Se foi Deus quem ditou a Bíblia, então ele é péssimo escritor


Livro é uma
coleção de
contradições

Se foi Deus quem ditou a Bíblia a algumas pessoas, como defendem os fundamentalistas, então ele é um péssimo escritor.

A conclusão é da americana Valerie Tarico, psicóloga e estudiosa de religiões.

Ela escreve que, se hoje em dia, Deus mandasse a Bíblia a editores, para publicação, os originais seriam devolvidos com anotações sobre as inconsistências do texto.

A Bíblia tem mensagens truncadas e repetidas. Não há nenhum cuidado em se verificar a veracidade de supostos fatos.


A construção do texto é, por vezes, estranha, com voz inconsistente.

Há muitas contradições.

Algumas passagens podem ter múltiplas interpretações porque são muitas as dúvidas sobre o que o autor quis realmente dizer. Por conta disso, há cerca de 40.000 derivações do cristianismo.

Como um livro escrito por um deus pode ser tão ruim?

Valerie Tarico ironiza ao dizer que a Bíblia, como best-seller de Jeová, deveria ter clareza e objetividade, não dando margem a confusão.


Ela deveria ser mais relevante do que as obras de Shakespeare. Ter mais precisão do que os textos de Stephen Hawking. Ser mais poética do que os livros de Pablo Neruda. Etc.

Como se sabe, a Bíblia, em que pese seu valor cultural, é um livro escrito e reescrito por pessoas em delírio, que acreditavam estar em missão divina, entre as quais Moisés, Mateus, Marcos, Lucas e João.

Gente que hoje estaria pregando em uma igreja ou sendo tratada em um hospício.

A psicólogo lembra que a Bíblia é uma imensa colcha de retalhos, com inserções de todo o tipo, com relatos que vêm de 800 anos antes da Era crista e 100 anos depois.

Não deveria ser levada a sério por ninguém.

Com informação da Alternet.




Doze conceitos religiosos que têm sido a causa de desgraça

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.

Comentários

Busca neste site