Google bloqueia anúncios de editora cristã fundamentalista dos EUA


Editora mandava
sem autorização
mensagens
 discriminatórias

O Google bloqueou anúncios da organização cristã fundamentalista Concordia Publishing House por ela desrespeitar a política de publicidade.

A editora de livros com sede em St. Louis (Missouri, EUA) [mapa abaixo] estava recorrendo ao remarketing (uso de dados coletados por seus anúncios) para enviar sem autorização mensagens religiosas a internautas.

Bruce Kintz, presidente Concordia, acusou a gigante da internet de estar perseguindo os cristãos, mas o Google desmentiu, informando que no momento não há nenhuma outra entidade cristã impedida de publicar anúncios.


“O Google continua recebendo publicidade de instituições religiosas, incluindo de organizações cristãs", diz nota da empresa.

A versão de Kintz, de perseguição aos cristãos, foi reproduzida por sites evangélicos brasileiros de fake news.

O veto aos anúncios ocorre em um momento em que o Google e outras grandes empresas da internet, como o Facebook, tentam conter um pouco a propagação de ódio. 



Com informação do Christian Post e de outras fontes.


Terrorista cristão assume culpa por mortes em mesquita de Quebec

Terrorista cristão americano diz que é protetor dos bebês





A responsabilidade dos comentários é de seus autores.


Comentários

Busca neste site