Governador do MA contrata 36 capelães e cria ‘seita evangélica eleitoral’


Flávio Dino
usa dinheiro púbico
para se cercar
de religiosos

O governador Flávio Dino (PCdoB), do Maranhão, aumentou o número de capelães de 14 para 50, reforçando as críticas de seus adversários de que ele está montando uma ‘seita’ de líderes religiosos, principalmente de evangélicos, com propósito eleitoral.

Dos novos postos, apenas 10 foram destinados à Igreja Católica.

Os demais foram entregues a líderes evangélicos filiados a partidos ou a quem tem um engajamento político favorável ao governo.

Um capelão ganha de R$ 6 a R$ 21 mil.


Dino pretende encorpar a seita com a indicação da deputada Eliziane Gama (PPS-MA) para disputar uma vaga no Senado. Ela tem ligação com a Assembleia de Deus.

Em um encontro com religiosos, o governador disse que vai criar outros 10 cargos de capelães para a Polícia Civil.

Dino costuma dizer que é “comunista graças a Deus”.

Para ele, Estado laico não é neutro, mas aquele que “estimula todas as religiões”.

Políticos da oposição pediram ao Ministério Público Eleitoral que investigue a “seita” do governador.

Com informações de O Estado de S.Paulo.


Bancada evangélica quer eleger um senador por Estado, diz Malta

Nova lei eleitoral beneficiará igrejas evangélicas, diz jornal




A responsabilidade dos comentários é de seus autores.


Comentários

-------- Busca neste site