MP acusa criador do Partido Cristão de usar fundo partidário para pagar prostitutas


Em gravação, Nósseis
 admite ter usado
dinheiro do partido
para 'comer putas'

O Ministério Público do Estado de Minas Gerais acusa Vítor Jorge Abdala Nósseis (foto), criador do PSC (Partido Social Cristão), de usar dinheiro do fundo partidário para pagar prostitutas.

O próprio partido, do qual Nósseis foi expulso ao final de 2017, confirma a acusação.

O fundo partidário é um subsidio do governo aos partidos. O repasse é feito de acordo com a quantidade de votos de cada partido.


Nósseis teria desviado dinheiro do percentual do fundo que estava sob a administração da Fundação Instituto Pedro Aleixo, que tinha ligação com o PSC.

Em uma gravação que o partido entregou à Justiça, Nósseis admite ter usado recursos do subsídio para “comer putas”, entre as quais  "Samanta" e "Keila”.

Nósseis acusa o partido de ter manipulado a gravação de uma conversa descontraída.

Ele afirma estar sofrendo retaliação por ter denunciado o Pastor Everaldo, atual presidente do partido, por ter pedido dinheiro em 2012 ao então deputado Eduardo Cunha (PMDB).

Atualmente, o PSC é uma legenda de evangélicos que têm um projeto de tomada do poder em defesa da família e da moral cristã.

Com informação das agências.


Líder da bancada evangélica é réu em ação de estelionato

Fanatismo evangélico ameaça a democracia no Brasil, diz reverendo




Fundamentalismo evangélico tomou espaço dos progressistas

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.


Comentários

-------- Busca neste site