Alcolumbre é o primeiro judeu a chegar à Presidência do Senado

por Maria Fernanda Guimarães *

David  Samuel Alcolumbre Tobelem é o primeiro judeu  (judeu mesmo, não cristão-novo) a ocupar a presidência do Senado desde o Primeiro Império até agora.  Portanto, é o primeiro judeu no terceiro posto da linha sucessória na presidência da República, pois será, constitucionalmente, o presidente do Congresso Nacional.

A família Alcolumbre  emigrou para o Brasil no início do século XX.  Seu bisavô se chamava Abraham e sua avó Sarah  Alcolumbre. O casal veio de Tânger, Marrocos,  para o Brasil em 1903, ainda no Ciclo da Borracha.
Abraham e Sarah   tiveram o filho Isaac Menahem Alcolumbre (1913-1971), que se casou  com moça também do Marrocos:  Alegria Gabay Peres. Isaac e Alegria  enriqueceram explorando ouro no Amapá. Reportagem da revista  O Cruzeiro enriqueceram (foto)  de 1952, traz uma referência ao seu avô materno, Isaac Alcolumbre, que mantinha em Macapá um negócio de compra e venda de ouro, a "Casa Fé em Deus". Dentre os filhos,  tiveram a Julia Peres Alcolumbre, que se casou com o primo, também tangerino,  Samuel José Tobelem. Júlia e Samuel são os pais do  Senador Davis Alcolumbre (1977 Samuel José Tobelem, nascido em Macapá em 19 de junho de 1977.

Excerto de reportagem
publicada na revista
O Cruzeiro, de 1952. 
 




Controvertido e sem estudos

David Alcolumbre é uma personagem controversa. Apesar de sua origem abastada,  não estudou em faculdade nenhuma. Tem apenas o ensino médio.  Faz companhia a outros 12 senadores que também não possuem curso superior.  Politicamente,  é filiado ao DEM, partido que já foi PDS e já foi Arena.

O Senador mantém um relacionamento interessado com a bancada evangélica,  justo aquela parte que é  israeólatra, ou seja, que mistificando a terra, os objetos religiosos e o  povo judeu em si. Israeólatras  com pendor para o aprendizado até buscam aprender hebraico, para ler a Torá no original.

Além de endogâmica, as famílias Alcolumbre e Tobelem são conhecidas pelo ingresso na política.  O tio do senador,  Alberto Alcolumbre, foi homenageado pelo próprio David em proposta para nomear o Aeroporto de Macapá em 2009. Os primo Isaacs Alcolumbre (que repete o nome do bisavô) foi deputado estadual e Moisés s Alcolumbre e Salomão Alcolumbre Jr foram vereadores.

David Alcolumbre também se iniciou como  vereador (2001), depois secretário de obras em Macapá. Foi ainda deputado Federal (2006 e 2010) e chegou  Senado em 2014. Apesar de seu discurso contra a corrupção, votou contra a cassação e a favor do mandato de Aécio Neves (PSDB-MG). Também  é acusado de crimes eleitorais, contra a fé pública e uso de documento falso na prestação de contas da campanha de 2014.  Seus gastos eleitorais pedem análise. Isso porque em 2015 e 2018, David Alcolumbre gastou mais de R$ 1,7 milhão na cota de gabinete, distribuindo material e informação sobre suas atividades parlamentares.  O vice-procurador-geral eleitoral, Humberto Jacques já pedira em agosto de 2018, a cassação do senador Alcolumbre. O pedido de cassação está nas mãos do ministro Edson Fachin.

Mesmo com todo esse currículo controvertido, foi eleito  presidente do Senado, arrastando a seu favor a "onda anti-Renan". 

Com: Congresso em Foco, CBN, Folha, e pesquisa do historiador Paulo Valadares (especialista em História do Judaísmo no Brasil) e o livro Astrela de David no Cruzeiro do Sul

*Maria Fernanda Guimarães é jornalista e pesquisadora de Genealogia  

Comentários

-------- Busca neste site