Constelação familiar é espiritismo com invocação de vivos e mortos

Prática não tem
 embasamento
científico


por Moisés Luz
psicólogo clínico

Sempre fui muito curioso e há algum tempo fui convidado a assistir a uma sessão dessa tal constelação familiar.

Não me senti nada confortável, é pura sugestão e indução, especie de sessão espírita com invocação de espíritos vivos e mortos, ministrados e conduzidos por um guru.

Não existe nenhum embasamento científico nessa prática, que é muito parecida com aquilo que as igrejas neopentecostais e os católicos carismáticos chamavam de cura interior ou cura pela libertação.

Essas "curas" se tornaram febre nos anos 90, mas caíram no esquecimento porque apresentavam resultados apenas paliativos e não curativos.

Um psicólogo estuda 5 anos, numa graduação, depois disso vem as especializações, mestrados e doutorados, tudo isso para garantir um tratamento digno e humano.

Somos registrados em um Conselho Regional que nos habilita e qualifica profissional e eticamente.

Sou psicólogo clinico com formação psicodinâmica com base psicanalítica. Tenho uma visão de homem bio-psico-social e atualmente a minha abordagem é junguiana.

É preciso ter muito cuidado com essas terapias chamadas alternativas, pois podem fazer estragos irreparáveis em sua estrutura psíquica e causar grande rombo no seu bolso. 




Aviso de novo post por e-mail

Constelação familiar é uma pseudoterapia em ascensão

Saiba como identificar argumentações de divulgadores de pseudociência

Com 3.500 anos, astrologia é a mais antiga pseudociência




CNPq gasta R$ 400 mil com a pseudociência da homeopatia


A responsabilidade dos comentários é de seus autores.

Comentários