Pastor da Universal ‘cura’ HIV e diz a fiel para suspender remédios


A "cura" do
 pastor fez a
mulher piorar

[notícia e opinião]

O pastor de um templo da Igreja Universal do Reino de Deus em São João de Meriti (RJ) [mapa abaixo]  orientou uma paciente que interrompesse o tratamento contra HIV porque ela estava curada pelo poder da oração.

O pastor tomou essa decisão após ver exame de sangue da fiel onde constava “não detectado” para o vírus de HIV.

Mas “não detectado” não significa “não existente”, porque os poucos vírus que estiverem no corpo de alguém se reproduzem rapidamente, se o tratamento for suspenso. HIV não tem cura.


Um mês depois de ter parado de tomar os remédios, jogando-os no lixo, a fiel de 38 anos piorou de saúde.

Antes, no período em que ela ficou “curada”, o pastor pediu que fosse à igreja para dar o testemunho do milagre.

“Chegaram a me levar de carro e pediram que eu fosse com todos os exames e prontuários”, diz a fiel.

Casos como esse não são raros e podem ser vistos na TV com frequência em programas de evangélicos, sem que o Ministério Público decida agir.

Se houvesse uma investigação em todos os casos de pessoas que se dizem curadas pela fé, o charlatanismo faria menos vítimas, e o pastor da Universal de São João de Meriti poderia estar agora na cadeia.



Macedo comete charlatanismo ao 'curar' gay e 'queimar' Aids

Pastor da Universal na Argentina afirma que cura câncer

Gay denuncia Edir Macedo pela prática de charlatanismo




Milagreiro Valdemiro procurou médico para curar seu joelho

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.


Comentários

Busca neste site