Pular para o conteúdo principal

STJ confirma transferência de João de Deus de prisão para hospital

Curandeiro vai continuar
 hospitalizado, em vez
 de ficar na prisão

A Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) confirmou hoje (11 de abril de 2019) decisão do ministro Nefi Cordeiro que autorizou o médium João de Deus a deixar a prisão para ser internado no Instituto de Neurologia de Goiânia. A decisão foi proferida em março.

O colegiado julgou um recurso do Ministério Público Federal (MPF) contra a decisão liminar do ministro, que, por unanimidade, foi referendada.

João de Deus foi preso no 16 de dezembro de 2018 sob a acusação de violação sexual mediante fraude e de estupro de vulnerável, crimes que teriam sido praticados contra centenas de mulheres na instituição em que atendia pessoas em busca de tratamento espiritual, em Abadiânia, Goiás.

O ministro atendeu a um pedido da defesa de João de Deus, que tem problemas de pressão arterial e um "aneurisma da aorta abdominal com dissecção e alto risco de ruptura", segundo os advogados.

Na decisão, Nefi Cordeiro entendeu que todo preso tem direito à dignidade e à saúde.

Agência Brasil.




Ministério Público denuncia filho de João de Deus por ameaçar testemunha

Em vídeo, Drauzio Varella critica João de Deus e diz: 'Milagres não existem'

Vídeo mostra policiais encontrando dinheiro escondido de João de Deus

Mulher diz ter sido estuprada por João de Deus quando tinha 8 anos

Já existem 506 relatos de mulheres que acusam João de Deus de abuso



Receba por e-mail aviso de novo post

Comentários

Emerson Santos disse…
Mais uma da parcial e corrupta justiça do Brasil .. que só libera os ricos .. e prende os ladrões de galinha

Posts + acessados nos 30 dias mais recentes

Morre de Covid-19 pastor bolsonarista que defendia uso da cloroquina

Angolanos expulsam os pastores brasileiros de 30 templos da Universal

Edir Macedo amaldiçoa angolanos que expulsaram pastores brasileiros de templos

Morre de Covid-19 o segundo pastor bolsonarista da Assembleia de Deus

Polícia Federal encontra o nome de Silas Malafaia em lista de clientes de doleiro