Empresa tira Smurfette de cartaz para não ofender religiosos



A Forum Filme, distribuidora em Israel do Smurfs: The Lost Village, suprimiu a Smurfette de outdoors de um bairro de maioria de ultraortodoxos em Tel Aviv, para não ofendê-los.

Como se sabe, os judeus ultraortodoxos têm ojeriza a mulheres, que são, para eles, seres inferiores.

Isso é milenar e não tem jeito.

O que fica difícil de aceitar é uma empresa censurar um personagem de desenho animado, curvando-se a uma a uma crendice, em troca de algum dinheiro.

O perigo é este: a loucura dos fanáticos religiosos é contagiosa.

Nem a graciosa personagem
escapa da censura religiosa

Envio de correção.



Óculos de judeus borram visão para que não vejam mulher

Comentários


EDITOR DESTE SITE

Paulo Roberto Lopes é jornalista

profissional diplomado. Trabalhou

no jornal centenário abolicionista

Diario Popular, Folha de S.Paulo,

revistas da Editora Abril e

em outras publicações.

Contato