Pular para o conteúdo principal

EUA condenam pastora a 99 anos de prisão por matar criança com jejum


Aracely Meza
tentou ressuscitar
o menino

A Justiça de Dallas (EUA) condenou a pastora evangélica Aracely Meza (foto), 52, a 99 anos de prisão pela morte de uma criança.

Em 2005, a sacerdote da Igreja Internacional Jesus é o Rei submeteu um menino de dois anos a jejum de 25 dias para exorcizá-lo de um demônio.
Benjamín Aparicio morreu de fome.


Zenon Aparicio e Liliana, pais do menino, acreditavam que ele, de fato, estava endemoniado, porque não dizia “amém” corretamente, entre outras desobediências.

A polícia começou a investigar o caso quando recebeu a denúncia de que a pastora Aracely e seguidores tinham celebrado um culto para a ressurreição de menino. Era o corpo de Benjamín.

O vídeo abaixo, postado no Youtube em 17 de abril de 2005, mostra Aracely orando com o menino nos braços, tentando reavivá-lo.

Os pais, mexicanos, levaram o corpo para seu país de origem.

Eles serão presos se voltarem para os Estados Unidos.


Com informação de sites americanos e foto de divulgação.


Quem quiser morrer pela 'cura' da fé que morra, não crianças



A responsabilidade dos comentários é de seus autores.


Comentários

Posts + acessados nos 30 dias mais recentes

Morre de Covid-19 pastor bolsonarista que defendia uso da cloroquina

Angolanos expulsam os pastores brasileiros de 30 templos da Universal

Edir Macedo amaldiçoa angolanos que expulsaram pastores brasileiros de templos

Hackers invadem conta de Malafaia e doam R$ 10 mil à Cruz Vermelha

Bispo Edir Macedo é internado com suspeita de estar com Covid-19