Assessora de Magno Malta é a ministra de Direitos Humanos do Governo Bolsonaro

As lideranças evangélicas conseguiram pôr no Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos do Governo Bolsonaro a advogada e pastora Damares Alves (foto).

Desde 2015, ela é assessora do senador não reeleito e pastor Magno Malta, mas ele próprio não gostou muito da indicação porque esperava que ficasse com a pasta.

Damares Alves
 é defensora da
'família tradicional'

Sem dar maiores explicações, Bolsonaro já tinha dito que Malta não tem perfil para o ministério.

Malta teria sido rejeitado principalmente por ministros militares do novo governo por causa de seu histórico de adesão a gestões petistas.

A “família” que Damares Alves é a bíblica. Família composta, portanto, por homem e mulher.

Isso significa que Alves não dará apoio à luta por igualdade dos direitos humanos dos casais de pessoas do mesmo sexo.

É o que Bolsonaro deseja, conforme suas promessas da campanha eleitoral e sua linha de pensamento de direita religiosa.

Ao ser anunciada como ministra, a pastora se comprometeu a dar prioridade à infância e proteger o direito à vida. Ela tem atuação de resistência à legalização do aborto.

“Vamos seguir essa linha.”

Com informação do Twitter e de outras fontes.



Aviso de novo post por e-mail

Malta interrompe reunião com Dilma para orar pela saúde de Lula

Milícias religiosas agem até contra exposição em escola

Deputado quer estender isenção fiscal às entidades das igrejas




Evangélicos propõem ao governo a campanha 'Neste Carnaval, não transe'


A responsabilidade dos comentários é de seus autores.

Comentários

-------- Busca neste site