'Embaixador' do papa na França, Luigi Ventura, é investigado por agressão sexual


Não somente uma. Mas duas denúncias de assédio sexual foram apresentados pelo Ministério Público de Paris, nesta segunda feira (18/02/2019) contra o núncio apostólico na França, Luigi Ventura, de 74 anos. O arcebispo italiano Ventura  é núncio apostólico (função de embaixador do Vaticano)  desde 2009, tendo sido nomeado por Bento Bento 16. 

Agora, o funcionário da municipalidade de  Paris —  identificado como  Benjamin G, de 39 anos —informou  monsenhor Luigi Ventura também   fez-lhe "ataques sexuais", na mesma cerimônia oficial do dia 17 de janeiro no Hotel de Ville (Prefeitura). 

O Le Monde já havia noticiado  que o MP de Paris abrira inquérito no dia 24 de janeiro para apurar acusação feita por um funcionário público municipal  — este sem codinome ou identificação — 
sob alegação de ter sido assediado pelo Núncio  no dia em que a prefeita  de Paris, Anne Hidalgo,  recebe  diplomatas do mundo todo no salão do Hotel de Ville.  Emmanuel Macron, o p´residente, já havia recebido o mesmo corpo diplomático a 4 de janeiro (ver foto). 

Núncio Luigi Ventura,  investigado pela Polícia, 
em evento de 4 de janeiro, com o presidente 
 francês Emmanuel Macron 


Mão Boba

Le Monde relata que Benjamin G teria tido as nádegas apalpadas pelo núncio apostólico.  A vítima contou ao  jornal  que durante uma cerimônia o núncio apostólico Luigi Ventura o apalpou e em seguida que sorriu “como se fosse algo normal”.  

De acordo com Benjamin G, monsenhor Ventura colocou a mão esquerda em seu ombro e com a  direita apertou-lhe as  nádegas e  com um sorriso descontraído, como se fosse algo normal.  "Eu congelei, estávamos em plena cerimônia, saí dali", relatou.   

A denúncia é muito parecida com a da  primeira acusação.  Na primeira, Ventura “acariciou de maneira insistente e repetida as nádegas do jovem durante a cerimônia. Ele colocou as mãos em suas nádegas várias vezes”,  conforme informou uma autoridade da prefeitura, sob anonimatoo.

"Ele acariciou e acariciou suas nádegas várias vezes diante de testemunhas", disse um porta-voz da Prefeitura aos jornalistas. "Nosso funcionário ficou muito surpreso e não sabia o que fazer."

De acordo com esse porta-voz, Luigi Ventura tocou o empregado três vezes durante um período de cerca de uma hora antes de o rapaz sair da cerimônia, depois de relatar os incidentes a seus superiores. O porta-voz disse ainda que Ventura não se desculpou.
.  

Papa em Paris 
   
O diretor interino da assessoria de imprensa do Vaticano, Alessandro Gisotti, disse aos jornalistas: "A Santa Sé soube da imprensa que uma investigação foi lançada pelas autoridades francesas a Monsenhor Luigi Ventura, núncio apostólico em Paris. 

O caso assume delicadeza diplomática, pois além de serem agora duas as acusações,  é revelado na mesma semana em que o papa Francisco realizará uma cúpula no Vaticano para debater os casos de abusos sexuais cometidos dentro da Igreja Católica.

Ventura letrado

Ordenado em 1969, aos 25 anos de idade, para a diocese italiana de Brescia, Lombardia, região de onde é natural, nascido em Borgosattolo,  Luigi Ventura foi  nomeado para a Nunciatura Apostólica pelo papa anterior, Bento 16.  Em 1978, ele foi convocado a trabalhar para o serviço diplomático da Santa Sé, onde estudou na Pontifícia Academia Eclesiástica.   O papa João Paulo 2º o nomeou arcebispo em 25 de março de 1995. Antes da Franca, serviu em Costa do Marfim, Burkina Faso e Níger (África) e Chile e Canadá (América).

O arcebispo  tem  doutorado em Letras Modernas e é formado em Direito Canônico.  Além do italiano, fala inglês, francês e espanhol e compreende bem o português.

Com informações de: Le Monde, Agência Ansa, Expresso e National Post 


Rede de prostituição operava dentro do Vaticano, diz jornal

Comentários