Hospital obtém ordem judicial para salvar com transfusão bebê de TJs

O Hospital Geral de Santa Catarina, por intermédio da Defensoria Pública, obteve ordem judicial para salvar com transfusão de sangue um recém-nascido mesmo sem a autorização da mãe.

A família do bebê segue a religião fundamentalista Testemunhas de Jeová, cujos dogmas incluem a rejeição do sangue.

O bebê nasceu com anemia severa.

No pedido de intervenção da Justiça, a defensora Luciana Vaz argumentou que “o direito à liberdade religiosa não suplanta o direito à vida, notadamente de um incapaz”.

De acordo a jurisprudência, o plantão judicial expediu com urgente um mandado autorizando o procedimento.

Religião não pode
suprir o direito à
 vida de bebê

Com informação do Portal N10.





Aviso de novo post por e-mail

Testemunha de Jeová recusa sangue, morre e deixa 9 filhos

Mulher com câncer recebe sangue para não morrer e é rejeitada por filhas TJs

Religião não pode exigir que médico deixe o paciente morrer, diz hospital





Testemunhas de Jeová fecham em apenas 3 anos 1.047 salões nos Estados Unidos


A responsabilidade dos comentários é de seus autores.

Comentários

-------- Busca neste site