Leandro Karnal critica a hipocrisia de líderes religiosos


'A fé nos
tartufos é
extraordinária'

Em entrevistas e artigos, o historiador e escritor Leandro Karnal subiu o tom de suas críticas a líderes religiosos. 

“Quando vejo falas e observo discursos de certos líderes religiosos hoje, atolados em escândalos, vejo como um farol sobre a rocha o slogan “picareta” brilhando no horizonte. Está na testa deles e delas, reluz com acrílico e néon coruscante: ‘Eu sou um enganador!’”.

Karnal se impressiona com o fato de esses líderes terem seguidores, embora não sejam bons atores.


“[Esses líderes religiosos] possuem aquele riso sardônico, um esgar do lábio, um olho dissimulado e uma teatralidade excessiva como a que Sartre denunciou no garçom do romance 'A Náusea'.”

Karnal cita a peça 'Tarturfo' (Le Tartuffe ou l’imposteur), de Molière (1622-1673), para expor a hipocrisia desses líderes religiosos e explicar a origem e o significado da palavra "tartufo".

“A peça é um dedo na ferida da hipocrisia em si, da manutenção da vida dupla, do uso de máscaras sociais.”

“[...] O impostor tem a consciência absoluta de que não acredita no que ensina e, malgrado isso, mantém todas as aparências para obter os benefícios do cargo”. 

E, no entanto, “a fé nos tartufos é extraordinária e um mistério.”

Karnal afirma que quem entender bem a peça de Molière talvez vote um pouco melhor nas próximas eleições.

Com informação do Estado de S.Paulo e de outras fontes e foto de divulgação.




‘Se existisse diabo, ele criaria o cristão agressivo’, diz Karnal

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.


Comentários

-------- Busca neste site