Pular para o conteúdo principal

Loja em Israel tira mulheres de catálogo para agradar religiosos



A filial da IKEA imprimiu um catálogo onde não há sequer uma mulher, nem menina, embora a rede sueca de lojas seja de móveis e utensílios para casa.

Família de
catálogo não
tem mulher  
Só há homens e meninos, a começar pela capa [ver reprodução ao lado], como se as mulheres não fizessem parte da família.

A filial baniu as mulheres com o propósito de não ofender aos judeus ultraortodoxos, mas o catálogo sexista acabou chamando a atenção da comunidade internacional.

Em nota, a filial disse que o folheto foi desenvolvido para os bairros onde se concentram os ortodoxos.

A imprensa, contudo, apurou que o folheto estava sendo distribuído para o público em geral.

A repercussão impactou a sede da rede, na Suécia.

“Isso não se repetirá”, disse Josefin Thorell, porta-voz da multinacional.

A filial em Israel pediu desculpas aos consumidores.

Com informação do El País e foto de divulgação.


Envio de correção.



Mulher reage à segregação dos judeus ultraortodoxos


Editor deste site
Paulo Lopes é jornalista
Trabalhou no jornal 
abolicionista Diario Popular, 
Folha de S.Paulo, revistas da
Editora Abril e em outras 
 publicações. 
Contato

POSTS MAIS LIDO EM 7 DIAS

Hospital de campanha de evangélicos em Nova York não aceita voluntários gays

Cristianismo é a religião que mais perseguiu o conhecimento científico

Vídeo: R.R. Soares manda o Covid-19 para o inferno, mas não tira a máscara do rosto