MP vai à Justiça contra vereadora de Recife por discriminação religiosa

O Ministério Público de Pernambuco ingressou com uma ação civil pública contra a vereadora do Recife Michele Collins (PP) por discriminação contra religiões de matriz africana, em que pede indenização de R$ 100 mil.

Vereadora se referiu
 a Iemanjá como
 maldição

Em fevereiro de 2018, a missionária fez publicações em suas redes sociais em que criticava o culto à Iemanjá e citava 'maldição' do orixá.

As publicações foram feitas em 4 de fevereiro de 2018, após as comemorações do Dia de Iemanjá, celebrado no dia 2.

Houve protesto de seguidores de religiões de matriz afro-brasileiras. Na época, a vereadora afirmou que não teve a intenção de ofender outras religiões.

O Ministério Público entende que as publicações de Michele Collins ultrapassam o limite individual e atingem uma coletividade de praticantes de religiões de matriz afro-brasileiras.

Assim, o MPPE pede que a Justiça condene a vereadora a pagar R$ 100 mil de indenização por danos morais coletivos. Esse valor seria revertido ao Fundo Estadual de Assistência Social.

Com informação do Ministério Público de Pernambuco.



Aviso de novo post por e-mail

Crenças de matriz africana sofrem mais discriminação

Crivella afirma que só o ‘Brasil evangélico é que vai dar jeito nessa pátria’

Espírita apanha de evangélicos por reclamar de barulho de culto




Saiba quando os evangélicos se tornaram sociopatas


A responsabilidade dos comentários é de seus autores.

Comentários

-------- Busca neste site