Pular para o conteúdo principal

Dona Religião é casada com sr. Atraso e têm vários filhos



por Nazareno

Religião é uma senhora muito charmosa, elegante, atraente e enigmática.

É casada há muito tempo com o senhor Atraso e com ele tem vários filhos: preconceito, ódio, guerra, racismo, intolerância, exploração e homofobia.

A senhora Religião sempre foi muito cortejada pelas pessoas, pois durante muito tempo transmitiu a falsa imagem de bonança, caridade, amor e respeito ao próximo.

Responsável maior por quase todas as desgraças da humanidade, a dissimulada dona Religião já matou, torturou e perseguiu muitos sábios e cientistas que não lhe davam importância.

Toda poderosa, ela já teve tribunais famosos, que julgavam e matavam na fogueira os defensores de outras verdades. Giordano Bruno, Galileu Galilei dentre muitos outros sofreram as “agruras divinas”.

A estranha senhora sempre foi aliada dos mais notórios carrascos da História.

'Desprezível senhora lutar para
acabar com o Estado laico'

Dizem até que Adolf Hitler, apesar de não ter tido uma relação muito amistosa com ela, sempre explorava cinicamente a amizade dela com as outras pessoas e teria, segundo Richard Dawkins, concordado com Napoleão Bonaparte, que disse: “Religião é ótima para manter as pessoas comuns caladas” e também com Sêneca: “A dona Religião é considerada verdade pelas pessoas comuns, mentira pelos sábios e útil pelos governantes”.

Muito sinistra e hábil, a senhora Religião se associou sem nenhum acanhamento a todos os tipos de governo apenas para continuar a exploração dos mais humildes e desinformados. Importante observar que os seus filhos são instruídos e bem educados enquanto seus seguidores, na maioria dos casos, são idiotas.

Muito gananciosa e voraz, a Religião explora cinicamente os mais pobres prometendo-lhes bonança e riqueza numa terra imaginária a que todos terão acesso, mas só depois da morte.

E por falar em coisas imaginárias, todos os líderes apresentados por ela são seres igualmente imaginários que só povoam a cabeça dos mais incautos e sem leitura de mundo.

Nietzsche, filósofo, crítico e pensador alemão, tentou em vão combater as maldades dessa inútil senhora. Fracassou e terminou louco e sem muita credibilidade.

Baruch Spinoza talvez tenha feito a melhor definição dela, mas também teve de viver escondido e no anonimato.

No Brasil do século XXI, a influência da miserável está em todos os lugares conhecidos, principalmente na política.

Forte e decidida, influencia os parlamentares que pertencem à Bancada da Bíblia no Congresso.

A desprezível senhora luta com todas as suas forças para acabar com o Estado laico e pela volta vergonhosa dos conceitos da Idade Média dentro de nossa sociedade.

Aqui, sua influência cresce cada vez mais. Na política é golpista, reacionária, conservadora e rica.

Acho até que é filiada ao PSDB ou ao PMDB [Nota de Paulopes: por que não citar outros partidos, como o PRB, da Igreja Universal, e PT, que fez aliança com os evangélicos quando foi governo federal?].

Na sociedade e nos costumes se mete em tudo tentando ditar suas ultrapassadas regras de convivência. Seus filhos estão, claro, a seu serviço e não poupam esforços para manter seus privilégios e também para disseminar sua ideologia segregacionista, má, defasada e obsoleta.

Com ela e seus parentes e seguidores à frente, o mundo não caminha, não se moderniza e os direitos humanos são sempre desrespeitados.

Um mundo sem Religião seria um lugar muito melhor, é o que muitos afirmam. Basta observar, por exemplo, países como Suécia, Noruega e Japão e compará-los àquelas nações que a seguem obrigatoriamente.


Envio de correção



Ateísmo é a evolução lógica da religião, diz Richard Dawkins

Comentários

  1. A religião é sempre foi feita por homens,portanto, passivel de erros e acertos.assim como evolui conforme a humanidade

    ResponderExcluir
  2. Andei sabendo que alguns comparsas de Hitler era profundamente religiosos...
    ex: o monsenhor Tiso (ditador eslovaco), Ante Pavelic (ditador croata), Francisco Franco (ditador espanhol)....

    ResponderExcluir
  3. Texto tendencioso. O Sr. Descrença é casado com a Dona Desinformação e tem por amante a Sra. Jargões Batidos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por acaso existe uma pessoa com nome e sobrenome por trás desse Unknown?

