Bertolucci tinha simpatia pelo budismo por ser mais filosofia que religião

Ateu assumido, o diretor de cinema e roteirista italiano Bernardo Bertolucci (foto abaixo) tinha simpatia pelo budismo porque Buda, falava ele, deu um basta aos deuses e colocou o homem no centro do universo.

“O budismo é mais uma filosofia do que uma religião.”

Em entrevista a Bruna Lombardi em 1994 ele disse que passou dois anos entre os tibetanos e, por isso, economizou “muito dinheiro em tranquilizantes”.

Filmes do italiano
 tinham referências
 autobiográficas

Ele filmou o “Pequeno Buda”, lançado em 1993.

Dirigiu ainda ''O Conformista", “Último Tango em Paris”, “1900” e “O Último Imperador”, entre outros filmes. Ganhou duas vezes o Prêmio Oscar e se tornou um ícone do cinema mundial.

Bertolucci era marxista e seus filmes têm mensagem política. Alguns deles contêm referências autobiográficas.

O cineasta nasceu no dia 16 de março de 1941 em Parma, região de Emilia-Romagna, e morreu em Roma no dia 26 de novembro de 2018.

Entre as frases atribuídas a ele está esta: “Somos todos neobárbaros, as ideologias acabaram, há o desastre total da sociedade de consumo. Buda nos traz oxigênio”.

Com informação do G1 e de outras fontes e foto de divulgação. 



Aviso de novo post por e-mail

Ateus famosos de todos os tempos

Ateus brasileiros famosos

Humor de Porchat detona o dogmatismo de religiões cristãs




População de países pobres é a mais religiosa, diz pesquisa


A responsabilidade dos comentários é de seus autores.

Comentários

  1. Onde estará a alma deste Ateu nesse momento? Só Deus sabe. Ele pode estar com Deus no céu, pois para Deus tudo é possível.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. para os cristãos está no inferno, ´q o cristão é muito ruim, e só quer ver o sofrimento dos outros, é tudo gente nojenta e falsa que se esconde numa religião , que promete o paraíso pra eles, LIXOOOOOOOOOOOO!.

      Excluir

Postar um comentário

-------- Busca neste site