Templo de Salomão vai continuar funcionando com irregularidades até 2020

Se os rigores da lei valessem para todos, o Templo do Salomão, da Igreja Universal, não poderia estar recebendo fiéis, porque há irregularidades de edificação e administrativas.

Suntuoso templo foi
 inaugurado em 2014 com
 a presença de autoridades

Inaugurado em agosto de 2014 no bairro Brás, em São Paulo, com a presença da presidente Dilma e de outras autoridades, o templo não atende a normas de licenciamento urbano, como a não agressão ao meio ambiente e requisitos mínimos para transportes.

A Igreja Universal também deixou de pagar impostos referentes à construção do megatemplo. Pela mais recente estimativa, o valor do débito seria de R$ 100 milhões.

O Templo do Salomão promete regularizar suas pendências até 2020, porque somente agora a Igreja assinou um TAC (Termos de Ajustamento de Conduta) com a prefeitura de São Paulo e o Ministério Público do Estado.


O documento foi firmado, portanto, após quatro anos da inauguração do local.

Devido ao impacto ambiental, a Universal, de acordo com o previsto em lei, terá de doar um terreno à prefeitura para a construção de casas populares.

Trimestralmente, a Universal e a Prefeitura terão de enviar relatórios para o Ministério Público, para impedir que continue havendo postergação na regularização.

Com informação do Portal Terra.



Aviso de novo post por e-mail

Sede da Igreja Universal deve R$ 100 milhões em multas ambientais

Importação de pedras sagradas não paga imposto, decide Justiça

Edir pede ofertas para templo ‘desenhado por Deus’




Imunidade fiscal de igrejas tem de mudar, diz desembargador


A responsabilidade dos comentários é de seus autores.

Comentários

-------- Busca neste site