      Excluir
  4. Carta aos missionários ( biquíni Cavadão)
    Missionários de um mundo pagão,
    Proliferando ódio e destruição...
    missionários MERCENÁRIOS devotos do dinheiro...( tribo de Jah)

    ResponderExcluir
  5. Uma das qualidade da Religião é justamente essa capacidade de ser camaleônica. Assume as cores do poder vigente para se beneficiar.

    ResponderExcluir
  6. Todas as mazelas provocadas pela religião ao longo da história, assim como a decepção, o ceticismo e o revanchismo secular, resultantes como efeito contrário, já foram profetizados na Bíblia, o livro mais antigo do mundo. Isso não deveria ser novidade para ninguém.
    Apocalipse 18 nos fala resumidamente sobre isso: Babilônia, a grande, o império mundial da religião falsa, que é comparada a uma prostituta, cometeu adultério, fornicação e todo tipo de depravação com os reis da Terra, embriagando a todos com o vinho da sua luxúria. Logo em seguida esses reis se voltariam contra Babilônia e a desterrariam por completo, de modo que a sua ruína seria uma vergonha mundial.

    ResponderExcluir
  7. Religião é poder. É um dos três poderes tribais sendo entre eles o estado, o poder disciplinar e a fé como forma de conter as massas. As religiões da antiguidade como a greco-romana serviam como modelos, estereótipos e metáforas para dar exemplos à população. Já na cultura nórdica a religião era uma forma de justificar as atrocidades em nome de governantes dando a promessa de uma pós vida recompensada, o Valhalla. As monoteístas surgiram para "passar pano" para saque, estupro, roubo de terras e escravidão do homem branco quando cometia as mesmas atrocidades que as tribos que eles dizimaram. Já no oriente, a religião era mais individualista, sempre buscando um aprimoramento pessoal e espiritual porém com modernidade se tornaram extremamente materialistas com mantras para ganhar dinheiro, saúde, casa, sucesso. Se colocarmos tudo num balaio só percebemos que o que todas tem em comum é que foram criadas para servir o imaginário da raça humana. A ciência em si nem se esforça para se opor, apenas apresenta com a nossa melhor ferramenta, a inteligência, uma forma organizada de apresentar interpretações mais sólidas da realidade. Ela não é absoluta em tudo pois muito ela ainda não responde e tudo pode ser contestado se formos for capazes de apresentar as evidências dentro de um método compreensível e irrefutável. Arrancar a religião da história da humanidade é impossível. Conviver com a dicotomia de saber que há explicações simples e mais convincentes dentro dos estudos dos fenômenos naturais (que é o significado da palavra ciência) e continuar seguindo uma fé mágica e já refutada é o maior desafio de quem usa cotidianamente tecnologia, aparelhos, sistemas, métodos e processos criados com base científica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A mais poderosa arma de manipulação! Por haver o apelo do sobrenatural, em particular a "vida além da morte", dá um enorme poder. Cumpra os preceitos e viverá bem no além, ou reencarnará melhor, quando uma religião tem "karma". Se não cumprir, inferno de sofrimentos ou reencarna pior.
      Por isso a questão laica deve ser defendida sempre, com rigor. Sem essa de "excessões" para algumas religiões / igrejas. E quando grupos religiosos ou igrejas querem ajudar em algo, que de fato o façam, com rigor na laicidade. Sem tirar proveito da desgraça alheia para influenciar e doutrinar, promover preconceitos etc. Há artigos aqui e em muitos lugares na Web sobre as "ajudas" por igrejas, que na verdade são tirar proveito e promover intolerância.
      Outra questão: e o pessoal de bem das igrejas? Nada? Sempre em ações minúsculas, falta de união etc. A laicidade é algo que garante a liberdade de fé, sem extremismos. Eles deveriam antes focar nisso.

      Excluir
  8. O texto seria muito bom se não tivesse a fatídica frase de que Nietzsche acabou louco e sem credibilidade. Louco pela doença e com total credibilidade como grande mestre da arte de usar um martelo para destruir ídolos

    ResponderExcluir
  9. Nunca vi tanta babaquice em um único texto

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Posts mais acessados na semana

Crise da Universal em Angola chega à África do Sul com acusações de exploração e abortos forçados

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Projeto de lei de deputado-pastor permite uso dos recursos do FGTS para construir templos