDA pela Psicologia e Sociologia etc.
O Estado apenas deve cuidar de questões de ordem administrativa, econômica e Direitos, tendo base racionalidade, em particular nesse último. Logicamente no conceito moderno de Estado de Direito DEVE ser LAICO, assim como garantir laicidade na Educação etc. E não custa lembrar, independe se é de Direita, Esquerda ou afins.