Casamento humanista na Escócia é menos propenso ao divórcio

Os casamentos realizados em cerimônia humanista (sem sacerdote e pregação religiosa) na Escócia são quatro vezes menos propensos ao divórcio, em relação a todos os outros tipos de união.

Essa informação consta em estatísticas oficiais obtidas pela Humanist UK.

Os dados consideram os divórcios ocorridos no período 2017-18 entre casais que se uniram no civil (cartório) e nas igrejas da Escócia e Católica, além das cerimônias humanistas.

Do total dos casamentos dos últimos 15 anos, 0,25% deles são de casais humanistas, contra 0,84% registrados nos demais tipos de  uniões, em média. O maior número de divórcio se registrou nos casamentos civis [gráfico abaixo].




Para cada mil casamentos humanistas houve 1,7 divórcio, as  uniões civis tiveram a proporção de  7,3.

Os casais humanistas apresentaram quase 4 vezes menos de chances de se separarem em relação os civis, 3 na comparação com os da Igreja Católica e 2 de cerimônias na Igreja da Escócia.

Harry Benson, diretor de um instituto de pesquisa, disse que preciso ressalvar que os humanistas podem ser mais velhos ou ricos, o que seria uma explicação para os seus casamentos longevos.

Para Andrew Copson, diretor da Humanists UK, a explicação é outra.

Ele acha que "casamentos humanistas são profundamente pessoais, com uma cerimônia única feita para cada casal por um celebrante que os conhece bem e garante que seus roteiros e votos reflitam precisamente quem eles são e o compromisso de um para outro."

"O casamento humanista pode ser um bom começo."

Na Escócia, o casamento humanista é reconhecido oficialmente desde 2005.

Com informação da BBC e de outras fontes.





Aviso de novo post por e-mail

Pela primeira vez fui a um casamento sem Deus

Limitar casamento com crianças é 'blasfêmia', diz órgão islâmico

Pastores e padres não podem atuar como juízes de paz





O dia em que comecei a desacreditar em Deus


A responsabilidade dos comentários é de seus autores.

Comentários