Pular para o conteúdo principal

Na Inglaterra, cristã fanática processa hospital que a demitiu


Sarah disse não saber que
era 'perigoso' falar de Jesus

A direção do hospital advertiu algumas vezes a enfermeira Sarah Kuteh (foto) que parasse de tentar evangelizar pacientes, até porque alguns deles já tinham registrado queixa.

Sarah se fez de surda e acabou demitida por “má-conduta”.

Agora a cristã fanática está processando judicialmente o hospital de Darent Valley, em Dartford, Inglaterra, colocando-se como vítima de uma injustiça.

A enfermeira, que trabalhava no hospital havia 15 anos, alega que uma de suas atribuições era perguntar aos pacientes sobre a religião deles, para preencher um questionário.

Ela admitiu, contudo, que em alguns casos falou sobre o cristianismo, por achar que estava ajudando os doentes.

Para o hospital, a enfermeira vinha provocando “discussões desnecessárias”.

Sarah tem argumentado que não sabia que “pode ser perigoso falar a alguém sobre Jesus”.

Ou seja, até hoje ela não entendeu que tem de respeitar a crença ou a descrença alheia e que hospital não tem nada ver com igreja.

Com informação de sites internacionais e foto reproduzida de vídeo.

Envio de correção.

Livro orienta como curar a Síndrome do Trauma Religioso


Comentários

Posts + acessados nos 30 dias mais recentes

Morre de Covid-19 pastor bolsonarista que defendia uso da cloroquina

Angolanos expulsam os pastores brasileiros de 30 templos da Universal

Edir Macedo amaldiçoa angolanos que expulsaram pastores brasileiros de templos

Hackers invadem conta de Malafaia e doam R$ 10 mil à Cruz Vermelha

Bispo Edir Macedo é internado com suspeita de estar com Covid-19